02 outubro 2012

Estória de um transtorno obsessivo compulsivo

Gentem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Esse mês tá dificil, meu nível de ansiedade subiu no máximo e o nível de serotonina deve ter caído lá no pé. Mas vamos seguindo em frente que o tempo não perdoa e não espera pelos retardatalhos.
Faz tempo que eu não conto um dos rituais que eu tenho, ou tinha, mas uma amiga me escreveu essa semana dizendo que é a minha amiga oculta pois não comenta os posts, apenas os lê e se sente um conforto lendo que acabei me motivando a escrever. Imagino que existam outras amigas e amigos ocultos que não comentam os posts mas estão sempre lendo esperando ver um pouco de si em cada post para não se sentirem um estranho, alguém único e esquisito portanto estou escrevendo para esses também.
Pensando nisso resolvi contar um ritual que eu tinha quando era criança. Era embaraçoso e me pregou algumas peças mas estou aqui para isso, para contar tudo sobre o TOC, inclusive os pensamentos absurdos, rituais malucos e situações inusitadas que eles nos coloca. Se eu contar apenas os pensamentos e rituais liberados pela censura muitos vão achar que seu TOC é o pior de todos e não terão a coragem de se abrirem aqui porém, na verdade, todo portador tem um pensamento ou um ritual que ele julga obsceno, imperdoável, imoral, ilegal ou que engorda.
Quando eu tinha meus 10-12 anos de idade tinha a compulsão de tocar na água da privada cada vez que eu usava o banheiro. Era uma compulsão forte e eu não conseguia sair do banheiro sem tocar, nem que fosse bem de levinho, na água da privada. Eu dava a descarga e depois de tocar a água eu lavava as mãos claro mas mesmo assim era horrível de fazê-lo (quem tem obsessão por limpeza ou contaminação deve ter infartado agora). Em casa nem tanto mas fora de casa era terrivel usar o banheiro e eu evitava ao máximo. Quando eu chegava da escola estava super apertado e para não ir ao banheiro eu tinha 2 opções: fazer xixi no jardim e arriscar alguém passar na rua e me ver ou então, ir ao quintal, subir no muro que ficava ao fundo e servia para segurar a terra e fazer xixi naquela área de quintal de dificil acesso.
Com o tempo peguei uma inflamação no dedão da mão e formou pus, provavelmente por causa da água da privada e evitei ao máximo usar o banheiro para fazer xixi. Utilizava o jardim que tinha algumas roseiras e eu podia me esconder ou fazia rapidinho no quintal do fundo pois estando em cima do muro os vizinhos podiam me ver. Esse ritual, como vários outros, começou a ficar fácil demais então minha mente foi realizando uma metamorfose nele e não bastasse fazer xixi no jardim eu ainda tinha que deixar pingar algumas gotinhas no meu sapato (não acredito que estou contando isso aqui rs. Tudo bem, tem outros piores que esse).
Numa das vezes que subi no muro, começei a fazer xixi e escutei uma voz dizer: miguelito!. Era o pai das minhas vizinhas - duas irmãs amigas minhas - me olhando fazer xixi. Muito rápido interrompi o xixi - acho que todo mundo sabe o quanto dói interromper o xixi - e pulei do muro ainda subindo o shorts quando escutei meu vizinho novamente: Ô miguelito, pode fazer seu xixizinho, não queria atrapalhar vc.
Maluco! O choque foi tanto que corri para o banheiro, fiz xixi bonitinho e nem encostei na água da privada ou pinguei as gotinhas no sapato rs.
Não me lembro como substitui esse ritual por outro mas até hoje tenho sonhos no qual estou fazendo xixi em público e alguém me ve.
Passei apuros e vergonha por causa do TOC, me coloquei em situações ridículas por causa dele mas ele fez parte de mim por muito tempo. Ele ainda faz parte mas com menor intensidade. Depois que começei a tomar antidepressivo os pensamentos melhoraram muito e agora fazendo TCC estou conseguindo largar o vicio das compulsões.
Leio muitos relatos de pessoas desesperadas por causa do TOC e realmente as vezes ele nos dá desespero mas não é sempre. Se vc sobreviveu com o TOC até aqui conseguirá sobreviver mais algum tempo até achar o medicamento ideal ou a psicóloga certa.
Sei que a maioria sempre escreve no blog quando está em desespero mas seria legal ouvir estórias divertidas ou ler momentos de tranquilidade no TOC pois isso é possível.
Até o próximo post pessoal

206 comentários:

  1. Puxa estava eu aqui lendo seu post e por alguns instantes esqueci que tinha TOC e cnsegui rir... pois é meu TOC é esse, eu tenho que esquecer que tem algo errado comigo... pensaaa, eu penso umas 1000 vezes (eu acho que mais) por dia que tem algo errado comigo e cada pensamento cada vez que penso é um sofrimento terrível, o plano é o seguinte, se eu esquecer que tenho isso sou feliz, se lembrar fico triste, eu sei que lendo assim parece ser super infernal, mas é pior do que isso... Eu estabilizei por 3 anos, sem crises, conseguia controlar tudo que pensava, mas fiquei grávida e tudo voltou... Enfimm voltando ao assunto do post, eu quando era criança tinha que limpar a tampa do vaso sanitário com alcool umas 3 vezes, até hj não uso toalhas de rosto, mas nunca passei vergonha com meu toc! Adorei o Blog! bjuu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jaque, que bom que vc esqueceu por alguns instantes que tem TOC. O ideal era esquecermos para sempre.
      Espero que continue lendo e deixando mensagens :)

      Excluir
    2. Olá Jaque!

      Para mim o toc se tornou um desafio, que pretendo vencer. Uso sempre as frases"o preço da liberdade é a eterna vigilância", como os dependentes químicos vivo:Só por hoje vencerei o toc.

      Receba meu carinho e terno abraço

      Excluir
  2. "Ô miguelito, pode fazer seu xixizinho, não queria atrapalhar vc. " hahahahahahaha muito bom! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É cara, rir para não chorar rs. Hoje acho engraçado mas no dia, na semana, no mes inteiro nao foi. Pior que esse meu vizinho é super sarrista, tenho amizade até hoje com as filhas dele. Curti seu cachorro :)

      Excluir
  3. Oi Miguelito. Tem como vc me ajudar, por favor?
    Sofro de TOC desde que tinha uns 7 anos, e agora estou com 19 anos. Só foi diagnosticado que tenho TOC quando eu tinha uns 10 anos. Sofro tanto com isso. Toda vez que inicio a terapia tenho que parar por falta de dinheiro, meus pais não querem que eu tome a medicação controlada pois fico pessima e posso ficar dependente. Porém resolvi ir na minha psiquiatra e ela me passou dois remedios. Nossa, Miguelito, naõ me fez bem não, comecei a tomar ontem, um pela manhã e o outro a noite. Só faço dormir, hj de manhã tive crise de panico muuuuito forte e não tomei mais a medicação.Nem pra faculdade eu fui. Ontem dormir no onibus, tive até medo de perder o ponto. Voltarei na medica. Estou procurando a terapia cognitiva comportamental e vou atras de um homeopata. O que vc acha? Estou no caminho certo? Eu não aguento mais sofrer com esse TOC. Ele é torturante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi anônimo!

      Vou te contar minha experiência:Tenho 54 anos e Toc desde 17 anos, descobri a 11 meses que isso que tenho é TOC, portanto sofri muito sem saber o que eu tinha.
      Mora no sul de Minas e aqui não existe tratamento ( Terapia Cognitiva Comportamental)nem grupo de apoio.
      Pensei, o que posso fazer preciso de ajuda; então comprei um livro "VENCENDO O TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO" LI, RELI, VI VÍDEOS NA INTERNET,ESTUDEI BASTANTE A DOENÇÃ, conhecendo bem o monstro resolvi então combatêlo, fiz disso meu objetivo de vida, combato até dormindo porque tenho obsessões e compulsões até em sonhos, agora estou sendo acompanhada por uma aluna do 8 período de psicologia.
      Mas até agora vencei 80% dos sintomas com o livro e os exercícios proposto pelo autor.
      Agora se você mora perto do Rio de Janeiro, lá tem tratamento gratuito e muito bom por sinal,São Paulo também tem a astoc vale a pena conhecer, você não disse a que grupo pertence(colecionismo,verificadores,etc...)mas uma coisa é certa o Toc pode ser vencido sim, basta você querer e acreditar.

      Um grande abraço e TAMU JUNTO!

      Excluir
  4. Eterna (amiga não tão oculta assim)08 outubro, 2012

    Olha só, vc voltou a postar e nem me deu um TOC (brincadeira, pra descontrair)! Sorte que estou sempre passando por aqui buscando atualizações! Que bom que o motivei a voltar! Garanto que não foi apenas eu que ficou muito feliz com o seu grande retorno! Desejo que vc esteja melhor agora! Tranquilize seu coração! Não permita que essa ansiedade o domine! Vc é forte, eu sei! Acredite em si mesmo! Use sua mente a seu favor! Ouça a voz em seu íntimo que te anima, que te dá esperança, força, pois é Deus em nosso subconsciente! O TOC é assim ridículo! Tantos pensamentos que nos impulsionam a rituais mais ridículos ainda, que nos paralisam... Mas, precisamos nos controlar! Sabemos que não faz sentido! A palavra é resistência! Resista ao pensamento que que tenta fazê-lo ter uma atitude que não expressa a sua vontade! Uma mensagem para todos: SOMOS FORTES! CAPAZES! Deus abençoe a todos!!! Não se deseperem, queridos! A vida é muito mais que o TOC! Nossa vida, nossas qualidades não se resumem ao TOC! Somos muito mais!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabias palavras ETERNA, tentarei de alguma forma fazer isto porque sempre coloco isto ...de RESISTIR ...a grande palara é essa RESISTIR...está muito dificil...mas com DEUS tentarei...até mais.

      Excluir
    2. Tente resistir sim! O fato de compartilhar o problema, acredito que já ajuda bastante! Seria bom se vc buscasse auxílio profissional, para que lhe seja indicado o tratamento mais adequado (confesso que ainda não o fiz, mas é o ideal)! Pratique a resistência aos rituais! Tente compreender que os pensamentos de que tragédias acontecerão se vc deixar de fazer um ritual não tem nada a ver com o próprio ritual e que esses rituais não podem evitar que alguma coisa aconteça! Se convença que não há relação entre o pensamento e o ritual! As coisas simplesmente acontecem! Depois de muito tempo, eu estou conseguindo transformar a minha vida de maneira positiva! Sei o quanto é difícil ter a lucidez e força suficientes para resistir no momento em que "o bicho tá pegando"! Sei o quanto é frustrante ter consciência do absurdo que é executar determinado ritual como para proteger as pessoas que amamos e o resto do mundo das catástrofes, mas ainda assim, mesmo sabendo que uma coisa não tem nada a ver com a outra, fazer o ritual para garantir o bem-estar daqueles que amamos! Mas nós vamos conseguir! Nós não podemos nos render e nos abater diante das dificuldades! Da mesma forma que habituamos nossas mentes a executar os mais improváveis rituais, podemos habituá-la a resistir e promover nossa melhora e a melhora da nossa qualidade de vida!

      Fique em paz! Deus te abençoe e abençoe a todos nós!

      Excluir
  5. Compartilhar I - Por onde começar? Minha irmã até hoje fala pras pessoas que eu fervia minha escova de dentes.Fui alvo de muitas brincadeiras sem graça.Não dormia sem um ursinho e minha vida era contada em horas e minutos.Quantas vezes contei as horas e os minutos que eu perdia de sono? E quanto mais tempo acordada ficava, mais contava o sono perdido... Por muito tempo combinava com o meu marido na saída do trabalho às 17:22 h... Também tinha pensamentos horríveis desde criança que as pessoas que eu amava morriam e no meu pensamento eu era tipo um mártir... E nem preciso dizer que 10-12 anos depois, quando as minhas avós morreram mesmo, eu achei que era minha culpa... E o medo de me jogar das sacadas? Rsrsrs eu me afasto de toda beirada.... Só de pensar enquanto escrevo fecho os olhos respiro e... chacoalho a cabeça rapidamente, como se isso resolvesse! Toda semana acho que posso ser demitida porque errei um número (tipo era 1290 e eu estimei 1287)... E ficar pensando que ofendi alguém? E achar que Deus não me perdoaria por causa dos meus pensamentos... Graças a Deus, desde que descobri o TOC (há menos de um ano) sei que Deus me ama e conhece o meu coração! Descobrir o TOC foi ao mesmo tempo aterrorizante e libertador. Meu psiquiatra é ótimo, tomo sertralina e luto ainda com algumas manias - me cutuco muito: não posso passar a mão e sentir uma imperfeição na pele que já vira um machucadinho... Cabeça, perna, enfim, tudo. Resolvi parar de mentir (realmente temos várias desculpas na ponta da língua), agora quando me pergunto o que fiz na perna eu digo: me cutuquei.. e diante da expressão de espanto repito: isso mesmo que você entendeu, faço isso, me cutuco! Também conto quando estou com medo: até 10 e depois de 10 a 1... Rsrs... Sair de banheiro de shopping hahahaha, adoro as portas automáticas... Antes só saía se alguém estivesse entrando ou saindo... Quantas vezes joguei comida fora porque cismei com a cara da dita cuja e lógico que eu tinha certeza que era botulismo (uma simples dor de barriga para mim não era suficiente). Uma engraçada era que eu tinha que acertar o passo com pessoa que eu estava andando, imaginem a cena: eu andando do lado da minha chefe (bem mais alta que eu) e a cada 15-20 passos eu precisava acertar o passo (lado da perna principalmente). Uma vez bati o carro porque descobri uma manchinha amarela na minha camisa branquinha... Lembro que nada importava... Só a manchinha amarela: afinal de onde ela veio? Será que ela vai sair? Vou sobreviver trabalhando com ela o dia todo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa eu passo por isso tbm...o meu TOC vamos dizer assim se é possível...é concentrado nos pensamentos ruins que venha acontecer com a minha filha , esposa, mãe , pai...se eu naaum fizer um "ritual"..vamos dizer assim o dia do trabalho nada vai dar certo....Naum entrei em contato com psicologo..estou tentando RESISTIR aos pensamentos caso eu naum faça as repetiçoes...mas esta quase impossível...abraços!!!

      Excluir
    2. Prezado Anônimo, é muito surpreendente para nós nos identificarmos com ações que julgávamos apenas nossas, não é mesmo? Uma hora achávamos nossos pensamentos improváveis, loucos e absurdos demais, fazendo parecer impossível que outra pessoa nos compreendesse e mais ainda, que mais alguém no universo pudesse ter o mesmo tipo de pensamento, as mesmas manias! Eu tenho esse raio de TOC desde criança e foi ainda criança que compreendi que o que eu tinha (e tenho) era TOC e mesmo sendo apenas uma criança o que senti foi alívio! E acho que todo mundo que tem TOC quando descobre que há um diagnóstico para o seu problema sente sobretudo alívio! Além do conforto de saber que não se está sozinho nessa! Já não estaríamos sozinhos só pelo fato de termos Deus em nossas vidas, imagine tendo outras pessoas que nos compreendem! A associação de um pensamento a um ritual para evitar que coisas ruins aconteçam é muito marcante para nós. É um custo compreender que não dá para controlar os eventos assim praticando rituais! Mas sei que é possível. Na verdade, nós compreendemos que uma coisa não tem nada a ver com a outra, mas sabemos que a ansiedade tende a diminuir com a prática do ritual e vamos nos tornando reféns do problema. É que no início achamos que realizar o ritual é a única maneira de sumir com a ansiedade, mas depois de um tempo vemos que se resistirmos, a ansiedade tende a sumir, só que já estamos tão habituados a obedecer as imposições do TOC que resistir torna-se uma luta diária, mas não impossível! Tentando resistir, quase sem dar-me conta, percebi com alegria a minha melhora! É possível e o interessante seria buscar um auxílio profissional (coisa que ainda não fiz)! Sabe, o gosto da vida quando vc se sente mais livre é muito bom! Passamos por maus bocados, eu sei! Uma hora estamos super bem e em outra hora, o TOC vem inventando moda te fazendo de marionete! Mas, mesmo que ele tente me convencer da impossibilidade da minha felicidade, eu nunca acredito nisso! Eu creio que posso ser feliz! Pois estamos aqui para isso: para alcançarmos a felicidade nesse mundo de Meu Deus, semeando boa vontade, paz e amor a todos aqueles que pudermos alcançar, ainda que seja através de simples palavras!

      Mantenha a fé! Lute e não perca a esperança!!!

      Excluir
  6. Compartilhar II - Pois é... o os finais de semana de dúvida... sofrendo com um comentário feito na sexta-feira...? Quantas horas de sofrimento... E a razão não me convencia de que eu podia sorrir.. Ligava para minha casa 3 a 4 vezes para saber se os gatos estavam bem. E se eu saísse de casa sem falar para o meu irmão tomar cuidado para atravessar a rua? E a gozação da minha irmã porque eu guardava todos os saquinhos e sacolinhas plásticas que eu usava em todos os lugares? Esses dias tive a coragem de jogar umas coisas fora - quanto dinheiro eu achei que eu escondia quando tinha meus 13 aos 17 anos? Que pessoa demora 15 minutos para escolher um bombom? Ou uma lata de molho (depois de ler o rótulo 2 vezes e comparar a quantidade de sódio com outros alimentos e fazer conta de quantas vezes vc poderia comer o sódio? Por anos achei que pegaria doenças contagiosas no trem e no ônibus - imaginem, me cutucava e depois achava que através das bactérias debaixo das minhas unhas "adquiridas" em grades, suportes, trem, ônibus, porta de banheiro, telefones públicos... E eu luto para não cutucar meu marido... Quero fazer um carinho, mas minha unhinha nervosa lá vai... E quando estamos conversando e eu enxergo aquele cravinho minúsculo que não me deixa prestar atenção no que ele diz... Só penso: não cutuca o seu marido, força! Você consegue... Rsrsrs. Graças a Deus comecei um programa de recuperação e partilha na igreja que me ajudou a vencer o preconceito contra os remédios. Hoje posso dizer que sou muito mais feliz. Quando vejo uma mancha na minha roupa, ainda tenho que fazer força, mas não bato mais o carro (realmente o susto da uma freada na obsessão/compulsão). Sonho em comer frango com a mão! E cachorro quente também - eu como no prato com garfo e faca! Eu me sinto feliz em poder compartilhar um pouco desta minha história. Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eterna (amiga não tão oculta assim)17 outubro, 2012

      Oi! Você já percebeu que não está sozinha na luta contra esse transtorno! Primeiramente, você tem Deus, todos nós temos! E compartilhar suas vivências ajuda tanto a você quento às outras pessoas, que muitas vezes têm "manias" semelhantes e acham que são as únicas! É importante ser compreendida junto às nossas famílias, amigos e todos aqueles que amamos e é muito bom também dividir nossas angústias com outras pessoas que têm o mesmo problema, pois toda pessoa que tem TOC, independente do grau de severidade e do tempo que ela consome com rituais e pensamentos, compreende outro portador de TOC. Fico pensando em tantos outros transtornos que existem e tentando compreender as pessoas que sofrem com tais transtornos! E compreendo as atitudes dessas quando penso sobre as coisas que nossa mente nos impele a fazer! Penso em mim e meus pensamentos e busco enxergar o outro sem preconceitos independente do transtorno que o acomete. Quem não sofre com nenhum tipo de transtorno, ao tentar se colocar em nosso lugar, pode supor que teria autocontrole e jamais executaria uma determinada ação. Nós sabemos que não é bem assim! Que este autocontrole exige muita força de vontade de nós! Mas, eu quero dizer que rezo por nós! Deus te abençoe para que você consiga ao seu tempo ir se libertando de todos os gestos e pensamentos que te incomodam! Confie, a mudança não é de uma hora para outra, mas aos pouquinhos você vai evoluindo e vai conseguir sim! Espero que vc volte ao blog e veja essa mensagem! E quando você conseguir comer o cachorro-quente sem garfo e faca, volte para nos alegrar com a sua conquista! Fique com Deus! Mantenha sua fé e esperança! Obrigada por compartilhar sua história conosco!

      Excluir
  7. Como é engraçado como o ser humano se sente melhor quando percebe que não está sozinho, mesmo tendo amigos e familiares na sua volta que te dão um porto seguro, ler que outras pessoas passam pelos altos e baixos do toc se torna menos angustiante.
    Cheguei ao teu blog no ano passado, no meio de uma crise em que tinha que achar algo que me falasse que eu não era louca. Sempre leio, mas não sou da turma dos que comentam - e de certa forma venho te agradecer.
    Meu toc se acentuou há dois anos atrás. De pequena eu tinha "as manias" de não pisar em linhas na calçada, organizar tudo retinho, etc. Na adolescência eram cores e o medo de que meus pais morressem, fossem sequestrados, assassinados e tinha que bater na madeira 3x, bater na boca 3x e estalar os dedos 3x. Em 2010 seu toc mudou. Mudou para uma temática sexual (familiares, principalmente meu pai) E meu super ego censurando e chegando ao seu limite. Fui para a terapia cognitiva comportamental. Cheguei ao absurdo de questionar pai e mãe se por acaso não tinha sofrido abuso. Ver a dor nos olhos dos teus, pais buscando te confortar quando teu nível de ansiedade nas alturas acabava por me deixar mais triste e mais culpada. Com o passar dos meses fui melhorando. Minha psicóloga alinhou o tratamento com o psiquiatra, fiz uso de citalopram, mas tinha dificuldade de relatar tais pensamentos. Me afastei de parentes, do pai. Rezava, pedia perdão a deus. Nesse inferno pessoal todo, perdi amigos que não entenderam, fortaleci laços de amizade com amigos que me ampararam e me abraçaram.

    (SEGUE)

    ResponderExcluir
  8. Achei que tava super e parei a medicação. Conclui tcc e me formei.
    Os pensamentos começaram a me incomodar, com menos freqüência, inicia tratamento com outra psiquiatra que me entendeu, com a qual não me senti julgada e sim entendida. Mudei a medicação para fluvoxamina.Agora quando fez dois anos que "meu inferno iniciou" e prestes a realziar provas de residência tive um pesadelo que essas coisas voltavam e zás o medo voltou bem forte e com ele o pensamento. Só que dessa vez percebi que o toc não podia me ganhar, não ia afundar de novo. Coloquei num papel todos os meus medos, todos os pensamentos nojentos e levei e li para a psicóloga. Foram 45 minutos entre lágrimas e soluços. Na minha cidade nesse dia chovia, mas quando eu sai de lá eu me sentia tão leve que a chuva no meu rosto era uma alegria, a vida tava me mostrando que não se pode desistir do nosso bem maior: nós! Claro, o toc é traiçoeiro, nos dias seguintes ele venho me incomodando com uma série de questionamentos: uns dos meus maiores medos era se o " e se eu contar o que são meus pensamentos, meus pais vão começar a pensar a mesma coisa". Ontem finalmente consegui contar aos meus pais que não me trato só por conta de uma ansiedade e do meu excesso de preocupação com "será que desliguei o gás" que tinha pensamentos como os que relatei e que já tinha melhorado um monte, porque pela primeira vez conseguia olhar nos olhos de ambos sem me sentir envergonhada de usar o dinheiro do meu paipara me tratar para aprender a lidar com pensamentos de que ele poderia me fazer mal como essas notícias de horrores que vemos na nossa sociedade. Aprendi que por mais que tenha 22 anos, tem medos que nos fazem nos sentir como crianças de colo, que temos vontade de enfiar embaixo das cobertas e não sair. Já pensei que o melhor seria que deus me levasse. Mas hoje ( quem tem toc sabe que é um dia de cada vez) eu me sinto fortalecida, porque consegui contar que sim tenho pensamentos ruins, que sei que não são reais, que meus rituais são banais, que a ansiedade que me faz ir ao banheiro urinar é uma droga e que eu tenho que aprender a lidar mais e mais. Só que eu não tô sozinha. Por mais que esse chato desse toc seja um intruso não convidado, tem que dizer pra ele: "hey seu maldito, eu sou meu melhor amigo e você não vai me vencer!Pode ser que um dia tu me ganhe, mas não vai ser hoje!".
    Tem uma letra de uma música que diz: eu sigo em pé, eu sou assim, o que eu posso fazer? Eu não vou me render, ainda que isso me custe a pele.
    Um abraço a todos os amigos ocultos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eterna (amiga não tão oculta assim)17 outubro, 2012

      Você se parece comigo! Sei que há um conforto em descobrir semelhanças com os problemas de outras pessoas e perceber que não se está sozinho! Não é que fiquemos felizes por outras pessoas possuírem um transtorno que nós sabemos o quanto é ruim! É que é um alívio saber que nós não somos os únicos a sofrer de um determinado mal. É como dar-se conta de que não é o único chegando atrasado para a aula! Perceber que o problema que nos atormenta tanto tem um diagnóstico e que existem outras pessoas tentando superar é um grande conforto! Achei que somos bem parecidas no nosso jeito otimista! Claro que você já superou um grande obstáculo procurando tratamento, estando assim à minha frente! Desejo a você e aos demais muita coragem e fé na luta que é enfrentar um leão por dia! Ah, às vezes também evito revelar algo que eu estou pensando, nem é nada demais, mas também tenho muitas vezes a sensação de que as pessoas vão passar a ter aquele pensamento as atormentando. Claro que tinha consciência de que não podia ser assim, mas o fato de você ter compartilhado, dá mais certeza a nós duas de que é simplesmente o TOC, inimigo fiel! Ultimamente, algo que tem me incomodado é a necessidade que sinto de falar as coisas que eu penso! É muito chato! Porque, muitas vezes, são pensamentos corriqueiros sobre nada de significativo, mas que preciso compartilhar, senão não sossego! Tem horas que perco a paciência e digo para mim mesma: "Não vou falar" É cada uma né?! Fiquem com Deus, queridos! Animem-se! A vida é bela!!!

      Excluir
  9. Eu sinto a mesma coisa!!! Gente, só ontem na terapia comecei a desconfiar que estava usando isso de falar meus pensamentos (principalmente para meu marido) como forma de me acalmar... Gente, que loucura... E lendo seu comentário tudo faz mais sentido... A necessidade de falar tudo! De falar tudo o que pensei e fiz para todos, como se fosse uma punição e assim uma redenção... Muito abrangente este TOC... Mundo novo... Mas eu fico feliz por saber que não sou essa pessoa e que não é minha culpa por não conseguir controlar os pensamentos. Ass Anonima do Compartilhar I e II.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo! Nós submetemos nosso pensamento ao julgamento de outras pessoas, para termos uma avaliação dos nossos pensamentos. Essa atitude para mim ocorre de duas formas. Uma é motivada pela necessidade de me livrar da ansiedade que sinto até contar o que estou pensando e as "grandes revelações" não passam de banalidades. E a outra forma é assim: tenho um pensamento e uma interpretação desse pensamento, que na minha mente é uma interpretação bem surreal e que eu reprovo, então eu revelo o pensamento para a outra pessoa avaliar e se ela não acha nada demais, para mim tanto faz, o importante é que eu preciso revelar meu pensamento. A interpretação que a outra pessoa faz não é tão importante. O que me deixa feliz é saber que eu falei. Sensação de dever cumprido.
      Quando eu escrevo assim a explicação de tudo o que eu faço, não consigo evitar de achar engraçado.
      Ah, Anônima do Compartilhar I e II, eu comentei o seu comentário outro dia. Você viu? Felicidades

      Excluir
    2. Compartilhando28 outubro, 2012

      Eterna! Vi sim o seu comentário! Muito obrigada! Me sinto super feliz em poder compartilhar com pessoas que entendem... Até porque ainda não consigo falar tudo pro meu terapeuta... Chegarei lá! Anonima do Compartilhar I e II

      Excluir
    3. Que bom que tem te ajudado! Compartilhar sempre é muito bom, especialmente quando se é ouvido e compreendido! Boa sorte para você! Tenho certeza que terá êxito! Deus te abençoe!!!

      Excluir
    4. O meu TOC tb eh de querer contar tudo para todo mundo, principalmente as coisas que considero errado, eh como se fosse uma redencao mesmo, que alivio ter enci=ontrado pessoas que tem a mesma coisa que eu. Pq a maior parte da literatura falamuito sobre rituais de verificacao e outros, mas sobre querer contar tudo pra todo mundo eu nunca tinha ouvido alem de mim!

      Obrigada!!!

      Excluir
    5. Oi, Anônima!
      Por isso que é bom compartilhar com as outras pessoas o que se passa conosco, claro que dentro dos limites em que cada um se considera capaz de compartilhar.
      Eu passei muito tempo sendo oculta no acompanhamento do blog e recentemente passei a comentar. Eu melhorei, sabe?
      E fico feliz de ter compartilhado o meu TOC de revelar meus pensamentos, porque vejo que ajuda outras pessoas. Todos que temos TOC sentimos esse alívio quando descobrimos que o que temos é TOC e que não estamos sozinhos e não deixa de ser um alívio também quando compartilhamos as mesmas manias que outras pessoas.
      Eu estou chateada sabe com o quê? Eu estava indo muito bem, guardando meus pensamentos para mim, porque eu não gosto de parecer um plantão de notícias que fica falando e falando coisas que eu nem acho necessário falar e, o pior de tudo, que as pessoas não acham necessário ouvir... rs... Aí, como eu dizendo, eu estava indo super-bem. Eu estava tão alegre, mas a minha alegria quase não dura e eu me estressei um bocado esses dias e isso me afetou e voltei a tagarelar coisas insignificantes e isso me deixa mais magoada do que o fato ocorrido em si.

      Mas, o importante é saber que quando fazemos isso é por causa do TOC e se é por causa dele, a gente precisa lutar contra! Eu já sei que dá certo! Vale a pena o esforço de se controlar! Agora tenho que reconstruir meu castelinho de areia que desmoronou!

      Tenha fé!

      Excluir
  10. Eu tenho onze anos e tenho toc desde meus nove anos... Acho q se eu nao fizer os rituais, algode ruim acontece... ;/E o pior e q
    Minha mente e muiiiito poderosa e as vezds a forca do pensamento faz
    Com q aconteca. Sempre conto mentAlmente,tooooooda hora. Arranho os dentes, ando em passos exatos, jamais deixo minhaas digitais nas coisas etc. amanha vou no psicologa .. :) por favor me mandem emails dizendo como e suas manias e experiencias com o toc.:)) ray_sn_@hotmail.com bjoos... E aproveito e conto ,imhas milharessss de manias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, meu bem! Olha, eu também pensava assim igual a você quando eu era criança. Achava que se eu não fizesse os rituais que a minha mente mandava, algo ruim ia acontecer. De vez em quando, eu ainda penso assim, mas hoje eu sei que isso não é verdade. Às vezes, as coisas acontecem igual a gente pensou e nós pensamos que aquilo que aconteceu foi porque a gente imaginou e que é nossa culpa, mas isso é só uma coincidência e a gente fica pensando que foi a nossa mente que fez acontecer, mas é só por causa do TOC. Todo mundo que tem TOC imagina que se fizer os rituais vai evitar que algo de ruim que a gente pensou aconteça de verdade. Boa sorte com a psicóloga! Você vai ver o quanto você vai melhorar e vai entender que não precisa dos rituais para evitar que as coisas ruins aconteçam! Desejo que você seja muito feliz! Deus te abençoe!

      Excluir
  11. Olá à todos que vivem e compartilham experiências com o TOC.
    Não tenho TOC mas meu filho de 18 anos tem. Ele foi diagnosticado aos 14 anos. Ele faz tratamento com medicamentos receitados por psquiatra e TCC com psicologa.
    Eu procuro ler os relatos e vivencias de quem tem TOC para eu poder entender e ajudar melhor meu filho, que sofre muito mesmo.
    Mas, ao contrário de vocês que "sabem" que possuem um transtorno, falam sobre ele, colocam para fora, o meu filho não fala absolutamente nada.
    O psquiatra até hoje não conseguiu identificar qual a compulsão dele, ele precisa ir juntando as poucas palavras que ele fala e ir tentando.
    Eu gostaria de perguntar se algum de vocês já tiveram essa fase de total negação, de viver como se nada estivesse acontecendo. Meu filho largou a faculdade, a acadêmia e praticamente só sai para ir na terapia e ele não fala nada e não consegue escutar nada.
    Sei que ele sofre muito, chega ser visivel.
    Agradeço qualquer tipo de informação e desejo à todos muita força pois tenho certeza que tudo dará certo para todos, pois ninguém é abandonado por DEUS. Todo sofrimento faz parte do nosso crescimento, seja ele qual for.
    Abraços à todos.
    Nancy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nancy! É muita bonita a sua dedicação em tentar compreender o TOC para ajudar o seu filho. Para quem não tem TOC ou qualquer outro transtorno, é muito difícil entender os pensamentos, as manias, as compulsões e tudo o que envolve o TOC. Eu, particularmente, nunca neguei que possuo TOC. Eu me diagnostiquei com TOC ainda criança, quando identifiquei as características descritas por alguém que também possuía TOC em um programa de TV. E, apesar de ser apenas uma criança o que senti foi alívio por ter um diagnóstico e uma explicação para o meu comportamento. Essa consciência me ajuda, pois eu me esforço muito para ignorar determinados pensamentos que sei que são decorrentes do TOC. E, quando eu soube que o que eu tinha era TOC, acho que senti além de alívio, esperança de uma vida lutando contra um inimigo agora visível e conhecido, o que é muito mais fácil. Quando se é criança, as manias parecem engraçadas para quem não tem TOC e não compreende que trata-se de um sério transtorno, principalmente para seus irmãos, como no meu caso. Quem não tem TOC costuma entender que o transtorno envolve simples manias esquisitas, mas não sabem que os chamados "rituais" são obediência nossa aos nossos pensamentos que nos fazem praticar determinadas ações como única forma de aliviar nossa ansiedade. Com o tempo, as manias mudam. Acredito que seja assim com todo portador de TOC, seja por uma tentativa de criar formas de praticar o TOC sem perder tanto tempo, seja numa tentativa de burlar/enganar o TOC, mas parece que nossa mente percebe a nossa tentativa de "trapacear" e nos condiciona a outra mania que por ser nova é mais difícil de ignorar. Mas, não se assuste! Parece muito complexo mesmo! Para nós também é muito difícil! Mas o fato de compartilhar nossas vivências nos permite perceber que alguns pensamentos que julgávamos só nossos, na verdade são comuns a várias pessoas. Acredito que se o seu filho conhecer os depoimentos de outras pessoas, irá se identificar com muitas histórias e perceberá que o TOC dele não é o pior. Existem diferentes graus de severidade desse transtorno, mas a essência é a mesma e por isso somos tão capazes de compreender uns aos outros. Eu espero que você volte ao blog para ver as nossas respostas ao seu comentário. Eu fiz questão de responder e espero ter te motivado ainda mais. Reescrevi 3 vezes antes de conseguir postar, mas não foi por causa do TOC (felizmente, não tenha essa compulsão de apagar e reescrever uma ideia várias vezes), é só que a minha internet estava desconectando e o que eu já tinha escrito não foi salvo. E, comigo foi assim, com o tempo as manias que marcaram meu comportamento enquanto criança foram sendo substituídas. Então, esqueceram toda aquela história. Mas, o TOC não me esqueceu. E, consequentemente, eu também não esqueci o TOC. Mas não tento me convencer que não possuo esse transtorno. A consciência é muito importante para saber lidar e conseguir ignorar pensamentos que você sabe que são fruto do TOC. Seu filho precisa enxergar que não é o único, que não está sozinho, que tem DEUS, tem você e outros tantos portadores de TOC que não podem permitir que esse mal anule a sua vida. É muito difícil. Requer fé, força de vontade, coragem, força e muito apoio. Eu imagino que você consegue compreender os portadores de TOC e suas manias sem julgamentos, pois sabe que só assim conseguirá compreender e ajudar o seu filho! Não desanime! Estamos todos juntos nessa luta! Trata-se de uma patologia como outra qualquer, mas que acomete a nossa mente, mas também não é o fim do mundo! Deus abençoe a todos para que possamos ser felizes e melhorar a nossa qualidade de vida cada vez mais!

      Excluir
    2. Nossa eu tbm me diagnostiquei, quando assisti uma entrevista no Programa do Jô, com uma pessoa q possuia os mesmos rituais que eu. E desde então são quase 15 anos de sofrimento. Desejo que todos encontrem o caminho da cura,que DEUS abençoe vocês!! Ana Carolina

      Excluir
  12. Nancy eu acredito que tenha negado meu toc durante grande parte da adolescência, até porque sabe quando tu não tens sequer noção do que tens? Acredito que seja isso.
    Depois já adulta, tinha noção de alguns comportamentos, mas eles não me incomodavam muito: como ordem, simetria e arrumar coisar por tamanho e cores. Então quando alguém chamava minha atenção para isso eu dizia: me deixa, tenho TOC. Até porque esses são comportamentos mais difundidos na mídia como sendo característicos. Ou então quando tinha pensamentos ruins de morte, batia na madeira tudo na seqüência de 3. Fui começar a ficar preocupada quando os pensamentos se tornaram cada vez mais angustiantes e nem sempre tinha a compulsão. Consultei com uma psiquiatra, mas infelizmente não me adaptei a ela o que dificultava falar sobre meus medos e larguei a terapia e negava a todo o momento o que tinha. Meu corpo somatizou todo o meu sofrimento mental: tinha dores nas costas, no pescoço, alergias, ia para a emergência porque achava que fosse morrer, pesadelos. Até que um desses pesadelos foi mais ruim e menos tolerável ao meu superego. E nós que temos TOC temos um superego danado. Dessa vez fui avaliada primeiro por uma psicóloga e inicei a TCC. Depois, optei por acompanhar no mesmo local com um psiquiatra para medicação, pois os pensamentos ainda me perturbavam muito, mais pelo conteúdo do que pela compulsão. Tomei a medicação por 4 meses e larguei. Nunca deixei a terapia com a psicóloga. Voltei a tomar a medicação faz 4 meses de novo, uma que está tendo boa aceitação.
    E por mais que nunca tenha deixado a terapia, nesse mês pela primeira vez depois de alguns anos em acompanhamento consegui falar coisas que realmente das quais me preocupam e que com o toc só faz com que eu as distorça e me preocupe ainda mais. Consegui isso depois de escrever tudo em um papel e o ler para ela. Tem uma hora que não suportamos negar para nós mesmos.
    Muita luz para seu filho :) Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço muito a gentileza de vocês em me responderem. Estes últimos dias tem sido dificil, pois o médico mudou a medicação do meu filho e para isso fomos diminuindo a dosagem até parar, ele ficou alguns dias sem medicação e ontem iniciou o novo remédio. Nem preciso dizer como ele "sentiu" essa transição, mas espero, tenho muita fé que ele vai se equilibrar e vir a ter uma vida normal apesar do TOC.
      Meu marido e eu estamos acompanhando este blog todos os dias, pois temos nos fortalecido e entendemos melhor o nosso filho através dos relatos.
      Abraços à todos e muito obrigada.
      Nancy

      Excluir
    2. Nancy, eu sofro de toc ha algum tempo, porem ha poucos meses Eh que fui atras de um tratamento pra doenca, pois antes, quando tinha as compulsoes, conseguia conviver bem com as mesmas. Atualmente quase nao tenho rituais, porem tenho sofrido mto com meus pensamentos... Sou casada ha pouco tempo, e logo apos a lua de mel pensamentos me vem a cabeca a todo momento, sempre em relacao a eu fazer algo de ruim para meu esposo (penso q posso mata-lo, esfaquea-lo, etc)... Ele eh otimo para mim e eu sou apaixonada por ele, entao imagine o quanto esses pensamentos sao angustiantes... Eu procurei tto apos esses pensamentos, nunca contei isso para meu esposo ou qualquer pessoa do meu convivio, pois tenho medo que eles nao entendam e que tenham medo de mim... Com meu psiquiatra e minha terapeuta eu me abri, mas nao foi facil! Enfim, as vezes oq pode estar acontecendo com seu filho e realmente medo de contar o que pensa, medo de que no fundo as pessoas o discriminem pelas coisas que vem a sua cabeca... Nao eh facil pra nos que temos toc abrir nossa mente, mas ele vai acabar contando, pq uma hora ele nao aguenta guardar esse sofrimento sozinho.. Espero que ele se abra logo!

      Excluir
  13. Miguelito, gostaria de saber o que achou do livro ¨vencendo o transtorno obsessivo compulsivo¨

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei muito do livro. Terapia Cognitiva-comportamental é exatamente igual o que o livro fala. Dificil é vc seguir o livro sem ajuda de um ´rofissional mas se vc se dedicar consegue se curar do TOC.

      Excluir
    2. Verdade Miguelito eu estou conseguindo com o livro.

      Excluir
  14. Será que existe mais alguém além de mim que fica verificando frequentemente se existem novos comentários nesse blog?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então você tem feito isso muito "ocultamente"! Eu estou feliz por tantos comentários que surgiram desde o meu apelo. Não sei se foi pelo meu questionamento de ontem, mas me alegrou abrir o blog hoje e ver as novidades!!!

      Excluir
    2. Também :)

      Excluir
    3. Estava com saudades de vc Eterna, faz tempo que não te escrevo né? Mal tenho tempo de escrever no blog mas sempre leio todos os comentários, mesmo que não responda.

      Excluir
    4. Ah, ia escrever que estou orgulhoso de vc ter deixado de ser tão oculta e ter virado minha colaboradora maior mas vc já disse tudo isso num email que acabei de ler rs.
      Que bom que vc tem me ajudado nessa tarefa árdua porém gratificante de confortar as pessoas. Agora precisa mudar seu nick para "Eterna ternura" :)
      Beijos

      Excluir
    5. Eterna ternura31 outubro, 2012

      Ah, se é assim sim! rs. É bom saber que vc está aí mesmo que algumas vezes "ocultamente"!
      Feliz de saber que eu já ia ganhar o elogio sem precisar chamar sua atenção! Gosto de escrever! É bom saber que contribuo para confortar as outras pessoas. Assim retribuo um pouco as contribuições de todos que compartilham suas histórias! Sei que há muitos amigos ocultos ainda acompanhando esse blog! O que eu posso dizer a esses amigos é que quando chegar o momento em que vcs se sentirem encorajados a compartilharem alguma coisa, se sentirão infinitamente melhor! Coragem, vc não é o único (a)! Vc não está sozinho (a)!
      Feliz de saber que estou sendo ouvida!
      Emocionada com meu new nick!
      Beijos

      Excluir
  15. Olá pessoal, entendo exatamente vcs, tenho toc desde a infância,e assim como todos sofro muito com isso. Fiz tratamento durante algum tempo mais interrompi quando engravidei e assim como vc Jaque tudo voltou,me sinto muito mau pois ter minha filha foi a realização de um sonho e quando minha vida era pra ser só alegria estou eu aqui em plena crise e recaída, tenho muito medo de não conseguir ser uma boa mãe pois ultimamente não tenho conseguido realizar sequer as tarefas corriqueiras de casa, a unica coisa que tenho feito com eficiência tem sido chorar,rsrsrsr. Fiquei feliz em descobrir esse blog, na verdade quem o descobriu foi meu marido que vale salientar tem sido um anjo na minha vida sempre tentando me ajudar, me sinto um pouco melhor depois de ler as experiências de vcs. Miguelito, parabéns pela iniciativa de criar esse blog que com certeza já ajudou muita gente e espero continuar me ajudando também, se me permite agora serei mais uma participante. Um abraço a todos!!!!

    ResponderExcluir
  16. Pessoal, estou muito feliz de ver tantos comentários no Blog, ano passado quando eu o descobri, mais ou menos nesta época do ano, havia acabado de saber que tinha TOC e estava no meio de uma crise avassaladora, uma coisa horrorosa que eu não desejo nem para a pior pessoa do mundo, só quem tem os pensamentos obssessivos que temos sabem o que estou dizendo. Graças ao bom Deus um ano depois estou aqui escrevendo neste post e hj me sinto 100% melhor em vista do que estava. Sei que AINDA não estou curado, pois as vezes tenho muitos pensamentos assustadores, mas os quais consigo controlar. Minha ansiedade nos últimos meses está a zero. Compartilho isto com vocês é porque se tivermos muita força e fé podemos vencer está coisa degenerativa. Ainda faço o meu tratamento com medicamentos e tereapia e pelo que foi me dito os terei que manter por um bom tempo se não para sempre. Não pensem que são loucos, pois não somos, somos pessoas como qualquer outras que riem e que choram, por isso devemos ver que o TOC se vence um dia de cada vez, não é da noite pro dia que o problema será resolvido. Pensem sempre NÓS SOMOS OS VENCEDORES e não o TOC. As recaidas podem acontecer, mas nunca se deem por vencidos.

    ResponderExcluir
  17. Eterna ternura31 outubro, 2012

    Essa experiência de troca recíproca de vivências, casos e estímulos positivos tem sido de importância significativa para mim!
    Não desanimem! Quem nunca chorou por conta desse transtorno? Quem nunca sentiu que não há solução? E quantos, hoje tem bons resultados para apresentar, porque não desistiram e seguiram em frente lutando e lutando, como tem que ser, com força de vontade sobre-humana, fé intensa, coragem?
    Eu tento resistir às coisas simples, objetivando evoluir cada vez mais e um dia resistir a tudo! Mas, por acaso é fácil? Não. Mas ninguém disse que seria! O que não posso é desistir, me entregar e permitir que minha mente me sabote, porque minha mente tem que trabalhar a meu favor e não contra mim! EU VOU SER FELIZ! E para isso não vou perseguir minha felicidade de forma transtornada e obsessiva... Eu vou conquistá-la, alcançá-la como resultado do meu querer, da minha vontade, da minha "luta ferrenha contra os exércitos de Dom Quixote" (li em um livro essa parte do Dom Quixote) e da minha dedicação em vencer o TOC para ser feliz! Mas, vcs acham que eu vou esperar o TOC ir embora para ser feliz? E, agora no meu presente, o que faço? Pois, eu sou muito orgulhosa para deixá-lo vencer! A minha luta será para ter o controle da minha própria vida e para mostrar ao TOC que eu posso, que eu consigo quando eu quero muito e que o venci!
    Eu desejo que um dia todos nós possamos dizer que conseguimos! Não estamos sozinhos! lembrem sempre disso e não se deixem vencer!
    Deus nos ama!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eterna ternura31 outubro, 2012

      Eu juro que quando eu escrevi o comentário acima, eu ainda não tinha lido o post "Amor e TOC" de fevereiro, onde o Miguelito abriu o seu doce coração e escreveu:

      "eu acordei para a vida e descobri que eu tenho o direito sim de ser feliz e não preciso esperar me curar do TOC para começar a ser feliz."

      ENTÃO VAMOS SER FELIZES AGORA! O MOMENTO CHEGOU!!!

      Excluir
    2. É Eterna!!! Acho que estamos em sintonia então :). Eu escrevo para vc e vc sem ler escreve sobre o que eu já havia escrito, fico feliz com isso e não acredito que seja coincidencia.
      Beijos e boa noite

      Excluir
    3. "A coincidência é a forma que o divino tem de realizar anonimamente um milagre!" (achados da internet).

      Excluir
  18. Olá, pessoal queria que vcs me explicassem por favor como faço pra participar melhor desse blog o que preciso fazer exatamente se devo me escrever, se sim como faço? em fim como realmente funciona?.
    Eu li em algum lugar que o Miguelito falou pra alguém que podia escrever pra ele por e-mail, como faço pra encontrar o endereço de e-mail dele.Por favor me ajudem estou em crise e quero sair dela quero lutar por mim,por minha felicidade mais não consigo sozinha,desde já agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rosi! Espero que as coisas estejam melhores agora! Espero que vc ainda retorne ao blog! Quer dizer, não desejo que esteja necessitando de apoio, mas se estiver e retornar ao blog, ficarei feliz se puder contribuir com vc! E tbm, se estiver bem, compartilhe conosco! Todos precisamos de estímulos diários!
      Sobre os seus questionamentos: vc pode se tornar uma seguidora do blog e tbm pode se inscrever no grupo de discussão sobre TOC. As informações para essas duas formas de participação constam ao lado, à direita. E tbm ao lado vc encontra no perfil do Miguelito o seu e-mail.
      Tenha fé! Continue lutando pela sua felicidade!

      Excluir
    2. Oi Eterna, Obrigada pela ajuda tem pouco tempo que recomecei o tratamento e ainda estou muito mal,as vezes acho que não vou ficar bem nunca parece q o que me faz ficar mal me persegue pois quando consigo vencer um obstaculo e fico feliz por isso logo em seguida aparece um outro e me derruba, não aguento mais estou ficando exausta quero me livrar disso,no mínimo ter uma melhora significativa mais tá difícil,quando a angustia o medo e a sensação de culpa tomam conta de mim parece que vou morrer, vc não faz ideia do quanto tá sendo difícil pra mim escrever agora pois tava justamente tentando melhorar de uma situação e evitar o ritual, então vim ver o blog para me distrair, tava dando certo até ler algo em um relato de que me levou a estaca zero e agora estou me obrigando a não realizar o ritual, pelo menos não antes de escrever, espero que isso não me leve a não querer mais acessar o blog... vou me esforçar pra que isso não aconteça.
      mais uma vez obrigada pela ajuda,um abraço.

      Excluir
    3. Rosi, nós estamos aqui para nos ajudar. A nossa missão é confortar e sermos solidários uns com os outros e com isso nos estimular mutuamente a conseguir a cura ou uma melhora significativa, como você falou. Eu sei o quanto as coisas não são fáceis. Eu sei que a gente demora tanto tempo para conquistar uma pequena vitória e ver tudo que a gente conseguiu desmoronando tão facilmente como um castelinho de areia é muito triste. Não permita que o transtorno te afaste daqui desse espaço. É possível sentir em suas palavras o amor pela vida, a força de vontade para lutar, a esperança mesmo diante dos obstáculos, a fé para vencer. Você não está sozinha! Acredite! Nós a compreendemos, pois nós mesmos sentimos coisas parecidas com o que você sente, alguns sentem até exatamente ou pior do que você sente! Não desista, Rosi! Em nome de Deus, não desista! Mantenha sua fé em Jesus Cristo, que tudo pode! Você deve estar sofrendo com a readaptação ao tratamento, mas insista e logo vai fazer efeito e você vai melhorar! Não nos abandone! Você é importante para nós e contribui muito conosco! Eu estava me sentido um pouco conformada com essa realidade (especialmente hoje, mas seu relato começa a reanimar meu coração! Abraço! Deus te abençoe!

      Excluir
  19. WILLIAN PEREIRA02 novembro, 2012

    BOA TARDE! ME AJUDEM !!! NAO JULGUEM ANTES DE TERMINAR DE LER POR FAVOR PODE SER DEPOIS MAS NAO ANTES!!!

    SEI QUE SEI LA SO QUERIA AJUDA SABE PORQUE E O SEGUINTE EU JA FUI AO PSIQUIATRA MAS SEI LA NAO ENTRA, EU ME ACHO UM PSICOPATA OU ALGO DO TIPO POR TER ESSES PENSAMENTOS PRIMEIRO DEIXA EU CONTAR O QUE ACONTECEU COMIGO SEI QUE PODEM ME JULGAR MAS TO NEM AI, QUERO SABER PELO MENOS OQUE SOU ,COMEÇAR PELO INICIO:

    ATO 1: QUANDO TINHA 11 ANOS E MINHA IRMA 5 ANOS SIM TOQUEI NELA , UMA NAO VARIA VEZES NAO LEMBRO, E QUASE FIZ ALGO PIOR GRAÇAS A DEUS ALGO NAO DEIXOU, MAS EU LEMBRO DE UMA CENA DE EU JURANDO PRA MIM MESMO AINDA QUANDO TINHA ESSA IDADE QUE NAO IRIA MAS FAZER ISSO , E ISSO SE SEGUIU E PONTO, PASSOU NUNCA MAIS FIZ NADA DESSE TIPO .

    AGORA COM MEUS DEZENOVE ANOS CONHECI UMA GAROTA EU ERA DAQUELES QUE PEGAVA VARIAS MENININHAS GARANHAO, MAS QUERIA NAMORAR ENTÃO FIQUEI COM ELA ELA ERA DA IGREJA E TALS, A SIM FUMAVA MACONHA E TINHA RECENTEMENTE LARGADO DE UM VICIO HORRIVEL EM COCAINA, ELA ME MOSTROU QUE ERA RUIM E PAREI DE FUMAR, E COMECEI FREQUENTAR A IGREJA , NAO SEI SE FOI POR ISSO NAO SEI , SO SEI QUE FOI POR AI, COMEÇEI QUERER SER BOM EM TUDO , TUDO MESMO ,(AH ANTES CONFESSEI A MINHA MAE O QUE FIZ COM MINHA IRMA ME PERDOU E DISSE QUE EU ERA INOCENTE NA EPOCA E ATE ACHO QUE SIM)CONTINUANDO NAO SEI NAO PODIA FAZER NADA ERRADO, COISAS QUE SEI LA DEVE SER NORMAL, SE TINHA DUAS PESSOAS CONVERSANDO NAO PODIA OUVIR FICAVA NA MINHA MENTE ( NAO OUVIR CONVERSA ALHEIA NAO OUVIR CONVERSA ALHEIA) ERA LOUCO SOFRI , COMECEI TAMBEM ACHAR QUE NAO PODIA OLHAR MAIS PARA MULHERES PORQUE ERA ERRADO COMO IRIA ME SENTIR SE ELA O FIZESSE , ERA A MESMA COISA (NAO OLHAR, NAO OLHAR), QUANDO TINHA UNS 13 ANOS UM CARA ME ABUSOU NO TREM, E COMECEI ACHAR QUE SERIA A MESMA COISA, SERIO NAO CONSEGUIA SENTAR AO LADO DE ALGUEM, NAO CONSEGUIA FICAR AO LADO DE ALGUEM, DOÍA!
    GOSTAVA DE LER ANTES SOBRE SERIAL KILLERS , TIPO SEI LA LI ALGUMA VEZES, E COMO ACHEI QUE ESTAVA VIRANDO UM LOUCO FUI QUERER SABER SE PODIA SER ASSIM TAMBEM, MEIO QUE SO PARA TER CERTEZA QUE NAO , SABIA QUE NAO, MAS PRONTO SO FOI VER AS HISTORIA QUE COMECEI ACHAR QUE ERA PSICOPATA TAMBEM , E TUDO QUE EU ACHO QUE SOU TENHO QUE ANALIZAR IMAGINAR A CENA PARA EU PODER ME CERTIFICAR QUE NAO AS VEZES ME AJUDA VEJO QUE NAO É MAS AS VEZES FICO NISSO UMAS 2 H E NAO SAI UMA RESPOSTA E INCRIVEL , VEJO CRIANÇAS (POR FAVOR NAO ME JULGUEM TANTO NAO QUERO SER ISSO , PREFIRO SE TRANCADO MESMO SENDO MUITO TRISTE , AO FAZER ISSO\) E JA VEM VOCE PODE SER ISSO , COISAS QUE ANTES NAO VIAM NA MINHA MENTE, E LA VOU EU ME CERTIFICAR, E HORRIVEL MAS MEU NAO SEI OQUE FAÇO MAIS , FUI AO PSIQUIATRA ELE DISSE QUE TENHO TOC NAO SEI, NAO ACREDITO , QUERIA ACREDITAR QUE SIM NAO QUERO SER UM PSICOPATA LOUCO , QUERO SER BOM, OUTRA COISA E A MUSICA AMO MUSICA MAS DEPOIS QUE DECIDI LEVAR COMO PROFISSÃO NAO TENHO PRAZER MAIS TIPO SEMPRE QUE PASSA UMA MUSICA NA TEVE PRECISO ME CERTIFICAR QUE GOSTO REALMENTE E QUANDO EU SINTO UM MINIMO PRAZER EU PARO PORQUE JA DESCOBRI QUE GOSTO , E HORRIVEL, ME SINTO MAL POR CANTAR BEM E QUERER MOSTRAR PORQUE LI QUE VOCE NAO PODE QUERER SER BOM , SEI QUE E LOUCURA MAS AGORA NA HORA QUE CANTA VEM ISSO A E A SENSAÇÃO ENTRANHA NO PEITO SEMPRE , SEMPRE, QUANDO OUÇO MUSICA , QUANDO PENSO E PENSO POR HORAS NESSAS QUESTÕES E FODA! SERA QUE SOU MAL MESMO ESTOU CONDENADO A SER ISSO PORQUE VEM PENSAMENTOS ASSIM " ESSES CARAS NAO TIVERAM CULPA POR SEREM ASSIM , PORQUE NAO POSSO SER ISSO TAMBEM" E ISSO FICA GIRANDO, MAS QUE MERDA E ESSA ISSO E NORMAL PENSAMENTOS DE TOC QUE ESTOU COM MEDO , PENSEI EM ME MATAR HOJE , QUE MERDA SORTE QUE MINHA MAE ME AJUDA , MAS NAO FALEI QUE QUERIA , SO QUIS FICAR DEITADO , ME AJUDEM, CLARO SE NAO ME ACHAREM UM LIXO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. WILLIAN PEREIRA02 novembro, 2012

      O QUE GOSTARIA DE SABER SE ISSO E COMUM EM QUEM TEM TOC , OU QUE MERDA E ESSA!!! ME AJUDEM POR FAVOR NAO ME CRITIQUEM SEI QUE DISSE AQUILO ACIMA MAS POR FAVOR NAO ME DEIXEM PIOR DO QUE ESTOU!

      Excluir
  20. WILLIAN PEREIRA02 novembro, 2012

    UMA COISA ESTRANHA E QUE DOS ONZE ATE OS DEZENOVE EU NEM LEMBRAVA MAIS DO QUE EU TINHA FEITO ,NAO VINHA NA MINHA MENTE, LEMBRAVA EU ACHO NAO SEI MAS NAO ACHAVA QUE IRIA FAZE -LO DE NOVO OU SEI LA ,A REALIDADE E QUE NAO IMPORTAVA, VIA UMA REPOSTAGEM NA TV SOBRE PESSOAS RUINS FALAVA" QUE FDP" E IA FAZER OQUE DAVA NA MINHA MENTE, HOJE NAO FICO ME PERGUNTANDO E CRIANDO A CENA PARA VER SE SERIA CAPAZ SEI LA, OQUE SERA ISSO MEU DEUS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Willian, que é ruim de verdade, pervertido ou gosta de praticar o mal não se preocupa com isso. Um pedófilo não fica se perguntando se isso é errado ou não, mesmo sabendo que é errado ele faz. Uma pessoa que prejudica as demais deita com a cabeça em seu travesseiro e dorme em paz porque ela não se importa com as pessoas que ela prejudica. Se vc se questiona e procura se certificar se vc é ou não uma pessoa ruim com certeza vc não é pois se fosse não daria a mímina para isso. O TOC é a doença da dúvida. Ela gera muitas dúcidas em nós. Dúvida se fechamos o gás, apagamos a luz ou fechamos a porta de casa. Dúvida se lavamos a mão direito e não vamos pegar uma doença. Dúvida se nosso chinelo está alinhado corretamente e duvida se não vai acontecer algo de ruim com alguém se não alinharmos o chinelo.
      Se um profissional disse que vc tem TOC é porque provavelmente tem, não fique com essa dúvida. Se vc não acha que tenha procure mais um ou dois profissionais para ver o que eles dizem. Se realmente for diagnosticado com TOC faça o tratamento com remedios e terapia e se vc melhorar é porque realmente tem TOC.
      Errar todos nós erramos uma vez mas o importante é reconhecer o erro e não querer errar novamente.
      Abraços

      Excluir
  21. WILLIAN PEREIRA04 novembro, 2012

    Estou melhor agora ,conversei e converso muito com minha namorada sobre esses assuntos e minha familia tenho a sorte que eles me entendem, obrigado pela ajuda, o problema e que tenho muita duvida sobre o toc ainda , ela e sim a doença da duvida , mas o que me deixa com duvida sobre seu eu tenho e porque como voce disse voces duvidas sobre essas coisas sobre chinelo alinhado essas coisas , eu ate ando na linhas retas mas se faço força nao da aquela angustia como por exemplo tipo eu amo musica e comecei a me dedicar muito porque oque gosto me dedico mas parece que uma dedicação que e so no começo porque depois como aconteceu com a musica sempre que vou ouvila vem aquelas perguntas varias sera que gosto , vou tentar gostar vou ver, so depois que essa coisa "saem" da mente que eu percebo tipo - Nossa estou curtindo! voce entende? rsr e meio louco ne, tipo se minha tecnica esta perfeita tudo bem , mas por exemplo cheguei na festa na casa da minha namorada peguei no violao para ver se esta em dia , meu se nao estiver MALUCO nao consigo fazer nada se nao arrumar a tecnica e louco so penso ARRUMAR ARRUMAR ,mesma coisa tenho que saber o que sinto sobre isso , mesmo nao querendo fazelo meu muito ruim isso, amigo desculpa aee pelo tempo gasto seu sei que voce deve ser uma pessoa ocupada de+ , mas peço se voce tem alguma leitura para me informar sobre , agradeço demais pela ajuda , abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu camarada, quanto mais vc se preocupar com isso pior é. Pode ter certeza que muitos dos pensamentos obssesivos que vc tem eu tive e as vezes tenho. Tinha pavor só de imaginar que poderia agradir alguém ou se todas aquelas coisas que pensava saíssem da minha cabeça e se torna-se real. É extremamente díficil lhe dar com isto, quantas vezes eu chorei por conta destes pensamentos, com medo de me tornar um louco, de trazer problema para minha família, que minha namorada não ia me querer mais porque eu estava louco. Sofri de maiso mês de outobro e novembro do ano passado (2011), foram os piores de toda minha vida, minha mente voava em cada coisa, que não dá nem para explicar. Estava empenhado em melhorar, primeiro passo troquei de psiquiatra (a outra que tinha além de não me ouvir por cinco minutos, não acreditava em mim e só me jogava alta dosagem de remédio), fui a outro médico que me tranquilizou conversou bastante comigo me explicou o tratamento e como funciona a medicação e também procurei um psicologo (não tinha consições de pagar mas fucei toda a internet atrás de clínicas com preços acessíveis e que tivessem bons profissionais em minha cidade). Continuo o tratamento com os dois e pretendo não parar enquanto eles disserem que eu deva, pois o ponto que cheguei era muito parecido com o seu, mas me tratando hoje estou 100% melhor do que estava a um ano atrás (quero ficar 200%), sei que ainda não estou curado do TOC, pois ainda penso em muitas coisas estranhas e tenho umas manias que não param, mas o importante é que estou melhor. Procure se informar sobre o TOC, na net existe muito material, fora as obras sobre o assunto. Acredite em você e que não é a pessoa que sua mente faz você pensar que seja, tenha fé muita fé e além disto mantenha o seu tratamento sem parar com a medicação e as consultas. Espero ter dado alguma ajuda, Abraço

      Excluir
    2. Willian, é absolutamente compreensível a sua angústia. Muitas vezes, acredita-se que o TOC simplesmente nos faz ter manias diversas, a exemplo de organização e limpeza excessivas, alinhamento, modo de andar (em linha reta ou sem pisar nas linhas) e pronto. Algumas pessoas podem até pensar que todo mundo que tem TOC tem apenas manias, mas não sabem que a execução desses "rituais" são para nos livrarmos de pensamentos que nos deixam ansiosos! Só que tem o seguinte: às vezes o TOC faz isso mesmo que vc descreve com tanta angústia. Ele nos faz ficar repetindo aquele pensamento até nos convencermos de uma ideia. O TOC não se resume à manias específicas. Ele mexe com os pensamentos e muitas vezes usamos o pensamento para nos livrar de outro pensamento! Não se desespere! Isso é TOC! NÃO É O FIM DO MUNDO! Tem tratamento! E que bom que as pessoas que vc ama compreendem e estão ao seu lado! Não pense besteiras como acabar com a sua vida! A vida é um presente divino! Quantas pessoas tem sua vida ceifada de formas tão trágicas? Então não desperdice a dádiva que é viver, ter a chance de lutar para ser feliz! Ilumine o seu coração! Acredite e vença o TOC! Busque ser mais forte! Vá tentando resistir aos poucos que conseguirá evoluir com certeza, com fé e esperança! Há tratamento! Confie nos profissionais que querem te ajudar! Deus te abençoe! Felicidades!!!

      Excluir
    3. William não podemos dizer se vc tem TOC ou não, isso é para o psiquiatra, acredito que seja bom procurar outras opiniões se vc não sentiu confiança na consulta. Apesar de não podermos dizer oq vc tem, parece sim um TOC bastante severo. Eu já tive várias vezes pensamentos agredindo crianças e quem está ao meu redor me senti péssimo. Como parece que o TOC bate onde mais dói, por vc não querer machucar as crianças estes pensamentos vem mais à sua mente. Pelo que li e por minha experiencia estes pensamentos não se realizam, sei que isso não te alivia, mas é bom saber. Boa sorte amigo, frequente o blog e faça esta "terapia de grupo", acredito que ela ajude. Fique com DEUS!

      Excluir
  22. Desde dos 8 ou 10 anos de idade tenho esta doeênça chamada Toc. Hoje tenho 48 anos e até hoje não consegui me livrar desta mau que me atormenta desde quando eu acordo ate a hora de dormir. Minhas manias são diversas e todas relacionadas a números. Todas elas tem de ser contadas de acordo com o número que escolho. Por exemplo: hoje é cinco e se eu fizer 4 vezes penso um tanto de coisa ruim que imediatamente faço a 5º para me sentir aliviado, mas aí 2 minutos depois tenho que fazer tudo de novo, é muito desgastente. Nunca consultei nenhum especialista por vergonha e também por não acreditar que ele irá resolver.Sinceramente não sei mais o que fazer,as vezes penso em me matar por medo de que um dia meus pensamentos acabem matando as pessoas que mais gosto. Sei que não tenho poderes para isso e jamais desejaria mas é difícil de controlar a mente sofrendo deste distúrbio.Não tenho muitas esperânças que um dia terei a cura e meu maior medo é de que quando eu morrer minha alma leve este carma junto comigo. Em muitos blogs algumas pessoas aconselham a buscar Deus mas nem é preciso nos aconcelhar, é claro que todos que sofrem desta doença já buscaram Deus umas mil vezes e com certeza a maioria não deve ter conseguido pois não se trata apenas ter fé e força de vontade, mas de sintonia e equilíbrio da mente que não é uma simples tarefa quando tem esta doença, quem tem sabe do que eu estou falando. No mais sinto até um pouco aliviado quando vejo aqui vários relatos pois além de saber que não estou sozinho neste barco morro de rir pois muitas manias aqui são iguais a minha.Desejo a todos que sofrem do Toc que algum dia os incopetentes da medicina descubram a cura e nos livrem deste calvário. Robson Braz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Robson sei como é, também tenho toc e sofro muito com isso, é verdade que ainda não existe cura, mais existe tratamento psicológico e medicamentoso aconselho vc a procurar um psicologo e também um psiquiatra, eu estou fazendo tratamento com ambos e realmente funciona, estou longe de estar curada mais posso lhe afirmar que já estou bem melhor, sei o quanto é vergonhoso mais hj o toc já está mais conhecido e a maioria dos psicólogos já se especializaram no assunto, outra coisa que me ajuda muito é fazer coisas que eu gosto como por exemplo sair passear me divertir fica em casa e se isolar só piora, desejo melhoras, um abraço.

      Excluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Pessoal, estou em época de vestibular e acredito estar muito mal psicologicamente. As manias me fazem passar vergonha, as vezes me sinto muito louco, tenho pensamentos estranhos contra humanos. A ansiedade esta tão grande, que no dia do ultimo vestibular que fiz, não dormi a noite inteira. Já me envolvi com maconha. será quue o fato de eu ter escolhido o curso mais dificil (medicina) esta inluenciando na violencia da doença?
    Tenho usado outras drogas, o que me atrapalha muito no cursinho. Mas mesmo assim, apesar de nao ter estudado absurdamente por causa dessa doença, consegui uma boa posiçao e posso conseguir uma chamada complemenar. Estou absurdamente ansioso para ver se vou ser chamado, e apesar de todos falarem que serei chamado, as vezes a angustia e tão grande, que nao acredito em mais nada.
    O que posso fazer pra ter mais controle sobre mim?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na minha humilde opinião, acredito que deveria parar com as substâncias que alteram a neuroquímica do seu cérebro. Vc como candidato de medicina deve saber que cada organismo reagem diferente as este tipo de coisa. Dependendo do tipo de substância que estiver utilizando é lógico que sua ansiedade vai ficar no pico, pois elas "estimulam" com sensação de prazer e energia. As obsessões são difíceis de lhe dar, mas se ajude primeiro para se livrar delas. No meu caso o estresse e a pressão contribuem bastante para o aumento da ansiedade e dos pensamentos obsessivos. Boa sorte nas provas!

      Excluir
  25. Nossa Miguel, adorei seu blog! Tenho TOC também desde criança, sofri muito com isso por anos, até encontrar uma boa terapeuta e um medico super bacana que me ajudaram a melhorar essa condição! Hoje em dia já é bem mais controlado, mas também ja passei por situações horriveis, e na verdade quase surtei em função dele ser tão severo. Mas hoje estou super bem, tomo meus remedios, faço minha terapia, e consegui melhor e muito a minha qualidade de vida. A verdade é que para se vencer esse problema precisa de muita perseverança e paciência. Não é facil mesmo travar lutas diárias e constantes com a sua própria mente, só quem tem TOC sabe disso. Mas achei legal sua iniciativa Miguel de fazer um blog comentando sobre esse assunto, até hoje nunca tinha encontrado um blog onde a pessoa que o escreve também tem a coragem de descrever os seus TOCs, medos e ansiedades! Parabéns pelo trabalho, além de estar ajudando a si mesmo, ajuda a todos nós portadores de TOC a seguir em frente e vencer nossos desafios!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Ana, fico muito feliz que tenha gostado do blog. Eu nunca tinha visto um blog ou qualquer outro site que falava sobre o TOC por isso resolvi criar. Depois descobri o site da UFRGS que fala sobre o TOc mas expor os rituais e manias nunca achei.
      Espero que volte mais vezes e que contribua com seus relatos
      Beijos

      Excluir
  26. Boa noite amigos! Tenho TOC desde que me conheço por gente, apesar de só me "diagnosticar" há uns 2 anos. Me sentia o maior sofredor do mundo até ver que tem gente em situação pior. Bom o que posso dividir com vcs é que se lutarmos parece melhor. Acredito que temos que lutar para termos pensamentos positivos o tempo todo, mesmo quando estamos bem. Pensamentos como "Eu consigo", "Vai ficar tudo bem", "Vai dar tudo certo"... parecem "energizar", mesmo que as vezes não seja o suficiente, ou que eu "caia" novamente, eles fazem muito bem. É importante a persistência 100% do tempo pensamentos positivos para o resto da vida. Só que para ter estes pensamentos é preciso também estarmos bem no todo. É importante tentarmos ter uma vida equilibrada com alimentação correta, exercícios físicos, tentarmos evitar o stress. Sei que é complicado, mas temos que tentar para que tenhamos energia para manter o pensamento positivo. Não consegui até agora aplicar tudo isso por longos períodos, mas estou tentando e me parece uma boa forma de lutar. Acho q somado à terapia medicamentosa e a psicoterapia essa minha "teoria" possa ajudar. Alguém discorda? Fiquem com DEUS e vamos continuar nos apoiando através desse blog que foi o mais próximo que eu cheguei de alguém que me entenda. =)

    ResponderExcluir
  27. Esqueci de dizer... Nós vamos conseguir! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! É isso mesmo também me sinto sinto assim, e luto contra o stress. Posso estar ótima se aparecer qualquer stress entro imediatamente no toc é como se alguma coisa me segurasse ali onde estou verificando , e por nada consigo me afastar do que estou fazendo, fico irritadíssima, não quero ver, nem falar com ninguém naquele momento, mas já melhorei 80% e continuo a luta porque pretendo vencer esse desafio com a ajuda de meu psicólogo JESUS CRISTO.

      Excluir
  28. Visitei o seu blog! Bacana, Candida! Gostei da forma como expõe suas ideias! Escreve muito bem! Eu não sei como é descobrir que se tem TOC na vida adulta. A parte boa é finalmente ter diagnóstico para algo que a atormentou até então e vc não sabia do que se tratava! Eu sempre soube que tinha (tenho) desde criança!Parabéns pela iniciativa! É uma linda chance de ajudar e ser ajudada! Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  29. Quando eu era criança, eu disse a Deus: "Tudo que eu disser no pensamento é mentira!"

    ResponderExcluir
  30. Oi gente!

    Olha estou tendo problemas com minha família, porque eles não se interessam pela doença e como não conhecem,eles não me ajudam,e pelo contrário as vezes sem querer me induzem ao toc, alguém aí com o mesmo problema familiar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tente mostrar com exemplo as pessoas o que vc passa. No youtube exitem vídeos e na net alguns textos. E não tenha medo de falar com as pessoas mais próximas do que realmente se passa em sua cabeça, foi o que fiz e foi a maneira que encontrei de me compreenderem um pouco. Ah! Fuja do estresse, o TOC está mt associado a ele.

      Excluir
    2. Obrigada Ric , é verdade ontem me estressei para remover um programa do Pc e foi isso mesmo que aconteceu, tive um recaída brava entrei no Pc ontem as 11:00 horas caiu internet e eu não conseguia remover, ficou sem internet a noite toda, então fui obrigada a parar sob forte ansiedade, resultado levantei hoje 07:00 da manhã e terminei agora estou exaustaaaaaaaaaaa.São 19:00 da segunda- feira

      Excluir
  31. Bom, eu tive TOC na infância,acho que hoje estou sofrendo as consequências com tanta ansiedade, medo de morrer, medo da morte ,é terrível!
    Quando eu era criança...10 aos 14 anos,eu tinha mania contar tudo q eu fazia.
    EX.Quando eu virava a roupa do lado averso, ficava várias horas contando quantas vezes eu fazia aquilo, era dominada por um pensamento de morte,se eu não fizesse aquele ritual.
    A minha família nunca percebeu,mas passei os piores anos da minha vida com aquilo.
    Hoje tenho 28 anos, sou casada ,não tenho filhos ainda,faço faculdade de Ciência da Computação,terceiro ano, sofro de ansiedade, medo de morrer a todo momento,já sai de 2 empregos pq não consigo ficar quieta,tranquila...
    Tomei paraxetina por quatro anos,agora os sintomas voltaram piores,talvez seja pq manipulava o remédio, não sei!
    Ontem consegui passar por um médico, q me receitou fluoxetina 40 mg e amitriplina 25mg,será que funciona?
    São tantas as tentativas , que só DEUS na minha vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anonima, sou formado em eng de computação, será que quem tem TOC gosta dessas coisas de doido? Coisas de computador? rs Eu tomei paroxetina e tb fluoxetina mas o que resolveu para mim mesmo foi a clomipramina. Espero que vc acerte logo o remédio e a dosagem para ficar livre da sua propria mente :)
      Beijos

      Excluir
    2. Olá Anonima, vc sumiu do blog? Não comentou mais?
      Espero que apareça outras vezes e que encontra um pseudonimo para conversarmos. Fiquei curiosi em saber como está sua faculdade de ciencias da computação
      Beijos

      Excluir
  32. Pessoal assistam está entrevista com um portador de toc e um psicologo. Ótima. Fiquei sabendo nela que existe uma associação para portadores de TOC

    Entrevista: http://www.youtube.com/watch?v=e5oAGSb_gt4&feature=related

    Associação: http://www.astoc.org.br/source/php/index.php#

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assisti a entrevista. Bem interessante. Ainda não explorei o site da Associação, mas parece ser bacana tbm.

      Excluir
    2. Olá Eterna. Visite o site da associação quando tiver oportunidade tem muita coisa interessante. Parece que para quem mora na cidade de São Paulo e na região metropolitana deve ser uma ótima opção se tornar associado.

      Excluir
    3. Vou visitar depois com mais calma e tempo. Obrigada pela dica!

      Excluir
    4. eu até queria fazer parte dessas associacoes, acho que ajudam, mas como anonimo, as pessoas podem ate desconfiar que vc tem TOC, mas quando elas so desconfiam e, sendo em um nivel ou grau baixo, as pessoas acham que vc é exentrico, um cara meio maniatico, mas tudo bem. a partir do momento que vc por la no teu facebook "curtir" uma pagina de TOC... vc pode ate acabar perdendo o seu emprego, amigos.... dificil.

      Excluir
  33. Sonhe com aquilo que você quer ser,
    porque você possui apenas uma vida
    e nela só se tem uma chance
    de fazer aquilo que quer.

    Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
    Dificuldades para fazê-la forte.
    Tristeza para fazê-la humana.
    E esperança suficiente para fazê-la feliz.

    As pessoas mais felizes não tem as melhores coisas.
    Elas sabem fazer o melhor das oportunidades
    que aparecem em seus caminhos.

    A felicidade aparece para aqueles que choram.
    Para aqueles que se machucam
    Para aqueles que buscam e tentam sempre.
    E para aqueles que reconhecem
    a importância das pessoas que passaram por suas vidas.

    Clarice Lispector

    ResponderExcluir
  34. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que tal vc se juntar aos demais portadores de TOC no facebook: Miguelito Obsessivo Compulsivo?

      Excluir
    2. Mas já estou lá com vcs, o que eu queria era adicionar somente pessoas com TOC mas deu certo.Até vou excluir o comentário acima.

      Excluir
    3. OPs! Não consigo excluir..........

      Excluir
  35. Olá. Sofro de toc há cerca de 15 anos. Já foi pior. Quase tentei suicídio, vivi sem relações afetivas e sem falar com minha família por cerca de 5 anos, porque tive depressão antes de descobrir que tinha toc, e me achava errada e perturbada. Mas hoje melhorei muito. Tinha sintomas de quase todos os tipos: desde colecionismo, a pensamentos de ferir e verificações. Quase perdi o emprego, quase acabei com a vida da minha família e quase perdi a vida mas após anos de terapia e medicamentos melhorei. Nunca, porém, deixei de ter o toc. Quando minha ansiedade aumenta, por problemas que tenho de resolver ou memórias que me afligem, tenho crises horríveis e me sinto incapaz de um dia vir a ser feliz, embora normalmente eu consiga ser uma pessoa vista como otimista e alegre. Sei que o Toc tira o melhor de mim. Recentemente deixei meu namorado, que me amava muito, porque não queria faze-lo passar a vida ao lado de alguém que tantas vezes adoece. Este ano mudei radicalmente minha vida, abandonei um emprego que não gostava e comecei este ano a faculdade que sempre quis fazer. Tenho bons períodos, mas momentos de crise como este. Não tenho tomado remédios porque não gosto de tê-los em casa, são uma arma para mim quando estou em crise. E hoje, vez que deixei meu emprego para voltar a estudar, estou vivendo com um emprego que paga pouco e não tenho jeito de fazer terapia. Estou vivendo com minha propria força, e hoje, em que ela havia me faltado completamente e que estou chorando desde o amanhecer, encontrei este blog e ler os depoimentos de outras pessoas que também tem suas vidas "atrapalhadas" por este inimigo me fez me sentir menos sozinha. Sei que é facil ser feliz porque vejo beleza e alegria em tudo, apenas penso as vezes que tenho essa nuvemzinha escura que são os pensamentos obssessivos que tenho medo que jamais me deixem viver a vida dessa forma linda que sei que ela existe...
    Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Querida, saiba que todos temos essas recaídas como vc tem. Até uqem está curado do TOC tem umas recaídas de vez em quando, Diferente do alcoolismo em que vc se segura e não coloca nada bna boca para não ter uma recaída, com os pensamentos não dá para fazer isso. Eles vem e vc não consegue lidar com eles de vez em quando.
      Toda vez que tiver uma recaída pode desabafar aqui mas não se esqueça de contar as bençãos tb :)
      Beijos

      Excluir
  36. É assim mesmo querida, eu também me sinto assim,também me isolei porque não conhecia a doença, também achei que não valia a pena viver........... mas hoje apesar de morar num lugar onde não existe tratamento, me trato sozinha com livro "VENCENDO O TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO",decidi fazer do TOC um desafio que venço em um dia de cada vez com muita paciência, como diz nosso amigo Ric acima o estresse é realmente nosso inimigo.SE tiver Facebook me add(Dorotéia Obsessiva Compulsiva)Tamu junto!

    ResponderExcluir
  37. Oi Miguelito,
    Eu só queria felicitá-lo pela sua maneira tão gostosa de escrever e contar as suas histórias. Eu também sou portadora de TOC e sei que é uma vozinha extremamente irritante que temos na nossa cabeça (principalmente em momentos de estres e TPM como bem vc refletiu um dia que devia ser horrivel para nós mulheres portadoras de TOC nesse periodo), então eu confesso a vc que apesar de tudo, apesar de sofrer com esse chato na minha cabeça e saber que vc também o sofre, consigo dar umas boas risadas (!) sim, risadas! Porque eu me vejo refletida neles e eu sou consciente do absurdo e irritantes que são! E bom, como te falei por causa do seu jeito tão gostoso de escrever.
    Felizmente tenho os meus altos e baixos. Posso rir desses estúpidos rituais quando estou em um momento alto, onde eu consigo fazer as minhas "comprovações" umas poucas vezes mas não o suficiente para atrapalhar a minha vida...
    O pior como vc já falou nesse blog alguma vez, é aqueles olhares de preocupação, reprovação e que pensem que vc simplesmente esteja querendo chamar a atenção. Nossa pra isso preferia por um abacaxi na cabeça...
    Eu só tenho me tratado com remedios homeopaticos e tem me ajudado um montão, mas também o seu blog porque vc deve sae=ber tanto como eu, como é mais fácil tentar esconder esse trastorno dos nossos familiares e amigos.
    Bom amigo, é isso, obrigada pelo seu blog.

    ResponderExcluir
  38. kkkkkkkkkk.....
    Mto bom o relato,
    Eu também tenho TOC, chamo-me Vinícius, 24, advogado.

    Fui diagnosticado com TOC há 4 anos, mas posso dizer que sofro do mal desde os 13 anos, não possuo manias, para dizer que não possuo, possuo sim, não consigo olhar um carro sem ter que olha a placa dele, rs.. Mas isso não me atrapalha. =D

    A minha primeira crise foi por volta dos 13 ou 14 anos, comecei a pensar que era homossexual, simplesmente por conseguir distinguir a beleza feminina e masculina. Rs.. Venho de uma família machista, nunca tinha escutado o meu pai pronunciar que “tal ator” era bonito, nem mesmo “pinta”, porém, no dia que eu vi um homem e o achei bonito, pronto, o meu mundo caiu. Passei meses com aquele pensamento invasivo em minha mente, praticamente não dormia, perdi a fome e etc.
    A minha segunda crise, essa quase me matou, foi por volta dos 16 anos, quando tive a minha primeira relação sexual, rs..., fiz tudo certinho, com preservativos e etc, mas quando terminei o serviço, logo veio o pensamento, você está com HIV, nossa, foram meses ou anos pensando que eu poderia ter HIV, passavam 1000 coisas pela minha cabeça como: a caminha ter estourado e eu não ter percebido, ou então, a pessoa ter a furado somente para me transmitir o virus... rs... e por ai vai...
    Atualmente, quase todas as minhas crises estão relacionadas à saúde, já tentei terapia, mas não consegui, a única coisa que me salvou foi o paxil (paroxetina), mas estou fazendo algo errado, não estou indo ao médico, quando tenho as minhas crises, tomo, e depois, vou diminuindo as doses até parar. Mas admito que tenho que procurar um terapeuta de verdade.
    No meu caso, quando estou em crise, os pensamentos são tão fortes e invasivos que não consigo distraí-los por nehum segundo, passo dias com aquilo na cabeça, desde o momento em que acordo, até a hora de dormir, torno-me um escravo dos mesmos, não consigo fazer nada, ao ponto de começar a ter dores de cabeça por tanto pensar.
    Enfim, nossas manias são hilárias, mas quando enfiamos algo em nossa mente, não há nada neste mundo que nos faça parar, parece-me que o óbvio é largado ao relento, ao mesmo tempo que sempre encontramos meios e caminhos para o absurdo.
    Neste tempo, o que pude perceber, é que devemos nos tratar sim, mas nunca parar de viver por conta do TOC, temos que buscar a felicidade de hoje e nunca condicioná-la a um evento futuro, por qualquer que seja.
    Eu sofri muito com o TOC, principalmente quando não sabia de sua existência, mas por mais incrível que possa parecer, o TOC me ensinou a ser mais responsável, enfim, vamos q vamos....

    Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Vinícius, minhas obsessões são idênticas a sua, hipocondria, quando sismo que estou doente... Estas semanas mesmo estou numa dessas, e tenho me segurar para não ficar viajando nisso, para não ter ansiedade, mas é difícil, em fim.... É derrotar um leão por dia.

      Excluir
    2. Vinicius, tenho exatamente os mesmos pensamentos que vc, tudo o que vc descreveu fez/faz parte da minha vida: a questao da homosexualidade, do HIV, de nao ter fome, de querer morrer... Hj estou melhor, Gracas a Deus, mas como diz o Ric, eh uma luta a cada dia.
      beijos, fique bem, tem muita gente igual a vc e a mim.


      TOC princess(codinome...rs)

      Excluir
  39. vcs ja viram isso?

    http://envolverde.com.br/saude/diagnostico/memoria-e-autoconfianca-uma-nova-estrategia-para-tratamento-do-toc/

    ResponderExcluir
  40. Minha necessidade de dedicar minha atenção à coisas que realmente não me interessam é algo um tanto quanto incômodo, para dizer o mínimo. A caixa de entrada do meu e-mail estava repleta de mensagens não lidas (140 para ser mais exata) Anúncios, mensagens bonitas, piadas, correntes que não podem ser quebradas sob o risco de acontecerem tragédias incríveis (ah, se eles soubessem quantas ações já pratiquei para evitar essas tragédias anunciadas sem nem mesmo precisar de tais mensagens). Enfim, seria muito simples se eu simplesmente excluísse os e-mails não lidos (os mais antigos eram de 2009). Fui deixando para ler depois, depois e depois e simplesmente nunca li. Mas, ainda sim, não consegui simplesmente excluí-los. Alguns, de remetentes desconhecidos que fazem convites para a gente participar de suas redes sociais como se fôssemos amigos e outros de dicas do próprio sistema com novidades e etc, eu consegui marcar e deletar sem drama. Outras de mensagens (bonitas ou engraçadas) foi mais complicado. Ao ver o "assunto" não resistia. Precisava saber do que se tratava. No fim, fui clicando na seta de "próxima mensagem" e fui passando por todas. Dessa forma, as que não excluí pelo menos foram abertas e não constam mais como "não lidas" e realizei meu desejo de "zerar" a caixa de entrada. Os e-mails continuam lá em sua maioria, mas agora não consta mais que tenho 140 e-mails não lidos. Eu deixei os e-mails mais que antigos permanecerem pelo mesmo motivo que não os excluí antes: um dia quem sabe? se eu quiser poderei lê-los. Eu sei que jamais farei isso. Meu TOC me faz pensar que eu posso precisar das informações um dia, mas eu sei que não. Eu posso seguir em frente sem me condicionar àquelas mensagens. Mas, eu tenho essa dificuldade. Depois fui assistir a um vídeo, mas diante das listas de vídeos, não me continha e queria saber do que se tratava os demais títulos listados. Aí eu fechei a janela dos vídeos e vim escrever aqui, mas ainda reabri a janelinha para só então me dar conta de que não preciso disso e fechei de novo e pronto. Enquanto eu remexia essas informações que cada vez mais iam me envolvendo, eu pensava: "Mas eu não preciso disso! Não preciso saber disso" Mas, por que eu tô insistindo então?" E, agora, a tarde está acabando e algo realmente importante a que eu precisa me dedicar, não recebeu minha atenção. Mais cedo, eu vi uma matéria que falava sobre a internet ser a responsável pela queda da produtividade no trabalho, uma vez que a pessoa pode ter vários aplicativos abertos e acabar não se dedicando ao seu trabalho e questionava "você se sente ansioso?" (não, imagina). Mas, eu não tô culpando a internet por ter perdido tanto tempo. É o TOC que me faz condicionar minha paz a essas coisas as quais vou me prendendo e nunca têm fim. Qual não é minha surpresa a me dar conta que faço coisas do tipo desde criança. Quando precisava consultar o dicionário sobre o significado de uma palavra, eu não consultava apenas a tal palavra. Eu via outra palavra que me chamava a atenção e me empolgava descobrindo também os significados dessas.
    É um pouco difícil lidar com tudo isso! Por vezes, vou dormir com a certeza de que não tem jeito e que tenho que me contentar com essa realidade. Acordo com a esperança brotando diariamente em meu coração. Me desespero, meio que silenciosamente, algumas vezes, murmurando que cansei do TOC, cansei de lutar... Mas, contendo minha lágrimas com raiva, percebo que sigo adiante e me dou conta de que estou lutando, que continuo lutando! Me refugio em minha fé! DEUS acima de tudo! Me refugio no amor, na esperança, na amizade, na certeza de vocês aqui (virtualmente) e na certeza das pessoas aqui (não virtualmente)!

    ResponderExcluir
  41. TEM MAIS:

    E acredito nas palavras do meu livro preferido (Só o Amor é Infinito-Lauro Trevisan): "Naquele dia, desaparecerão os conflitos, as crenças, as paixões, e sobrará apenas o amor. Porque só o amor é infinito!" Então, nesse dia o TOC também desaparecerá, porque precisa existir uma razão para tanto luta. E, assim meu coração vai se acalmando na certeza que não vai ser uma porcaria de transtorno que vai determinar as condições para a minha felicidade! Me fez bem escrever! Talvez o sentido de tudo isso seja o encontro de todos nós aqui na tarefa de sermos solidários uns com os outros. Pois nos entendemos mutuamente! Fiquem com DEUS!

    ResponderExcluir
  42. Respostas
    1. Amém! Obrigada!

      Excluir
    2. TOC TOC... Tem alguém aí?
      As coisas se complicaram. (suspiro). Ignorei acho que completamente o TOC hoje. Estou tão preocupada com as coisas que surgiram que o TOC perdeu a vez. Eu devia estar feliz? Estou com vontade de sentar e chorar. Simplesmente. Mas não posso! Eu supero! Vou ficar repetindo isso! Pra ver se eu acredito! Boa noite!

      Excluir
    3. O que foi querida Eterna? PAra vc ignorar o TOC é porque algo grande mesmo aconteceu. Pelo tom de escrever parece que é algo que vc deveria ficar feliz mas ficou preocupada. Estou aqui para te ajudar ( se eu puder)
      Beijus

      Excluir
  43. Oi, Miguelito! São preocupações do cotidiano. Mas parece que nesse meio tempo em que escrevi aqui, as coisas começaram a mostrar possibilidade de solução. O que aconteceu me deixou preocupada e hoje de tão preocupada tive que passar por cima do TOC, mas a preocupação de deixou tão ansiosa que não deu chance de ficar feliz por estar ignorando o TOC. Você já me ajudou, respondendo meu grito! Estou melhor! Uma coisa de cada vez!

    beijos e obrigada!

    ResponderExcluir
  44. Eterna, este nosso "amigo" é uma cara complicado, eu achando que o meu foi embora, pois fiquei mais de dois meses sem ter ansiedade e com leves pensamentos estranhos, agora de duas semanas para cá ele bateu na minha porta querendo voltar e estou me segurando bastante para não abrir a porta, porque quando ele entra faz uma bagunça danada, aumenta a minha ansiedade fora a devassa que ele faz nos meus pensamentos. A força do bater na porta deste "amigo" só piorou está semana, mais precisamente na terça-feira, quando por volta das 23h estava no ônibus a caminho de casa e vi uma senhora de cabelos brancos, suja e com roupas velhas sentada na terra em baixo de um viaduto, não sei, mas me pareceu que ela não tinha a minima noção da realidade ou do que estava acontecendo. Com uma das mãos ela mexia a terra e com a outra mão punha algo na boca, que não dava para saber o que era. Fiquei tão triste e chocado com aquela cena que meus olhos encheram de lágrimas, fiquei pensando como o as pessoas são crueis, pois o mais provável é que ela tenha sido abandonada por um parente que não queria cuidar de alguém. Segui minha viagem pensando naquilo e desde então a ansiosidade aumentou... Em fim, aquilo que mexe com nosso emocional faz este "bendito amigo" chegar cada vez mais perto... Nos alegremos a vida é assim um dia de cada vez e até mesmo as pessoas "normais" têm seus dias de autos e baixos, então porque razão nós que somos "diferenciados" dos demais também não podemos ter?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ric! Eu já respondi esse comentário antes, mas não estava em condições de responder e não falei tudo o que eu queria. Estava um pouco triste e hoje estou ainda. Não é nada com o TOC. É outra situação que estou vivenciando, mas vai passar, em algum momento eu supero. É fichinha comparada ao TOC.
      Primeiramente, eu não o chamo de "amigo", nem mesmo entre aspas. Para mim o TOC é um "inimigo fiel", pois mesmo sabendo que nós odiamos a sua presença ele persiste e nos acompanha durante anos, no meu caso desde a infância.
      Sobre a senhora que vc viu no caminho, eu sei bem como é. A minha vontade de mudar o mundo, de mudar as coisas sem ter os recursos necessários é imensa. Às vezes me questiono se essa vontade toda que muitos (TOCados ou não, falar igual vc, rs) sentimos existiria se tivéssemos condições de mudar as coisas. Então, minha mente revolucionária acredita que cada um de nós pode fazer um pouco, o mínimo que seja e já estaremos contribuindo e também existem pessoas que possuem condições financeiras e conseguem ajudar o próximo, mas o importante é fixarmos a certeza que não é apenas a riqueza financeira que tem poder transformador. Afinal, "mudamos o mundo ao mudarmos nós mesmos".
      Mas, para uma pessoa com ideias revolucionárias, eu sou muito acomodada, isso sim.
      Sabe, toda cidade tem seus loucos (sem querer ofender) e em cidades interioranas, por mais que essas sejam um pouquinho mais desenvolvidas, as pessoas convivem com esses loucos de modo que sabem o seu nome ou seu apelido ou os dois e se acostumam às suas presenças, passando a ajudá-los a sobreviverem nas ruas aceitando sua loucura. Pois bem, existe aqui um senhor assim, que vive nas ruas, alimentado pelas pessoas que não são seus parentes, com problemas mentais, que vive pacificamente em meio a nós... De vez em quando ele aparece limpo com a barba feita. Certa vez, eu vi dois covardes descendo de um carro e o agrediram com pedaços de pau. Dá para imaginar a minha indignação. Eu estava com a minha mãe e estávamos longe. Eu ainda gritei para não baterem nele. Quando passei na rua onde ele havia sido agredido, eu vi que seu sangue manchara o asfalto. O pior é saber a identidade dos agressores e que eles jamais conheceram e nem conheceriam punição, por questões de influência financeira. Mas, nem era isso que eu ia contar. Mas, acabei recordando e não teve jeito. O que eu ia dizer é que vendo sempre esse homem a viver nas ruas, me decidi e fiz um promessa que não saberia e nem sei quando irei cumprir: eu vou salvá-lo. Compartilhando essa ideia lá em casa, me disseram que não é possível que se faça grande coisa, porque ele tem família. Parece que nem sempre ele foi assim. Seu estado de saúde era melhor, mas parece que ele se tornou muito agressivo e a família perdeu o controle sobre ele. Então, nenhum órgão pode sequer recolhê-lo da rua para tratá-lo e medicá-lo. Eu passo por ele, às vezes sou obrigada a desviar, pois algumas vezes ele está com algum objeto e também vem pra cima das pessoas. Mas, ele é do bem. Ele apronta umas de vez em quando para se divertir, tipo fechar os registros de água das calçadas. Me faz rir e pensar que ele nem parece louco nessas horas. Minha mãe também gosta muito dele. Outro dia, disse que do nada ele abraçou uma senhora e a senhora foi bem paciente com ele. rs.

      Excluir
    2. continuando...

      Mas, a promessa eu terei que cumprir. Não sei como. Nem quando. Mas sei para quem prometi e jamais poderei voltar atrás, porque: eu prometi a Deus. Confesso que às vezes eu me questiono: como vou salvá-lo antes de salvar a mim mesma? Deus me mostrará. Essa senhora que vc viu, dificilmente a verá novamente, o meu louco particular eu vejo sempre. Mas aquiete seu coração. Desculpe estar voltando a esse comentário seu, talvez vc já tenha até superado. Se superou, melhor, mas vou falar mesmo assim, pois vc pode usar se acontecer algo parecido de novo. Se acontecer, reze, reze por essa senhora e por quem provavelmente a abandonou. Entregue a Deus. Há coisas que parecem diretamente fora do nosso alcance, mas se ao menos dedicarmos uma prece pedindo luz e intercessão para a vida de outras pessoas, com certeza ajuda, ilumina os caminhos e os corações de todos, inclusive o nosso. Quando vc puder fazer mais, faça, mas já adianta se importar. É como disse William Shakespeare: "Não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam!"

      Parabéns pela sua luta contra o TOC! Que Deus continue te abençoando na sua trajetória!

      Excluir
  45. Eu queria conseguir escrever algo bom hoje e agora! Até tenho coisas boas a escrever, mas perante minha desolação, só posso concordar que "as pessoas são cruéis".
    Eu não queria compartilhar isso, mas estou um pouco triste hoje! Eu não penso assim sempre, mas hoje é um dia atípico!

    ResponderExcluir
  46. Boa noite, alguém!
    Hoje, surpreendentemente começou a chover (chuviscar) a tarde! Fui tirar a roupa do varal. Não. Eu fui lavar as mãos para tirar a roupa do varal. Porque é assim que eu faço. E, demoro um pouco mais que o normal para recolher todas as roupas. Mas, realizo todo o processo no meu tempo, calmamente. Ainda bem que apenas chuviscava, porque se dependesse de mim para salvar as roupas, elas teriam molhado muito. Aí, quando finalmente consigo recolher todas, a chuvinha se dissipa. Eu penso: “Estamos no verão? É chuva de verão?” Em seguida, a chuva volta, só que mais forte e percebo que Deus me deu o tempo que eu necessitava para recolher as roupas e agradeço: “Obrigada, Senhor, por ter dó de mim!”
    Bom, já que falei em chuva e quem está na chuva é para se molhar, e também já falei da minha obsessão em lavar as mãos mais do que o normal, vou compartilhar sobre isso também. Eu aprendi, depois de muito tempo, a reduzir minha mania ao mínimo que eu consigo. Quer dizer, minha mente criou um mecanismo que super-rapidamente define os meus próximos gestos e quais me levarão à lavagem de mãos e, então ela cria a ordem de execução das atividades para que eu possa lavar as mãos ao final e uma única vez. Claro que com “uma única vez” eu estou me referindo à lavagem de mãos após as últimas tarefas realizadas, porque com certeza eu já lavara as mãos outras muitas vezes antes desse resumo. Minha mente que me aprisiona e sabota, também me ajuda ou me faz acreditar que me ajuda e assim me mantém cativa em meu TOC de lavar as mãos para que eu continue o executando cada vez mais intensamente.
    Quero dizer também que depois que comecei a compartilhar aqui no blog, tentando ajudar e mais sendo ajudada do que o contrário, eu sinto que melhorei. Parece que estou fazendo terapia em grupo!
    Fiquem com Deus! Bom final de semana a todos e muito obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eterna, ótimo seu desabafo. Tem dias que realmente somos reféns dessa coisa, acho que isso depende muito de como estamos emocionalmente ou dos nervos, se eles não estiverem tranquilos, uhm... Agora estou um pouco ansioso devido a uns pensamento invasivos chatos que as vezes aparecem, estou batendo de frente com eles, a briga da está feia, mas eles não vão ganhar de jeito algum. Interessante o mecanismo que vc desenvolveu, mas o ideal seria largar de vez a mania, mas o que faz já é um passo, agora só falta mais um...

      Excluir
    2. Oi, Ric! É verdade, têm dias que são mais fáceis que outros. Por exemplo, quando estou escrevendo e percebo que uma letra não ficou fechadinha (geralmente meu "a"), eu sinto a necessidade de consertar. Só de pensar, tentar descrever já me dá um pouco de agonia... Mas, existem dias em que estou disposta a passar por cima desse TOC e sei que se eu não voltar para consertar a letra, a ansiedade passa e eu esqueço, mas não é fácil, tem horas que olho a letra imperfeita lá, a ansiedade se manifesta novamente, mas consigo resistir (esse é um dia bom, em que mesmo lutando para não ceder ao TOC e ele tentando se vingar me deixando ansiosa, eu persisto e venço). Agora tem dias, por exemplo esses últimos, quando precisava estudar e acontecia esse episódio, eu não fazia a mínima questão de lutar contra, simplesmente consertava a letra e pronto, porque a tensão e preocupação com a prova já eram suficientes e eu não estava para ficar resistindo a um TOC medíocre como esse, então optei pelo caminho mais fácil (não me matou, não me fortaleceu, mas me deixou mais tranquila, eu acho). Na hora da prova, também não fiquei resistindo!
      Sobre os pensamentos: O pior dos pensamentos é isso: pensar sobre exatamente o que não quer. Parece que quanto mais vc luta, mais o TOC compreende o que vc abomina e volta isso contra vc.
      Sobre o meu mecanismo para lavar as mãos, na verdade não fui eu que desenvolvi propositadamente. A minha mente entendeu o que eu fazia e tentou facilitar as coisas para mim. Sobre deixar essa mania: Eu não consigo. A minha necessidade de lavar as mãos mais que frequentemente é algo que vai ser difícil de suavizar.

      Persista na sua luta! Eu estive triste esses dias, mas começa a surgir um arco-íris no horizonte para mostrar que a vida ainda é bela apesar de tudo e que vale muito a pena lutar por nossa felicidade, mesmo tendo que vencer tantos obstáculos!

      Excluir
    3. Obrigado pelo incentivo Eterna, a luta é diária e tenho procurado sempre vencer a batalha e é assim mesmo um dia de cada vez até conseguir derrotar o inimigo e vencer a guerra. Quanto ao que disse: "Sobre os pensamentos: O pior dos pensamentos é isso: pensar sobre exatamente o que não quer. Parece que quanto mais vc luta, mais o TOC compreende o que vc abomina e volta isso contra vc", muito embora seja difícil tenho feito o que meu médico sempre recomenda, deixa-los vir, bater de frente com eles e enfrenta-los, pois quanto mais nós tentamos fazer eles fugirem, correr deles ou tentar substítui-los com outros pensamentos, eles somente aumentam. Tenho somado a recomendação do médico com o que a terapeuta tem ensinado, confontar os pensamentos com a realidade, se ele procede, se tem fundamento, se é plausível e se faz sentido, como os pensamentos provocados pelo TOC não se enquadram no que acabei de escrever, tenho jogado na cara dos pensamentos do TOC, que eles não têm sentido, que são absurdos, não são palusíveis, não fazem sentido e não me fazem bem. Este confronto tem dado muito certo, muito embora quando me sinto com o emocional abalado, ou estressado a ansiedade volte com os pensamentos, queira me sentir fraco e me entragar procuro fazer isto que escrevi e ser mais e mais forte. Acho o que falta para nós "TOCados" é enfrentar os nossos abomináveis medos. É difícil? Sim! É muito difícil, mas não impossível.

      Excluir
  47. Meu toc é de verificação, organização e limpeza,se fico ansiosa não consigo me concentrar nas tarefas daí entro numas de repetir, e quanto mais repito mais ansiosa fico, agora tem uma coisa estranha porque ou estou ansiosa e sem tempo,ou sem ansiedade, com tempo, mas aí fico meio deprimida
    sem saber o que fazer com tanto tempo livre.Ando triste será que estou ficando deprimida?
    Deus abençõe a todos nós!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Doroteia, o tempo ocioso ajuda muito a aumentar a ansiedade, percebi isto há um tempo atrás. tenho procurado encher minha vida de atividades que ocupem meu cérebro positivamente, para refutar os pensamentos negativo. Não sei, mas faça uma atividade bacana, vá inventar receitas, fazer recortes, artesanato ou alguma coisa legal. Isso deverá te ajudar. Não pense em DP, isso não cola! Certo?

      Excluir
  48. Olá, pessoal. Tudo bem?
    Eu tenho 24 anos e TOC desde os 6.

    Além dos rituais, o que mais me afeta são os pensamentos obsessivos de culpa. O tempo to-do.
    Vou começar tratamento agora pela primeira vez.

    Mas gostaria de tirar uma dúvida: vocês sentem muitas dores de cabeça?
    Eu sinto praticamente todos os dias e dura horas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, M.G.!
      Pensamentos de culpa... vc está no lugar certo! O sentimento de culpa é tão frequente que nos acostumamos a ele. Eu mesma já me voluntariei como culpada vitalícia para tudo que dá errado lá em casa. Mesmo que a culpada não seja eu, eu sempre tive tanta culpa de tudo, que uma culpa a mais uma a menos para mim não fazia diferença. Assim, havia coisas pelas quais eu era mesmo responsável, tipo "quem pegou isso?", "quem mudou isso de lugar", rs, era meio engraçado, por mais que em determinada situação eu acreditasse veementemente que "daquela vez eu não estava relacionada com o assunto" percebia que estava sim ligado a mim, mas eram coisas do cotidiano. A culpa do TOC é outra coisa. É uma culpa desmedida e descontrolada. A culpa pelos pensamentos que julgamos proibidos, a culpa de ter pensamentos invasivos. O TOC é muito cruel, ele faz "gato e sapato" de você e ainda te deixa se sentindo culpada! É como pessoas que tentam manter uma dieta, mas não resistem a uma barrinha de chocolate e depois têm um sentimento de culpa imenso, mas pelo menos chocolate tem um gosto bom. E o TOC que lado bom tem? Nenhum. Tem a solidariedade entre nós, mas isso é uma coisa nossa, não é mérito dele.

      Bom, eu não sinto dores de cabeça. O TOC em si já é uma dor de cabeça, não é mesmo? Às vezes, quando fico ansiosa, tensa, sinto algumas partes do corpo doerem. Minhas articulações. Minha ansiedade me faz sentir dores às vezes, em meus antebraços, panturrilhas (eu falo batatas, mas quis escrever de um jeito bonitinho, mas batatas é mais bonito que panturrilhas, rs, sou louca!), parece que a tensão se concentra e dói. Mas, não sei explicar fisiologicamente a relação da dor com o TOC. Já que vc está iniciando o tratamento, vai ter a chance de esclarecer sua dúvida!

      Felicidades!

      Excluir
  49. Deve ser por causa dos pensamentos obsessivos, vc fica o tempo todo pensando, aí doi a cabeça, mas quem vai lhe dar o diagnóstico é o terapeuta.
    Deus lhe abençoe e um ótimo tratamento pra vc.

    ResponderExcluir
  50. Parabéns pelo sua coragem e altruísmo em querer ajudar outras pessoas, realmente o TOC trás muitos pensamentos que consideramos moralmente errados e isso vai de encontro com a nossa ética.É muito difícil, já passei por momentos muito difíceis. Meu TOC é de contar tudo que eu já fiz de errado(ou que eu julgo errado) para os outros. Por muitas vezes me sentí uma pessoa corrupta,má e que não merece ser nada na vida. Pensei muitas vezes em me suicidar mas descobri que esse não era o caminho para aliviar a minha dor, então procurei muitos profissionais que pudessem me dar alguma esperança de ter uma vida mais normal.Encontrei o Dr. Eurípedes Miguel que atende em São Paulo, ele é caro, pois tem a linha de atender poucas pessoas mas de dar mais atenção a cada caso, o importante foi que eu estava tendo uma crise há 8 meses e já não aguentava mais sofrer e depois de algumas semanas tomando o medicamento que ele me receitou e fazendo a terapia cognitivo comportamental, eu melhorei, estou há 2 meses quase que normal, conseguindo sentir fome e prazer na vida, não tem dinheiro que pague isso, por isso recomendo encontrarem um bom profissional:
    Segue o link do CV dele para quem interessasr:https://uspdigital.usp.br/tycho/CurriculoLattesMostrar?codpub=77A115218DC7
    Ele também faz parte de uma associação chamada PROTOC: http://www.protoc.com.br/
    Lá tem muitas informações interessantes.
    Para quem sabe ler em ingles tambem tem o :http://www.ocfoundation.org/
    que também achei muito bom.
    Rezo a Deus todos os dias para que achem um medicamento que dê alívio aos que sofrem desse transtorno.
    Mais uma vez parabéns pelo relato. Muito Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Anonima,
      Fico feliz que tenha encontrado de cara um ótimo profissional e o remédio que te fez melhorar. Remédios para o TOC são poucos, então dá para experimentar todos até acertas mas psiquiatras são milhares e muitos nem deveriam estar nessa profissão e não podemos experimentar todos até acertar rs.
      Já passei por vários mas encontrei uma psicologa excelente e isso tb é muito importante.
      Fique a vontade para contar suas aventuras, desventuras e principalmente suas batalhas vencidas contra o TOC pois essa é uma luta eterna, ganhamos algumas batalhas, perdemos outras mas o importante e não desistir da guerra contra o TOC
      Beijos

      Excluir
  51. Eu tenho um TOC assim: eu me deparo com um pensamento, uma ideia, uma imagem, uma situação, alguém, enfim, qualquer coisa que resulte em um pensamento mais obsessivo, do qual tento me livrar veementemente. Quando penso em lutar contra, desistir de insistir em tentar neutralizar aquele pensamento, penso que a ideia da qual não consegui me livrar virá à minha recordação em algum momento importante da minha vida. Eu penso que a "coisa" da qual não consegui me livrar se fará presente inoportunamente em algum momento, como no momento da contagem regressiva para o ano novo, no momento de uma conversa, quando eu estiver entrando na igreja para me casar... Enfim, eu penso que vou lembrar daquilo em algum momento em que isso não deveria acontecer e imagino que isso estará sempre presente e que vai surgir nas situações do meu dia-a-dia ou em ocasiões que podem acontecer bem no futuro. Eu sei que muitas pessoas fazem o ritual para se livrar do pensamento e da ansiedade, mas nesse caso minha luta é além, porque eu tento me livrar de uma lembrança para que ela não estrague as situações da minha vida, vocês entendem? O pior de tudo é que muitas vezes quando me acontece algo bom, a vida não me permite apenas e simplesmente o riso e a alegria, tudo tem que vir manchado com o TOC, me lembrando de algo nada a ver com a situação. Eu contei que meu estresse nos estudos fez meu TOC de falar tudo que me vem na minha mente, mas que não são coisas importantes e que eu não acho necessidade em falar, voltar. Eu fico tão triste quando penso. Eu estava indo tão bem! Eu tenho chorado! Não é por causa do TOC, nem por ter que lutar para reconquistar a melhora que perdi, é por uma coisa que aconteceu. Durante o dia tudo vai muito bem, mas a noite meu pranto tem sido certo, quando vou dormir! Eu estou tentando seguir adiante, mas é que não sou tão forte quanto gostaria! E, não é o fim do mundo, é uma bobagem na verdade! Acho que ninguém nunca morreu por... um problema acadêmico! Nem quando esse problema faz seu TOC se manifestar novamente!

    Bom fim de semana a todos! Fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eterna!!!!!
      Vim de escrever pois estava com saudades mas não sei o que aconteceu com a porcaria do micro do meu irmão e o yahoo não está funcionado!!! Clico para responder sua mensagem e não consigo escrever nada!!
      Amanhã quando eu estiver em casa tento te escrever, só queria saber o porque vc anda tão tristinha, o que de tão bobinho que te fez ficar assim mas que vc não quer contar? Quer coisa mais boba que nosso TOC? Se a gente conversa sobre ele porque não sobre esse seu probleminha?
      Beijos e me escreva contanto o porque vc esta assim

      Excluir
    2. Comunicado: o problema referido nesse comentário foi definitivamente resolvido! Tudo solucionado... anteontem! Feliz, felizinha :)

      Excluir
  52. Eu hoje acordei triste, - há certos dias
    em que sinto esta mesma sensação...
    E não sei explicar, qual a razão
    porque as mãos com que escrevo estão tão frias ...

    E pergunto a mim mesmo: - tu não rias
    ainda ontem tão feliz ... diz-me então
    por que sentes pulsar teu coração
    destoando das humanas alegrias ? ...

    E, nem eu sei dizer por que estou triste ...
    Quem me olha não calcula com certeza,
    o imenso caos que no meu peito existe ...

    A tristeza que eu sinto ninguém vê...
    - E a maior das tristezas é a tristeza
    que a gente sente sem saber por quê !...


    (Poema "Triste" de JG de Araujo Jorge disponível em: http://www.jgaraujo.com.br/belos/triste.htm)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Informativo "A quem se interessou ou vier a se interessar":

      EU NÃO ESTOU MAIS TRISTE!

      Excluir
  53. 10 fotos proibidas para quem tem TOC. É só para descontrair, falem a verdade, vc irão achar um absurdo, mas não é assim mesmo? kkkkk...

    http://www.pavablog.com/2012/06/26/10-fotos-proibidas-para-quem-tem-toc/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagens impactantes, rs...
      Acho que não é o que mais me incomoda na vida, mas não deixa de me atingir ainda que minimamente... rs
      Sabe, o piso da minha cozinha é de um tipo de azulejo e em um certo momento completaram umas linhas com outro tipo... rs... fora que em algumas partes do piso da minha casa, o azulejo foi sendo colocado sem muita preocupação em formar o desenho da cerâmica... Não me incomoda! Às vezes, até preciso me esforçar para recordar como é mesmo o azulejo daqui! Quando eu era criança, eu até evitava pisar as tais famosas linhas da calçada, mas isso parece tão bobinho depois que a gente vê que está aprisionado na própria mente... Acho que estou melhorando gradativamente! Espero que não seja uma ilusão! Se for, é uma doce ilusão! Sei lá, quando não é uma coisa é outra! Quando não é o TOC, são as coisas que acontecem, as intolerâncias que a gente se depara no dia-a-dia! Mas, acho que são simplesmente as coisas da vida, não é exclusivo de quem tem TOC!

      Excluir
  54. Olá, Miguelito. Antes de mais nada gostaria de agradecer a você por postar sobre o TOC - ajuda a mim e a muita gente. Estou em crise- para variar!rs mas li que você gosta de histórias alegres também e as merece por nos fazer rir muito. Meu toc me impediu de tantas coisas que nem saberia contar ou lembrar. Ele é de cunho religioso e o tenho desde pequena. Acho que o um mico grande foi quando tive que fazer um teste na Cultura Inglesa ( o FCE) e havia estudado muito e um pouco mais pois era importantíssimo que passasse neste. Eu estava indo em uma psicóloga evangélica- fiquei sabendo quando contei meus pensamentos, um horror. Então quando vinha um toc durante a prova eu tinha que colocar a resposta...errada!!!!!!!!!!!!!! Mesmo sabendo a certa, miguelito. Era só vir um pensamento horroroso quye eu apagava a certa e colocava tudo errado. Por um Milagre Divino consegui passar no Teste. Foi dolorido mas achei que póderia ajudá-lo ou a alguém aqui. Meu nome é Andrea, tenho 38 anos e pedirei para adicioná-lo no facebook. Grata e Parabéns por tamanha coragem e ajuda a todos nós, que estamos no mesmo barco do toc. Beijos, Andrea

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Andrea,
      E a gente acha que já ouviu de tudo rs. Colocar a resposta errada é dureza mas é isso que o TOC faz, nos pega nos pontos mais fracos e nao deixa a gente ser feliz. NA verdade nos portadores achamos que não podemos ser feliz pois se tudo está indo bem é porque alguma coisa ruim pode acontecer. Precisamos nos permitir o prazer, nos permitir ser feliz, sentir a felicidade e desfrutar dela.
      Beijos e bem-vinda ao grupo

      Excluir
  55. Eu baixei diversos materiais sobre o TOC e, consequentemente, sobre outro transtorno (Síndrome de Tourette), pq há um momento que a gente acha que não tem apenas TOC. Bom, estava lendo uns trechos de um manual de TCC que está disponível em: http://www.ufrgs.br/toc/tcc.pdf

    Entre as "Estratégias de prevenção de recaída", temos:

    "Identificar pensamentos automáticos ativados nas situações de risco e questionar sua validade. A aflição que os acompanha pode provocar lapsos, que são rituais ou evitações
    eventuais: “Se eu não ler de novo este trabalho, erros podem escapar!”. Questionamento:
    “Se escapar um erro, o que de pior pode acontecer?” (descatastrofização)."

    Existem outras estratégias, que nos incentivam a confrontar nossos pensamentos obsessivos com a realidade, para que possamos nos livrar da necessidade de realizar um ritual para eliminar um pensamento obsessivo. Meu TOC não é muito assim. Eu vivo mais de neutralizar um pensamento com outro pensamento, mas sei que muitos vivem a realizar rituais para se sentirem momentaneamente melhor. O problema é que alimentando a obsessão, o TOC fica cada vez mais intenso e mais presente, mas TEM JEITO. Não é fácil, mas dá para consertar, desacostumando a mente ao que o TOC a condicionou.

    Tem outra dica no material assim:

    "Preparar com antecedência estratégias de enfrentamento para lidar adequadamente com as
    situações de risco e evitar as recaídas:
    • Vigilância: estar atento para o autocontrole e não executar de forma automática os
    rituais a que estava habituado nas situações de risco.
    • Planejar com antecedência como irá se comportar no enfrentamento das situações de
    risco, tendo em vista o que deve fazer em termos de exposição e prevenção da
    resposta: por quanto tempo, onde, de que forma (“Vou sentar na cama com a roupa
    da rua quando chegar em casa, durante 15 minutos”).
    • Distração: procurar se entreter, durante situações de risco, com outros pensamentos ou com atividades práticas, como forma de reduzir a aflição e o impulso a ritualizar.
    • Conversar consigo mesmo, dar ordens para si mesmo: “Você tem condições de se
    controlar!”, “Não vá verificar se a torneira ficou bem fechada!”, etc.
    • Uso de lembretes: “A aflição não dura para sempre!”, “Isso é o TOC!”, ou “Cuidado com o TOC!”"

    Beijos! Fiquem com Deus! Sejam perseverantes! Ao pensar que está caminhando sozinho, pq existem apenas duas pegadas no caminho, lembre que Jesus o está carregando em Seus braços! A luta é contínua! Mas não é impossível! Tenham fé! Sigamos juntos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isto para mim é trágico "Vou sentar na cama com a roupa
      da rua quando chegar em casa, durante 15 minutos". Minha esposa já sabe disto e leva na boa. Uma vez minha mãe foi me vistar e sentou na cama, ficou estranho de mais e até hoje fico ressentido em ter falado com ela para não sentar na cama com roupas da rua, foi uma situação embaraçosa, ela ficou um pouco sem graças, mas compreendeu, pois sabe do meu TOC. Mas agora imaginem se fosse com uma pessoa que não tenho tanta intimidade e não soubesse que tenho TOC? Como ela interpretaria isto? Acho que seria tachado como chato e mal educado. Em fim, estas são coisas que nos acontecem e que temos que começar a ignorar... Estou tentando... Já tive uma ótima melhora depois que comecei o tratamento, tive algumas leve recaídas, que me deram medo, mas graças a Deus consegui confrontar a situação e aprendo mais um pouco de como lhe dar com isto tudo.

      Abraços a todos.

      Excluir
  56. Eu também tenho isso de não sentar na cama com a roupa da rua. Especialmente quando recordo que já me sentei no ônibus ou outro assento que não seja a minha caminha ou aqui na minha casinha... Então, eu só sento na minha cama quando a roupa ainda não viu a cor da rua. Seria cômico se não fosse trágico! Eu tentando usar um calçado que exige que eu sente e eu não consigo sentar na cama. Aí eu saio e sento em uma cadeira. Mas, admito que estou melhorando, pois tinha dificuldade de sentar até nas cadeiras de casa quando chegava, hj já consigo me esparramar!!!

    Vida que segue!!! Força na luta!!!

    obs: com o tempo aprendi meu truque antes de publicar um comentário. Digito e copio antes de publicar, pq às vezes a internet cai e lá vou digitar tudo de novo... rs... E, eu reescrevo, pq eu não consigo deixar de dizer tudo o que queria a princípio (é TOC). rs. Até mais!!! Fiquem com Deus!!!

    ResponderExcluir
  57. Eu estava reparando e percebi que os azulejos retangulares do meu quarto foram dispostos sem muita preocupação com o sentido e observa-se alguns ora na horizontal, ora na vertical, eles simplesmente foram colocados até preencherem os espaços, mas não houve cuidado em atender uma sequência lógica. Ainda bem que isso não é o fim do mundo para mim. Espero não me incomodar com este tipo de coisas. Sei que é algo que incomodaria muitos de nós! Rezo para que consigamos vencer!

    ResponderExcluir
  58. Então, o lance da disposição dos azulejos não é algo que me atinge, mas uma coisa que pega para mim são as prateleiras do supermercado. Hoje mesmo eu estive em um super-supermercado (é super 2 vezes mesmo). Confesso minha dificuldade em me decidir na escolha dos produtos e mais, em conseguir pegar o produto em meio a tantos iguais... Não consigo simplesmente levar o primeiro que pego e também não escolho o que está bem na frente... É muito raro conseguir simplesmente me decidir e escolher o primeiro produto que pego. Dessa forma, demoro um pouco mais em minhas compras.

    De novo, vida que segue!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas coisas são chatas mesmo, infelizmente tenho o habito de comprar tudo igual e aos pares, por exemplo, se for a supermercado, comprar lata de milho verde por exemplo, não levo duas de marcas diferente têm que ser duas da mesma marca se quiser experimentar outra levo as duas de costume mais duas da que vou experimentar. Tenho tentado me vigiar quanto a isso, pois se não as compras saem caras. Ainda estou tentando entender por que dentro da minha cabeça tenho que equiparar e igualar tudo. Até para compreender as diferenças entre as pessoas é complicado. Estou melhorando um pouco nisto, mas é difícil...

      Excluir
    2. É... as coisas às vezes são tão loucas e absurdas que ficamos nos batendo tentando compreender o porquê nossa mente determina as coisas de determinado modo... e concluímos que as ideias simplesmente existem sem razão ou intenção de fazerem sentido!
      A indecisão é uma marca marcante (redundante isso) pelo menos para mim! Eu fico até feliz quando as coisas não tem muitas opções, só para eu não precisar me decidir. É muito difícil para mim em muitas situações! Tipo esses dias, eu escolhi um modelo de calçado para comprar e, de repente, me deparei com outras opções de cores para o mesmo calçado... aí minha decisão certeira de antes passou por uns instantes de dúvidas e me esforcei para não perder tanto tempo nisso! Me dirijo logo ao caixa para não ficar lá admirando as opções que me deixam em dúvida e estragam minhas certezas! Pra escolher verduras é parecido! rs! Pra escolher qualquer coisa é desse jeito na verdade! Eu vejo defeitos em tudo! Nada passa desapercebido e se por acaso passar e eu perceber só em casa, fico um tantinho decepcionada! Eu fico só pensando se fiz as escolhas certas, se podia ter me decidido melhor e isso acaba se estendendo e refletindo em tudo na vida, não apenas nas coisas que precisamos comprar, mas em nossas decisões do dia-a-dia, sejam simples ou decisivas!

      Vamos que vamos! Vida que segue! E eu me esforço para alcançar minha melhora! Sei que não é repentinamente que vou ser uma pessoas super decidida, mas posso alcançar uma capacidade de decisão que dentro da minha realidade, será uma grande conquista!

      Excluir
    3. Nossa nem me fale em mania de perfeição, hoje até que sou melhor para lhe dar com isto, mas antes, aff. Tudo, principalmente o que se dizia em relação a mim, tinham de ser perfeitos. Eu era uma chatura só e isto foi fustigante para minha vida e me trouxe muito sofrimento. Antes eu não sabia o que me fazia ser assim, não me dava bem com os sentimentos de culpa e por não ter feito as coisas serem melhores, por ter sido indeciso demais, pois não queria errar, tinha de acertar sempre, pois tudo em minha vida deveria ser perfeito, sem erros e extremamente calculado. Quando pensava em não ter escolhido o que seria bom ou certo para mim me remoía em ódio de mim mesmo, por ter feito escolhas erradas e as coisas não saírem como imaginei. Eu era sempre o culpado, o refém e a maior vítima de mim mesmo. A culpa e a raiva com o passar dos anos só aumentavam e eu não entendia o porque daquele remorso que sentia de coisas passadas que deixei de fazer ou que pensavam que seriam as “certas” a ter feito, sendo que me questionava ininterruptamente por ter escolhido caminhos incerto e ver tudo que minha cabeça planeja dando errado gerando um ciclo sem fim. Isto me aprisionava ao passado e de certo modo me prendia também ao medo do futuro, pois tinha excessiva preocupação de como podiam ser as coisas lá e pensava que tudo continuaria dando errado, que todo desacerto seria minha culpa e que seria uma pessoa fracassada sem expectativas ou perspectivas. Estes pensamentos me consumiam dia após dia, me secando por dentro e matando minha essência. Estava aponto de enlouquecer, pois não conseguia aceitar que havia feito escolhas erradas na vida e queria voltar atrás, mesmo isto sendo impossível, e refazer as coisas nos meus pensamentos, que levavam cada vez a lugares mais profundos da mente e tudo isto ficava ruminado na minha cabeça 24 horas, pois nem dormir eu dormia. Em fim, este turbilhão me levou a uma crise de pensamentos mórbidos e horrorosos que me geraram uma ansiedade que não cabia em meu corpo, um pavor enorme de minha mente sair do controle e levar para fora todas os milhões de pensamentos obtusos que ali estavam (já compartilhei algumas em post anteriores). Ainda bem que tive a lucides para raciocinar e ver que isto não estava certo e que algo deveria estar errado, pois não conseguia trabalhar, namorar, estudar ou me concentrar em nada que não fossem meus pensamentos, deste modo decidi procurar ajuda terapêutica, levaram alguns meses para eu saber o que era, pois fui indicado a procurar um médico, pelo fato da profissional que me atendia não se julgar apta a dar um diagnostico por não ser médico.

      Após encontrar um profissional que quase me enlouqueceu, por exceder em dosagem de medicações que só pioravam os sintomas, que não me ouvia por cinco minutos e além de tudo não acreditava no que relatava, graças a Deus achei um profissional que me compreendeu e me esclareceu tudo que ocorria comigo e uma terapeuta nota 10 que trabalha tudo isto de uma maneira muito tranquila comigo. Hoje estou quase 100%, as vezes tenho umas crises de ansiedade e pensamentos estranhos, estou livre dos pensamentos ruminantes que pairavam sobre mim. Aprendi a aceitar as coisas que não deram certo e entendi que tudo que ocorreu comigo em relação às escolhas, indecisões, medos e querer sempre ser perfeito apareceram devido ao contexto que eu estava inserido me trazendo um inimigo oculto, que hoje sei quem é e sei que posso confronta-lo, porque ele não é maior do que eu ou qualquer outra pessoa que eu ame. Estou a quem de chegar a compreensão de mim mesmo, pois muitas coisas ainda não consigo perceber ou entender, mas sei que é passo a passo.

      Eterna, não se preocupe todas as mulheres têm esta indecisão entre roupas e sapatos, vejo este filme com minha mãe a anos (rs...). Talvez seja melhor você se concentrar e outros tipos de indecisões que podem ser muito mais desgastantes como estas e quem sabe analisando estas indecisões você consiga descobrindo as causas e o porque delas tomarem tanto seu tempo.

      Desculpem o desabafo....

      Excluir
    4. Ric, não há porquê se desculpar, muito pelo contrário! O seu desabafo foi muito importante! Mostra o quanto o TOC já te atrapalhou e comparando com a sua realidade hoje, nos motiva, pois vemos a melhora super significativa que você experimenta a cada dia! Realmente, quando se vive aprisionado dentro de si mesmo pela própria mente, com sentimentos de culpa, com a indecisão, acabamos nos conectando com o passando e com o futuro e o nosso presente vai se anulando, pois gastamos nosso tempo com o impossível, ou seja, com a necessidade de remoer nossas ações passadas para anular as decisões tomadas pelo menos no pensamento e com as expectativas exageradas e opressoras sobre o que ainda está por vir e nosso presente acaba não sendo bem vivido! O presente é de fato um presente divino que devemos aproveitar, mas nós sabemos o quanto compreender e praticar isso é complicado quando se tem TOC!
      Eu compreendo que a indecisão nas compras é uma característica da maioria das mulheres, mas quando se tem TOC e se sabe que praticamente todas as suas ações estão condicionadas ao TOC, vc acaba se policiando e até um gesto que nem te incomoda tanto vc tenta evitar, só porque sabe que ele é fruto do TOC. Pelo menos comigo é assim! Tem coisas que nem me incomodam, mas quando vejo que faço por causa do TOC, paro na hora. Às vezes é até mais desgastante, mas não gosto de ser refém disso, vc sabe, pois ninguém gosta! Aí o Miguelito diz pra tentar se livrar daqueles gestos que te prejudicam, que te incomodam e eu tento seguir a dica, mas meu orgulho às vezes me faz querer simplesmente evitar uma ação, por saber que a razão de eu querer agir de tal forma é o TOC. Mas, o lance das compras, me deixa um pouco agitada, mas dá para relevar, pois quando canso, eu fujo! Eu escolho o que tem que ser escolhido e olho em outra direção, pois sei que encontrarei qualquer falha se analisar o item escolhido. Agora, esses dias eu estava refletindo que mania é essa querer que as coisas sejam perfeitas se eu mesma não sou nem nunca serei perfeita? Vc está certo quando diz que devo me concentrar nas indecisões mais decisivas da minha vida! Eu penso nos arrependimentos que coleciono, pq não sou o tipo que diz que não se arrepende de nada na vida! Eu me arrependo, mas percebo que foram as decisões que já tomei que me fazem pensar do jeito que penso hoje, que só considero certas coisas certas, pq aprendi o errado na prática! Eu sou assim! Eu só aprendo de fato quando vivencio a experiência! Exemplo prático: fui aconselhada a escolher apenas um curso que de fato me interessasse! Eu achei que qualquer um para o qual conseguisse a bolsa de estudos, eu encararia numa boa! O que aconteceu? Passei para um curso que definitivamente não me identifiquei! Mas, eu tive que viver! Não adiantou ouvir de outra pessoa! Não sei se estou devaneando e se tem a ver compartilhar sobre isso, mas é que a faculdade e meu TOC tem tudo a ver!

      Fiquem com Deus, amigos! Vida que segue!

      Excluir
  59. Bom dia amigos!

    Estou completamente sem sintomas de TOC, sem ansiedade, enfim estou completamente normal, que Jesus em sua infinita MISERICÓRDIA me mantenha assim saudável. Obrigada SENHOR, Deus seja louvado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graças a Deus! Desejo que de agora em diante as coisas só melhorem! Fico muito feliz! É um estímulo para todos nós o seu bem-estar! Felicidades!

      FELIZ NATAL E ÓTIMO ANO NOVO A TODOS SUPER ABENÇOADO POR DEUS SEMPRE! BEIJOS, AMIGOS! TUDO DE MELHOR PARA TODOS!

      Excluir
  60. UM FELIZ NATAL A TODOS, E UM ANO NOVO REPLETO DE REALIZAÇÕES COM A BÊNÇÃO DO SENHOR NOSSO DEUS.

    AH!SÓ PRA CONTAR EU CONTINUO SEM TOC E SEM ANSIEDADE, ONTEM CONSEGUI FAZER ALMOÇO SEM ME PREOCUPAR COM DESORGANIZAÇÃO E SUJEIRA NA COZINHA, A TEMPOS ATRÁS EU LEVARIA TODO MUNDO PRA ALMOÇAR FORA SÓ PRA NÃO DESARRUMAR A COZINHA.

    ResponderExcluir
  61. Obrigada pelos votos de bençãos e realizações!

    Fico super feliz com seu progresso! Você está conquistando uma nova vida! Deus te abençoe e abençoe a todos nós!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  62. Boa noite amigos!

    Hoje não estou bem, estou muito ansiosa, foi assim o dia todo.
    Tô passando aqui rapidamente, pq quando estou ansiosa, ficar no PC me deixe ainda mais ansiosa. Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paciência, Dorotéia!

      Sabemos que a ansiedade nos faz reféns do TOC! E é assim mesmo, sabemos o caminho para nos livrar dela e o seguimos, tipo vc evitando ficar mais tempo conectada! Mantenha sua fé e pratique os ensinamentos aprendidos no livro "Vencendo o transtorno obsessivo compulsivo" que eu não conheço, mas sei que vc o segue e também nas vivências suas e nas que compartilhamos aqui uns com os outros! Vc sabe que é possível, pois esses dias mesmo vc conquistou uma melhora significativa! Eu tbm às vezes me sinto super-ansiosa quando estou usando a internet e muitas vezes prefiro até nem ficar abrindo muitas páginas, pois tenho uma coisa de me apegar a conteúdos que não me interessam, mas que eu preciso clicar, ver do que se trata... Vou tentando superar... Evitar é mais fácil, mas o ideal seria que eu conseguisse me deparar com as manchetes e ter controle de seguir adiante sem necessariamente precisar me informar sobre cada coisa que eu acho que se não olhar não vou ter sossego! Às vezes consigo, às vezes simplesmente evito! Vida que segue!

      Força e siga em frente!

      Excluir
  63. Querida Eterna, estava lendo teus comentários e me identifiquei, entre outras situações, com esse em particular:

    "Quando penso em lutar contra, desistir de insistir em tentar neutralizar aquele pensamento, penso que a ideia da qual não consegui me livrar virá à minha recordação em algum momento importante da minha vida. Eu penso que a "coisa" da qual não consegui me livrar se fará presente inoportunamente em algum momento, como no momento da contagem regressiva para o ano novo, no momento de uma conversa, quando eu estiver entrando na igreja para me casar... Enfim, eu penso que vou lembrar daquilo em algum momento em que isso não deveria acontecer e imagino que isso estará sempre presente e que vai surgir nas situações do meu dia-a-dia ou em ocasiões que podem acontecer bem no futuro. Eu sei que muitas pessoas fazem o ritual para se livrar do pensamento e da ansiedade, mas nesse caso minha luta é além, porque eu tento me livrar de uma lembrança para que ela não estrague as situações da minha vida, vocês entendem"


    Sinto-me da mesma forma. Tenho um medo ferrenho de que quando esteja fazendo qualquer outra atividade, a lembrança do pensamento que venho a minha mente em alguma situação volte, e junto com a mesma toda a agonia e repugnância - Como já comentei aqui em meados de outubro, além de ter obsessões e compulsões relacionados a ordem e verificação, o que me fez buscar ajuda foi o fato de que os pensamentos intrusivos a cerca de temática sexual relacionado a familiares foram além do que e pudia suportar, era horrível (e ainda é, em alguns momentos os pensamentos chegam do nada - sinto-os até cortando outros pensamentos) e intolerável ao meu big super ego. Hoje, trabalhando na terapia eu já tolero mais os pensamentos e quando eles aparecem quando estou sozinha até solto "malditos pensamentos nojentos saiam daqui" e vez que outro até consigo rir. Já consigo entender que os pensamentos são nojentos para qualquer pessoa, no portador do toc eles triplicam, porque entra a indecisão em saber se tu não tem culpa em relação a isso, que você não querer nada do teor do pensamento e nem seria capaz. Agora, convence na hora da crise? Nem sempre...

    Essa épocas de finais de ano para mim são mais complicadas, e uma simples atividade que farei daqui há algumas horas estava me preocupando até antes de coeçar a escrever: irei sair para realizar compras de ano-novo com o pai e aí vem o medo de que os pensamentos ou a lembrança irá aparecer e aí eu fico contrita, chateada e preciso de um esforço mental grande para abstrair e ir fazer uma tarefa diária. Também relacionado ao futuro, como você falou, também me assusta. Meus pais ainda vivem juntos, porém estão em processo de separação. Tem momentos em que fico muito triste - primeiro, pela situação real, que filho que quer isso, né? E segundo, porque tenho medo do futuro e como serão os pensamentos quando cada um morar em uma residência e vou visitá-los. Conseguirei? Os pensamentos intrusivos ficarão piores? Isso me angustia bastante.


    Porém não perco a esperança! E é com essa palavra que me despeço de vocês neste ano. Lhes desejo, a cada um que comenta aqui que tenham um bom começo de ano - que neste ano que está por vir melhoremos a cada dia, mas quando houver dias mais pesados, tenhamos um local aonde não nos sintamos tão estranhos. Obrigada Miguelito por este espaço!
    Um abraço e feliz 2013

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Anônima, li seu comentário ontem, mas não foi possível comentar assim que vi! Espero que tenha sido tudo bem nas compras que vc foi fazer!
      Sabe, fiquei feliz em saber que o que compartilho está servindo para que outras pessoas se reconheçam e não se sintam sozinhas em sua luta contra o TOC! Antes eu acompanhava o blog sem comentar! Eu tinha relutância em me transformar em exemplo para outras pessoas, ficava imaginando contar meus casos a um psicólogo e ver que o mesmo usaria minhas manias como exemplo! Eu não sou uma pessoas egoísta, mas o TOC me fazia resistir a compartilhar! Eu procurava exemplos de outras pessoas, mas não desejava ser um exemplo também! Mas, o alívio de se identificar com as experiências de outras pessoas é tão grande e quando eu finalmente passei a compartilhar também, eu melhorei! Por isso, estou sempre aqui! O fim do ano vai se aproximando cada vez mais e com a proximidade, os pensamentos vão aumentando a ansiedade e minha luta é silenciosa! Deus como minha testemunha e meu grande apoio! Em coisas aparentemente simples, como evitar tocar um lado do corpo só porque toquei o outro lado! Para resistir é uma luta e me vejo implorando a Deus para me ajudar a resistir, porque é muito mais fácil ceder do que lutar e resistir, chega a doer! Mas, se formos persistentes, nós conseguimos! É como vc falou, tudo é mais complicado em meio a crise, mas é possível! Eu estou lutando, sabe? Vem o pensamento de que vou ficar com determinada ideia na cabeça em determinada situação (no momento, imagino que a ideia virá no momento da virada do ano, como já comentei), mas estou tentando seguir adiante, me esforçando para compreender que a luta simplesmente continua. Eu passo tanto tempo tentando me livrar de um pensamento para que ele não me atormente futuramente, me desgasto tanto e o TOC sempre vem com suas gracinhas e me faz sempre pensar em algo que não quero, que não convém, alguma bobagem... Então, o jeito é relaxar! Se o pensamento vai vir, paciência! Estou tentando desabituar minha mente a esses pensamentos viciosos, me adequando para resistir aos impulsos mais simples, como os de algumas vezes sentir necessidade de tocar os dois lados do corpo, resistir à necessidade de contar tudo que me vem à mente sob pena de ficar com o pensamento não-revelado a me incomodar... Não consigo 100% ainda, principalmente quando a ansiedade me acomete assim, mas vou tentando e tentando!
      Tranquilize seu coração, querida! Tudo há de ficar bem! A gente fica pensando como serão as coisas quando ocorrerem as mudanças, como no caso da separação dos seus pais, mas é que nós somos um tanto avessos à mudanças, pois já temos nossa maneira de praticar o TOC e mudança acaba sempre assustando, mas o TOC acentua muito mais as coisas! Fica parecendo que tudo é maior do que realmente é! E se ele não tivesse deixando vc preocupada por esta situação com seus pais, arranjaria outra situação para vc ficar encucada, mas vc é mais forte! Creia nisso sempre!

      Mantenha sua esperança! Nada pode tirar de você o que há de melhor! Desejo que 2013 seja um ano maravilhoso para todos nós! Beijos e fique com Deus!!!

      Excluir
  64. Olha só, meu comentário foi publicado já com a data de 01 de janeiro de 2013! Não estou vivenciando o horário de verão, então para mim ainda é 31 de dezembro! Mas tecnicamente eu fui a primeira a comentar no Novo Ano!!! Fico feliz!!!

    FELIZ ANO NOVO ABENÇOADO POR DEUS PARA TODOS NÓS!!!

    BJS!!!

    ResponderExcluir
  65. Bom dia para todos!

    Todos os dias, ao chegar no trabalho, reservo um tempinho para ler os comentários daqui. As histórias, dificuldades e a compreensão compartilhadas aqui criam um ambiente confortável, quase que um 'mundo paralelo'.

    Como comentei anteriormente, trabalho como Redatora em uma marca de produtos de beleza. O que significa que eu preciso lutar contra o TOC para não ler e escrever-apagar-escrever-apagar o que eu escrevo. Porém, se fosse só isso seria mais simples.

    Explico:

    Minhas maiores dificuldades com o TOC são o medo, culpa e solidão.
    Isso quer dizer que quando eu sei que preciso escrever um texto sobre tal assunto, demoro para começar a escrevê-lo, pois tenho medo de não conseguir terminá-lo ou de não ter inspiração. E então sinto culpa pelos sentimentos que tenho e isso dificulta ainda mais meu processo de criação. Em seguida sinto-me sozinha e diferente de todas as pessoas com quem convivo. E chego a pensar se eu consigo continuar nessa carreira, já que demoro mais que as outras pessoas para escrever.

    Daí, começo a realizar alguns rituais. O principal deles é checar todas as pessoas que estão on line no meu Facebook. Então eu paro o trabalho, abro o Facebook conto, depois volto para o trabalho. E tenho que arrumar as coisas dentro da minha bolsa de forma que fiquem organizadas assimetricamente - mas, sabemos o quão impossível é deixar os objetivos organizados dentro de uma bolsa.

    Outra questão muito importante é que eu tenho dificuldade para dormir. Veja bem, eu tenho sono e realmente preciso dormir, mas o fato de dormir sozinha me assusta às vezes
    ( mesmo já sendo bem crescidinha) e são medos inexplicáveis.
    Preciso ficar sempre organizando tudo no meu quarto até que acredite que os objetos estão organizados corretamente. Esse ritual dura horas e eu não descanso o suficiente.

    Na verdade, esses dois rituais que contei agora estão piores nesses dias e são eles que me atrapalham nas atividades mais importantes do meu dia.
    Não sei se outras pessoas aqui têm dificuldades para dormir por sentirem medo [ eu sinto que preciso ficar acordada, de vigia, para saber logo se algo perigoso acontecer. Tenho horror só de pensar que algo de ruim possa acontecer sem que eu tenha o controle disso].

    Tentar me distrair?
    Fazer coisas boas e prazerosas é uma ótima maneira de distrair os medos que eu sinto. Mas como fazer isso se eu não me permito relaxar? Toda vez que abro um site com um texto interessante e de ajuda ao TOC, por exemplo, começo com outros rituais só para não ler algo que me faz bem.
    Faço a mesma coisa quando vou assistir algo que gosto na TV, folhear uma revista, etc. É como se eu arrumasse pretextos para não me sentir bem.

    Ah, e como o meu maior TOC é relacionado ao medo, tenho muita resistência ao lutar contra um ritual. Me pergunto: 'Como posso abrir mão disso e relaxar, se algo de ruim pode me acontecer depois. Não posso nunca relaxar.'

    Tenho 24 anos e muita vontade de viver, mas não consigo apreciar as coisas, não me permito nem mesmo ler algo que gosto. O TOC me 'obriga' a focar apenas nele e fazer suas vontades como se eu fosse apenas fraca e sozinha e o TOC fosse um Rei ao qual devo servir.

    Faz tempo que quero compartilhar essas coisas aqui, mas evitava ao máximo, pois sabia que me faria bem. [Olha que absurdo!]
    Dessa vez eu consegui superar ao menos isso e parei tudo que estava fazendo para conseguir escrever isso e ignorar o medo e a culpa.

    Beijos a todos e Feliz Ano Novo!

    ResponderExcluir
  66. Depois de ler o que eu escrevi percebi que não ficou tão claro como eu gostaria. É realmente difícil expressar com clareza a aflição que é se ver acorrentado as correntes do TOC. Ou melhor, correntes que a nossa mente cria.

    Quando penso isso, tenho apenas vontade de desamarrar esse nó e me soltar das correntes. Mas sabemos que essas amarras, apesar de invisíveis, são grandes e poderosas para nós. No momento é assim que eu me sinto: com muita vontade de fazer minhas atividades como eu quero, como eu gosto e não com o objetivo de de evitar acontecimentos ruins em relação ao meu namorado, minha família e meu trabalho.
    Preciso cuidar de tudo e isso custa meu tempo, minha saúde e meu desempenho. Acho que o problema é que eu não 'desobedeço' ao TOC. Eu sempre faço os rituais e penso e repenso os pensamentos ruins. Não é a toa que me surpreendi quando li alguns de vocês aqui falando sobre lutar contra o TOC e não fazer os rituais. Eu nem achei que era possível ou que poderíamos fazer isso. Sempre achei que REALMENTE se não fizer o ritual terei problemas, sempre. Mas depois que descobri o contrário aqui comecei a resistir algumas vezes, mesmo ainda com bastante medo de me arrepender.

    Se é possível superar uma barreira e conseguir sentar e escrever isso aqui, quero que seja possível fazer outras coisas que me fazem feliz.

    Eterna, suas palavras me inspiraram a compartilhar o que sinto e sua atenção ao responder os comentários das outras pessoas é como um cafuné ou um abraço cheio de compreensão.

    Miguelito, mais uma vez obrigada por ter aberto esse espaço! Espero que você esteja bem também.

    Ric, é muito bom saber que o tratamento para TOC funciona e que você consegue ter calma para refletir sobre o que sente e o que motiva as obsessões.

    Parabenizo todos os outros que aqui compartilham suas histórias. Obrigada por mostrarem que é possível resistir e não fazer os rituais.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhhh, ainda bem que estou no meio dos agradecidos rs.
      M.G., fico feliz que vc tenha voltado a escrever. A um tempo atrás vc começou a escrever meio tímida e de repente sumiu e fico feliz que tenha voltado a escrever pois gosto de ler seus depoimentos, como a Eterna disse vc escreve muito bem (isso mostra que está na profissão certa e que não deve mudar). O TOC tb não me permite snetir prazer. Antes era pior, a blusa que eu mais gostava era a que eu nunca conseguia usar, a tortinha de morango mais bonita (amo tortas de morango) era a única que eu não pegava, sempre escolhia a mais feia e murcha. Escutar musicas que eu gosto? Rarissimas vezes, nunca conseguia deixar o rádio ligado pois sempre me ausentava ou desligava o rádio para fazer os rituais. Hoje melhorou um pouco mas é só eu colocar o fone de ouvido para ouvir uma música que me vejo obrigado a retirá-lo a cada 1 min para fazer minhas orações mentais (oração nao combina com música). Culpa tb faz parte do meu cardápio, minha psicóloga me ensinou a fazer o gráfico de pizza da culpa. Dividir um circulo e colocar a culpa minha e de outras pessoas em porcentagens para ver que eu até posso ter a culpa em determinada situação mas sempre essa culpa estara dividida com outras pessoas e muitas vezes as demais serão muito mais culpadas do que eu então para que levar a culpa sozinho?
      Enfim, espero que vc veja que nada te aconteceu por se dar o prazer de escrever aqui (se o prazer não foi seu com certeza nosso foi rs) e escreva mais vezes. Começe aos poucos, vá se dando pequenos prazeres e repetindo que vc tem esse direito sim. Vá ignorando aos poucos o TOC e dizendo para vc mesma que pensamento não tem poder, pensar não é o mesmo que realizar e não fuja dos pensamentos invasivos, enfrente eles com esse argumento.
      Beijos e feliz ano novo para vc.

      Excluir
  67. Querida M.G., parabéns por ter conseguido compartilhar conosco um pouco mais de suas vivências! Fico infinitamente feliz em tê-la inspirado e saber que estou conseguindo ajudar outas pessoas. Sei que o gesto aparentemente simples de abrir o coração muitas vezes nos custa muito, mas que vale muito (muito mesmo) a pena quando sabemos que estamos contribuindo com outras pessoas. E, à primeira vista, pode parecer que estamos exclusivamente ajudando (o que já seria bom), mas ao compartilhar nossas histórias nos beneficiamos muito, pois a oportunidade de contar sobre o que nos passa é muito bom e reconfortante! Nesse espaço, temos essa sensação que vc descreve como um "mundo paralelo". Concordo. Aqui é um espaço em que podemos simplesmente ficar a vontade, pois independente do que se passa com vc, ninguém achará que é algo do outro mundo e vc será acolgido e compreendido. Quando eu era uma simples "amiga oculta", eu não podia mensurar o bem que compartilhar minhas coisas me faria. Eu sinto a minha melhora, que é resulatdo de tudo. Resultado da minha vivência aqui com vocês, da minha luta pessoal quando faço o impossível para me convencer em resistir ao toc, a ignorá-lo, a seguir adiante sem dar atenção a um pensamento, a compreender e aceitar que as coisas não saem sempre perfeitas... Seu primeiro relato foi bem claro (não se preocupe). Vc achou que não expressou adequadamente tudo o que queria, mas reflita se vc não se acostumou a exigir muito de si mesma. Estou me vigiando acerca disso também. Vivo justificando as falhas das outras pessoas, compreensendo que elas são passíveis de cometer erros, mas exigindo demais de mim. Exigindo um comportamento diferenciado para mim, como se fossem dois pesos e duas medidas. Estou tentando me acostumar, lutar para ir superando essas concepções!
    Você se expressa muito bem! Quem acha que não se expressa bem, devia experimentar compartilhar algo também (compartilhar é melhor do que parece)Demora mais em suas criações do que as outras pessoas, mas consegue executar seu trabalho com capricho! Comece a praticar ser menos exigente consigo mesma! O Miguelito sempre diz que "o ótimo é inimigo do bom e as coisas não prescisam ser 100% para serem boas". Você pode apresentar um resultado satisfatório sem necessariamente se desdobrar e se desgastar tanto, mas se para vc for tranquilo e isso não te incomodar tanto, não sofra com isso. É que eu sou assim: quando percebo que executo uma ação por causa do TOC, já tento resistir, mesmo que a mania não me incomode. É que me incomoda saber que meus gestos desde os mais simples são condicionados pelo toc. Facebook nem tenho. Tenho um pouco de ansiedade relacionada à internet como já comentei aqui no blog. Mas, isso não me entristece!
    Eu quero que você se permita sentir prazer e consiga realizar as atividades de que gosta sem ter culpa! O TOC apronta todas e ainda nos deixa culpadas! Você vai conseguir, acredite! Comece por algo simples! Permita-se, inicialmente, um sabor, quem sabe, uma guloseima de que goste! Você tem todo o direito de ser feliz! Nós estaremos todos aqui na torcida!!!

    Beijos e Ótimo Ano Novo!!!

    ResponderExcluir
  68. *acolgido = acolhido rs

    ResponderExcluir
  69. Curiosidade sobre o meu comentário acima. No trecho:

    "Resultado da minha vivência aqui com vocês, da minha luta pessoal quando faço o impossível para me convencer em resistir ao toc..."

    Meu pensamento inicialmente era escrever que faço o possível para resistir ao TOC. Na minha mente passou "impossível" e foi o que digitei, mas só percebi depois que publiquei. Mas, dessa forma, acho que ficou mais fiel à realidade, porque a luta para resitir é muito doída (doida também). O fato de eu vir justificar aqui sobre isso, acaba expressando minha personalidade delineada pelo TOC, meu jeito de ser que gosta de tudo bem justificado, que não admite palavras não ditas.
    Outro erro de digitação meu além do "acolgido", foi "compreensendo" ao invés de "compreendendo". Pareceu uma mistura de "compreender" com "ser" e isso me fez lembrar de outra coisa que acontece comigo. Quando estou escrevendo, acho que por ser bem ansiosa e querer escrever logo tudo o que preciso, eu acabo juntando duas palavras. É que estou digitando uma, mas meu pensamento já está na ideia à frente e acabo escrevendo... ai não sei... não me ocorre nenhum exemplo digno no momento! Quando estou ansiosa, me alimento super-rápido, ando rápido não sei com que propósito, com pressa de chegar em lugar nenhum, que geralmente é minha casa e quando chego lá, não entendo porquê corri tanto... rs... é até bom (exercício para uma sedentária, rs)! Mas, o impressionante é minha calma aparente diante de algumas situações, minha cara de paciente, meu jeito tranquilo que não revela a loucura que se passa comigo, a minha luta diária para ser mais forte e aparecer mais em minha vida do que um transtorno! Olha eu escrevendo muito de novo, mas é inevitável! Uma coisas leva a outra e vou reconhecendo o TOC em cada gesto... Mas, me esforçando para transformar minha realidade!!!

    Até mais! Fiquem todos com Deus!!!

    ResponderExcluir
  70. Eterna,

    em primeiro lugar MUITO OBRIGADA por dizer para eu ir ser feliz! hehe

    E você tem razão quando diz que faz bem para si compartilhar. Além de ajudar outras pessoas com a própria história de vida e as maneiras com que supera os desafios, é um alívio para si mesmo.

    Eu concordo com você quando diz para eu me cobrar menos. Aliás, obrigada por dizer isso. É muito bom ler algo assim já que eu vivo me cobrando demais o tempo todo.
    A questão é que no meu trabalho eu preciso de acordo com o gosto de uma pessoa, que é a chefe, e preciso da aprovação dela para cada palavra escrita. Isso me angustia e me deixa ansiosa, pelo fato de receber ou NÃO essa aprovação.

    Como disse, eu até pensei se deveria mudar de profissão e fazer algo que diminua essa cobrança absurda, algo que não incentive o TOC. Mas como posso mudar de profissão agora? Não acho isso possível.

    Enfim, sabemos que é uma luta diária.

    Ah, Eterna, eu também me apresso mais para fazer as coisas quando estou ansiosa. Na verdade, tenho muita pressa de chegar em casa e se saio um minuto a mais do trabalho já começo a ficar angustiada. Como se eu estivesse sempre atrasada!!

    Uma pergunta: vocês costumam se planejar com atividades,ideias, etc que ajudem vocês a resistir às compulsões e obsessões em situações de risco?
    Li isso em uma matéria e achei interessante. Eu estou tentando me rodear de coisas que me passam uma sensação de conforto para conseguir me sentir mais segura. Quando não sinto medo meus sintomas diminuem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida M.G., de nada! Dizem que a maior felicidade é fazer os outros felizes. Se eu posso pelo menos te incentiver, é o que farei!
      Eu te aconselho a não ser tão exigente, porque é sempre bom receber alertas de outras pessoas. Eu me sinto,muitas vezes,confusa com o TOC e mesmo em situações nitidamente absurdas, o TOC tem a capacidade de manipular nossa capacidade de discernimento sobre o real e o irreal e mesmo reptindo: "Isso é TOC! Isso É TOC!" não é fácil ficar alheia ao que o transtorno te "desorienta" a fazer! Sabe, eu gosto quando recebo um alerta de alguém que convive comigo para me orientar sobre alguns gestos exagerados. Eu até me emendo em algumas situações. Eu apenas preciso, em alguns casos, de uma voz mais lúcida a dizer-me que meu comportamento não é adequado. Porque eu sou o tipo que já buscou muito intensamente a aprovação dos outros para tudo e mudar essa realidade tem sido algo gradativo. Eu tenho minhas ideias e não sou obrigada a agir de modo a sempre garantir a aprovação de outros. O importante é a capacidade de viver civilizadamente e em paz, não preciso necessariamente agradar a gregos, troianos, flamenguistas, corinthianos, etc...
      Olha, eu compreendo a sua necessidade de executar seu trabalho o mais caprichadamente possível. Tem que ser assim. Apenas tente nivelar essa cobrança a um nível em que consiga alcançar suas metas e, por vezes, superá-la, mas vá se contendo para não exagerar. Às vezes, a gente mira em aperfeiçoar um detalhezinho que nem é o mais importante e o detalhe que precisa de atenção é esquecido! Você apenas deveria mudar de profissão se ela não a satisfizesse e isso seria possível mesmo que vc não fosse tão jovem e vc é! Vc não deve mudar de profissão para se adequar ao TOC! Vc precisa transformar sua vida para adequá-la a vc, ao seu gosto, ao que vc quer e ser feliz! O Miguelito diz que alguém perguntou se o TOC atrapalhava o trabalho dele e ele respondeu que achava que o trabalho dele atrapalhava o TOC, rs!
      A gente vive achando que está atrasada, que é culpada, que está errada... Sabe, quando está tudo bem, eu fico buscando na memória o que está errado e me surpreendo quando tudo está simplesmente bem e digo isso a mim: "Não há nada de errado!" Ah, outra coisa que lembrei lendo esse seu comentário é algo que o Miguelito também já disse: as coias tem 50% de chance de dar errado, como tem 50% de chance de dar certo! Isso significa que precisamos fazer o nosso melhor, mas não é preciso se desesperar mentalizando que nosso esforço vai gerar resultados negativos! Pensamento positivo! Eu aprendi aqui no blog, também com o Miguelito, que "o ótimo é inimigo do bom!" Percebi que perseguir um resultado ótimo todo o tempo, muitas vezes, não era necessário, que um resultado bom, algumas vezes, é o suficiente! É claro que não estou falando para você não empregar o seu melhor para alcançar os melhores resultados, pq vc é uma ótima profissional e deve ser sempre dedicada, só precisa atentar para a linha decisiva que delimita quando há excesso e que já é TOC.
      Nas situações de risco, acho que simplesmente ignoramos o TOC. A gente acaba criando mecanismos para não perder tanto tempo com o transtorno! Nossos amigos, certamente, tem experiências para contar sobre como driblamos o TOC em determinadas situações e depois ficamos a nos perguntar porquê não driblamos sempre!
      Vc está no caminho certo! Siga em frente!

      Beijos e fiquem todos com Deus sempre!!!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Eterna,

      você disse: 'A gente vive achando que está atrasada, que é culpada, que está errada...' Eu nem mesmo sei expressar o quanto eu me identifico com isso que você disse. Obrigada pelas coisas que disse. Me ajudou e eu posso dizer que após ler o que você escreveu me senti melhor e mais confiante no meu trabalho.

      Que fantástico que, gradativamente, vc não sente mais que precisa da aprovação dos outros. Permita-se ser como você é. Você sabe que é uma batalhadora. Siga em frente, tenha seu bem estar como foco e não se cobre tanto também.

      Um beijo!

      M.G.

      Excluir
    4. M.G.,

      somente hoje vi seu comentário! Fico alegre em saber que contribuí com você! Que bom que tudo isso pelo que passamos resulta em solidariedade, pelo menos há algo de bom... A amizade, a vontade de ajudar...
      Eu agradeço suas palavras! Preciso não ser tão exigente também! Mas, não me vejo como uma batalhadora! Hoje mesmo eu ia caminhando com meus pensamentos insistentes, tentando não ceder, mas concluindo que era impossível, mas em um tom conformado com essa minha realidade, murmurando que cansei, mas ao mesmo tempo eu me lembro de tantos relatos de pessoas com TOC que eu já li e me dou conta que o meu não é tão grave! Mas, também fico com "um pé atrás", porque a gente acaba não sabendo mensurar a gravidade das coisas e das nossas manias. Às vezes, penso isso de meu TOC não ser tão grave, mas ao mesmo tempo vejo cada uma das minhas atitudes se revelarem com características do TOC. Percebo que trata-se da minha personalidade ser moldada pelo TOC. Eu já acreditava nisso e só confirmei com um dos posts do Miguelito.
      Eu andei acompanhando o blog esses dias, apenas lendo os comentários, mas não me sentia inspirada a escrever. Agora, vendo seu carinho e seu comentário, tive vontade de responder. É assim mesmo, não é sempre que estamos a fim de escrever eu, que amo escrever, passei por uma fase assim. Espero que me entendam! E também espero que você esteja muito bem agora! Me solidarizei com vc, apesar de não ter escrito isso. Seja forte! Faço minhas as suas palavras: "Você é uma batalhadora!" Obs: dei uma espiadinha no seu blog. Vi rapidinho, mas o suficiente para poder te dizer que você é o máximo!!! Perto de vc, do seu talento, bondade e inteligencia, o TOC não é nada! Acredite!!!

      Beijos! Fique com Deus!!!

      Excluir
  71. *incentiver = incentivar

    ResponderExcluir
  72. Anônima/Aiya06 janeiro, 2013

    Só pude ler rapidinho alguns comentátios porque querem usar o compuatdor em que estou. Mas depois quero os ler com calma.

    M.G, durante dois meses eu fiquei com esse medo de dormir que tu relatas. E com isso sempre tinha pesadelos justo com os meus maiores medos do toc, e era um ciclo sem fim que me deixou bastante debilitada. Atualmente eu já não tenho com tanta freqüencia estes medos, mas eles não estão erradicados. Também a eles, tenho algumas compulsões: não posso dormir sem três pedrinhas de aquamarina e quartzo embaixo do travesseiro. Esses dias me vi sem elas e me deu uma angústia tremeda, achei que não fosse capaz. Consegui. Agora elas estão em potinho longe do meu quarto, estou tentando me "desapegar" dessa compulsão, mas nem sempre é fácil.


    Com carinho anônima. Vou mudar meu nick de anônima para Aiya, assim tenho uma identificação.

    Abraços a todos!

    ResponderExcluir
  73. Aiya,

    achei que eu fosse a única que sentisse esse medo na hora de dormir. Ao mesmo tempo em que me sinto 'menos sozinha', preferia que eu fosse a única a sentir isso, pois é horrível.

    Você comentou que quando coloca as três pedrinhas em baixo do travesseiro sente-se mais segura. Curioso, eu não tenho nada assim para esse momento. Também não sei dizer se é melhor ter algo assim para 'ajudar' ou ter que passar pela situação sem algo que dê uma sensação de segurança.

    Fico contente que você esteja conseguindo dormir sem as pedrinhas. Realmente não é fácil, mas é possível!

    A única coisa que eu faço é preparar o ambiente com coisas que me passam essa sensação de segurança. É um incentivo de se preparar em situações de risco.

    Espero que você e todos que sentem medo possam sentir-se mais fortes e confiantes!

    Se mais alguém quiser compartilhar sobre essa questão do medo, mas ainda não sente-se a vontade. Incentivo para que falem e compartilhem. Isso ajuda e muito!

    Beijos a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc M.G. contar os medos e problemas do toc nos ajuda muito, por isso criei esse blog, para divulgar o toc e para às pessoas poderem desabafar. Seu que não é fácil fazer isso na 1a vez que acessa mas com o tempo a pessoa vai se abrindo.
      Aiya, leve o tempo que precisar para se abrir mas não deixe de se abrir aqui onde todos somos iguais.
      Beijos

      Excluir
  74. Olá pessoal,

    É muito reconfortante ver tantos comentários. Particularmente fico satisfeito em ver que o espaço criado pelo Miguelito, tem sido de grande ajuda para todos. Acho que a maioria de nós que acessamos, comentamos e lemos cotidianamente os posts dos nossos amigos se sentem aliviados por não acharem que são únicos, que não são loucos ou monstros como os pensamentos do TOC nos fazem acreditar.

    Saber que temos formado um elo de ajuda mútua, com a colcha de retalhos que estamos tecendo com nossos comentários é motivo de grande alegria. Creio que quanto mais leitores do blog saírem do anonimato melhor, pois assim podemos conhecer mais do problema em comum que nos tem aproximado. As palavras que aqui são escritas trazem alento a muitos que passam por aqui, mesmo que sem deixar vestígios.

    M.G. li os seus posts, e em um deles dizia que era redatora e achava estar na profissão errada, portanto creio que esteja redondamente enganada com relação a isto, pois você contextualizou e se expressou muito bem. Você será mais uma para somar.

    Acho que todos nós deveríamos considerar o que o Miguelito falou, no seu post de Ano novo, em relação a nos comunicarmos pelo grupo. Acho que muitos teriam menos receio de trocarem ideias.

    Vamos continuar mandando ver e a escrever, porque eu acredito quanto mais falamos e conhecemos sobre o TOC, mais benéfico será, pois conheceremos melhor o nosso inimigo e ficaremos mais fortes de modo que ele não nos pegue em nossas fraquezas e nos ameace, de modo que nós passemos a ameaça-lo. Espero que apareçam mais pseudônimos por aqui.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  75. Desculpem me pela falta de sentido e coesão em alguns trechos do texto que escrevi acima. Estava com pressa o que me impediu de querer ser perfeito. rsrsrsrs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Ric, seu texto foi bastante claro e eu concordo: nos comunicar, trocar ideias, ajudar. Temos o mesmo problema e cada um lida de uma maneira. 'Formar um elo de ajuda mútua'. É benéfico compartilhar tudo isso e receber palavras que acalmam.
      Como as suas, por exemplo, que disse que eu estou na profissão certa. Obrigada!

      Eu gostaria de compartilhar com vocês algo que está me incomodando muito agora, a ponto de eu me sentir desesperada. Desculpem-se falar de algo íntimo, mas diz respeito a como o TOC me atinge. Eu e o meu namorado estudamos na mesma faculdade e ele ia pagar a mensalidade na semana passada. Porém, como eu ia pagar hoje, resolvemos esperar para irmos juntos. Porém, houve um imprevisto e eu não pude ir hoje.
      De forma que ele foi até a universidade hoje [que é o último dia para pagar] e pegou uma fila enorme. Eu não acho que é minha culpa, afinal eu não fiz isso por mal. Mas falei com ele agora a pouco e ele falou comigo nervoso, parecia até que eu tinha feito por mal. Disse que não deveria ter me esperado e etc. Eu me senti a pior pessoa do mundo, mesmo sabendo que não fiz por mal, que não é minha culpa.

      Isso me deixou extremamente agitada, desconfortável, triste, culpada, ansiosa e vulnerável ao TOC. E quando é assim nem passa pela minha cabeça resistir. Não consigo trabalhar, não como, apenas fico me punindo... imaginando como ele está nervoso e numa fila enorme, sendo que ele poderia ter ido antes, se eu soubesse que não poderia ir hoje.
      É realmente dificil sentir-se afetada dessa forma.

      Eu já não consigo mais enxergar o que é preocupação normal e o que é o TOC me dominando.

      Vocês conseguem resistir aos rituais nessas situações?
      Eu não sei o que fazer e vim até aqui para falar e para ler os relatos de vocês. Para ver se eu consigo clarear as coisas.

      Excluir
    2. Olá M.G. acho que sentir-se culpado por tudo, achar que tudo[e culpa sua é uma das caracteristicas do TOC. Eu pelo menos sou assim e já ouvi de várias pessoas que elas se sentem culpadas pelas coisas que acontece. Outro dia minha filha se atirou no chão e começou a berrar. Eu sou bem paciente e pedi várias vezes para ela se levantar e como ela não se levantou eu segurei em um braço dela e puxei ela para cima. Na hora senti o braço dela fazer "cloc" na altura do cotovelo e soltei correndo (ela tem 3 anos). Ela começou a chorar de dor no braço e a segurar o cotovelo e eu não sabia se era manha ou se era verdade. Quando ela não quis apertar o botão do elevador para não soltar o cotovelo (coisa que ela ama) o mundo caiu para mim: Eu havia machucado a minha filha. Fiquei incomodado e ela chorava e pedia para eu segurar o braço dela pois estava doendo. Como ela não deixava eu ver e nem qeria ir ao hospital (nessas horas ficamos nervosos e invertemos os papeis, os filhos mandam e os pais obedeçem) coloquei ela para dormir esperando que passasse a dor. 10 min depois de ela pegar no sono tentei ajeitar o braço dela e ela acordou chorando de dor e segurando o braçinho, não era manha. Levei ela no pronto-socorro e quando o médico perguntou eu disse que ela havia se machucado e na mesma hora ela me entregou: foi me pai que me machucou. Expliquei o que aconteceu e como todo portador de TOC já catastrofizei tudo, já sabia que ia ter que engessar, que ia ter que dar um calmante para ela deixar fazer isso etc, etc, etc mas o médico simplesmente deu um puxao de leve no braço dela e torçeu para um lado e para o outro e ela parou. Ele me disse que aquilo se chamava "não sei o que" (na hora nem prestei atenção) e pediu para aguardar 5 min. Depois disso ele pediu para ela pegar a caneta da mão dele e ela pegou com o braço (ex)machucado sem problemas. Na hora eu queria beijar o médico (mas ele não fazia meu tipo) mas até esse momento eu me sentia o pior pai do mundo, ainda mais quando o médico me disse que crianças até 10 anos a gente pega pelos dois braços próximos ao ombro e nunca apenas por 1 e proximo do pulso. É horrivel essa sensação de culpa mas é pior ainda quando alguém sugere que a culpa é sua. Nessas horas faça o gráfico de pizza da culpa: divida um círculo em pedaços e coloque a porcentagem de culpa de cada um ou de cada coisa e vc vai ver que vc pode até ter uma porcentagem na culpa mas com certeza não são 100% como vc achava. Na hora eu fiquei nervoso e só me via como culpado, não sabia que decisão tomar com medo de ser culpado por outro erro, queria ir logo com ela no hospital mas me via obrigado a realizar os rituais para que nada de pior acontecesse a ela. Com o tempo e treino vc vai aprendendo a pensar ao invés de sair realizand rituais e aprende que vc não acerta 100% mas tb nunca erra 100%, vc sempre terá erros e acertos que nem sempre dependem somente de vc.
      Mais calma? :) Espero que sim.
      Beijos

      Excluir
  76. Miguelito,

    Nossa!! Estou sem palavras após ler o seu comentário!
    Estou me sentindo mais calma, sim e compreendida também.
    O fato de você ter compartilhado essa história como resposta... Muito obrigada!

    Sua filha tem sorte em ter um pai assim e com certeza ela sabe que você a ama!

    Beijos a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. M.G.,
      Que bom que esteja mais calma e que minha estória contribuiu para isso. Não é fácil assumir uma culpa dessas e nem abrir essa estória para tantas pessoas mas como não tenho seu email e vi que vc precisava de ajuda, resolvi passar por cima desse obstáculo e é muito bom saber que isso te fez bem.
      Beijos e quando estiver na angústia já sabe onde procurar ajuda:)

      Excluir
  77. Olá, Miguelito

    para você abrir essa estória e compartilhar ela demandou força e a aceitação de que a sua responsabilidade nessa situação foi pequena. Você não causou um mal e teve bastante jogo de cintura para resolver. O resultado foi muito mais simples do que você esperava, né? Às vezes perdemos a medida das coisas e, como você disse, para nós algumas coisas parecem uma catástrofe.

    Seus comentários e o blogue em si têm me ajudado muito.

    E da mesma forma que você disse que eu posso vir até aqui, compartilhar, você e os outros portadores de TOC que frequentam esse blogue também.

    Beijos e obrigada!

    ResponderExcluir
  78. Olá. Sou mãe de uma criança de 5 anos e meio que tem sintomas de TOC há cerca de um ano. Tudo começou com uma crise decorrente de uma situação de bullying na escola em que a auto-estima dele veio por aí abaixo. Começou com a questão das mãos sujas, que tinha de lavar, não queria tocar na cara porque podia ficar doente, lambia os pulsos para a roupa não se rasgar...Depois de seguido por psicóloga e de termos rejeitado a administração de risperidona recomendada por neurologista pediátrico os sintomas têm-se atenuado. Contudo, à noite quer companhia para conseguir afastar os pensamentos maus (aranhas, bruxas,tentam matá.lo, cortar uma perna, uma mão negra que o tenta puxar). Descobrimos que a respiração abdominal o ajuda muito a adormecer e às vezes já faz sozinho. Mas é um esforço enorme, diário tentar afastar a mania de falar da morte, de se centrar nas desgraças. Agora descobri que faz força para fazer algum xixi porque tem medo que entupa! Já tinha desconfiado porque às vezes aparece um pouco molhado e com a roupa a cheirar a xixi! É muito desgastante e, sobretudo, preocupante porque, pelos vistos, isto é algo que o acompanhará sempre. É uma criança muito inteligente ao ponto de ter enganado a psicóloga. Recusou-se a falar dos pensamentos dizendo que já não precisa de ajuda. Em casa. explicou-me que disse isso para poder brincar com a dr.ªa: "mãe se eu dissesse que precisava de ajuda ficávamos só no blá, blá, blá. E tu és a melhor ajudadora mãe!" Até quando? obrigada e as melhoras para todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Petra, desejo melhoras a seu filho. Posso imaginar o que ele passa com estes pensamento, nós adultos com todo "desenvolvimento da consciência" já passamos mal bocados fico imaginado uma criança. Mesmo com toda esperteza dele talvez um bom psicologo deva ajudar, sobre a risperidona eu particularmente não recomendaria a ninguém, pois me causou efeitos coletarias horríveis além de piorar o meu TOC, muito embora os efeitos é diferente em cada pessoa, muitos relatam melhora com estes medicamentos.

      Excluir
  79. por favor me ajudem!!!!!na verdade sei que isso e impossivel,o toc e a pior coisa pra mim. eu tinha uma vida normal,era feliz ate aparecer esse maldito toc.sao manias horriveis que ninguem tem(acho que nem as otras pessoas com toc tem isso pois nao me vejo em quase nenhuma historias que voces contam),nao vou contar como sao minhas manias,pois sao coisas horriveis.o que posso contar e que isso me causa um sofrimento muito grande(pode parecer estranho pra quem nao tem toc ou ate quem tem so que em grau diferente)nao consigo ter felicidade por causa disso,a unica soluçao seria a morte ou ter perder a memoria totalmente sem volta,para poder esquecer meus rituais,as vezes fico sonhando se acontesesse isso,seria unica forma de voltar a ser feliz.

    ResponderExcluir
  80. oi pessoal.sou o mesmo do comentario acima.vou logo avisando que nao sou gay,sou do sexo masculino.como disse antes,minha vida era muito boa,gostava de viver,estava trabalhando começei a ter relaçoes sexuais,adorava minha familia,tinha prazer em respirar.ate que esse toc maldito entro na minha cabeça.devastou tudo acabou comigo.sao manias muito complicadas de explicar nao fazem nenhum sentido,se nao faço meus rituais fico muito deprimido e se faço,vem outras piores.raramente consigo eliminar por completo uma mania,e quanto maior for a dificuldade de faze-la,quanto maior for a ridiculeza dela e a vergonha de faze-la,pior e,vai aumentano a dificuldade de tirala da cabeça.e um inferno sem limites e a pior coisa.ja tive perda de parentes,me senti estranho fisicamente,senti solidao,so que nada disso e pior do que o toc na minha opiniao.todos os outros problemas sao superaveis,basta acontecer algo bom na vida para melhora-los.no caso do toc e diferente,nada que acontece acaba com ele,tudo passa a nao ter graça,nem prazeres sexuais estao fazendo efeito.medicamentos nao fariam efeito,pois seria como dormir,nao sinto o toc enquanto estou dormindo;so que volta quanto acordo.pra mim o unico jeito seria a morte ou melhor,perder a memoria totalmente sem voltar a nunca,nunca mesmo lembrar dos rituais malditos que me causam forte angustia e depressao.essed seria o unico jeito de eu voltar a ser feliz.

    ResponderExcluir
  81. Meu camarada, a atitude drástica de finaliza a vida não é valiosa para quem está perto de você e muito menos para você. Pense o que adianta tal atitude se a existência chegará ao fim? Deste modo vc acabará com todas as chances de obter os diversos prazeres da vida e retomar sua alegria, não acha? Um dia pensei assim como você, mas criei coragem e busquei ajuda, pois sem ela teria mergulhando em profundo, frio e escuro oceano de dor e tristeza. Acho que você ainda não procurou um médico ou uma terapia e ao contrário do que dizem a medicação para o TOC não irá fazer você ficar, dormindo, andar babando ou ficar viciado como dizem, eu no princípio imaginei que fosse assim, mas não é, isto é invenção de pessoas sem conhecimento. Portanto se você quiser retomar tudo que o TOC te roubou busque ajuda, vá ao médico psiquiatra (não se preocupe como muitos dizem não é médico de maluco, muito contrário é um profissional que ajuda a cuidar e nossa saúde mental, assim como o dentista ajuda a cudar dos dentes o cardiologista do coração etc.), ele irá lhe receitar algum medicamento para o tratamento (não faz efeito da noite para o dia, a melhora é lenta e gradual, mas ela existe. Tudo indica que você ainda é bem jovem, então se você quiser continuar descobrindo e experimentando os ótimos prazeres que a vida começou a lhe apresentar, busque qualidade de vida e peça ajuda as pessoas em que você mais confia.

    Espero ter ajudado

    ResponderExcluir
  82. OLA amigos eu tenho TOC desde a infância passei por maus bocados desde que a doença começou a existir em minha vida tenho muitas manias embora de algumas eu tenha conseguido me livrar como por exemplo ficar olhando por horas os cantos das peredes de minha casa com medo de que tenha algum animal peçonhento escondido por lá,ou ficar parada em frente a porta da sala olhando a rua também por horas a fio,pois tinha medo de que não conseguisse dormir caso não fizesse isso,fazia o sinal da cruz pelo menos 20 vezes,pois tinha medo de esquecer de rezar para varios santos e eu não achava justo esquece-los,dar pelo menos uns 10 beijinhos em cada um de meus pais e avós,se batesse um braço na parede eu tinha que voltar e bater o outro para ficar igual,essa mania tenho até hoje e também tenho muitas outras como somar os números de placas de carro,contar até dez quando vou beber água,ficar batendo o dedo varias vezes na parede antes de dormir

    ResponderExcluir
  83. Além de bater os dedos na parede antes de dormir,se vejo números ímpares eu tenho que encontrar o meio dos números como por exemplo se for o número 7 então o número do meio é o 4,tenho que colocar meus chinelos em simetria perto da cama e ainda fico parada um bom tempo olhando para o chinelo para ter a certeza de que ele está simetricamente alinhado,quando vou lavar a louça tenho que começar em ordem decrescente como por exemplo lavar primeiro as panelas e terminar com os talheres,senão parece que não está perfeito e acabo tendo de fazer tudo outra vez,até quando vou tomar banho na hora de tirar a roupa eu te que começar da camiseta e quando termino o banho tenho de vestir as roupas intimas primeiro em todos os sentidos,eu também dou soquinhos no armario do trabalho e sempre tenho que dormir bem no meio do colchão essas são apenas algumas de minhas manias amanhã eu volto a dizer mais alguma coisa sejam livres para comentar minhas manias ,tchau e boa noite a todos,bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anonima, não tenho mania de simetria mas já tive essa mania de se bater um braço ter que bater o outro tb rs. O TOc muitas vzes chega a ser engraçado como citei em varios posts mas ultimamente não tenho achado graça dele. PReciso rir novamente da cara dele para desmoralizá-lo e colocá-lo no seu devido lugar? no chão.
      Conte mais de suas manias pois lendo elas já comecei a querer rir do TOC.
      Beijos

      Excluir
    2. Oi Miguelito tudo bem,eu estou aqui outra vez para lhe contar mais sobre meu TOC,esta semana bati meu braço direito num poste e depois comecei a bater no meu braço esquerdo até me sentir aliviada o problema é que só parei quando comecei a sentir muita dor e meu braço ficou muito vermelho ja que eu sou bem branca mesmo,eu também tenho uma coleção de livros muito grande e quando meu marido diz que vai dar um fim neles eu acabo discutindo por isso e ja tenho mais de 100 livros e ja li todos,eu não consigo fazer nada muito rápido,pois quando faço tem que ser perfeito nos minimos detalhes,então eu acabo deixando de fazer algumas coisas,porque sei que vai levar muito tempo para conseguir realmente terminar o que me dispus a fazer,fiz o tratamento por um ano e neste periodo também acabei por colecionar mais alguns probleminhas de saúde

      Excluir
    3. Eu entrei numa depressão tão profunda que a única coisa que fazia era chorar,quando chegava a noite eu sentia tanto desespero e angústia que chegava a puxar meu proprio cabelo até sentir tanta dor quanto podia suportar e fazia tudo escondido eu sofria bullyng na escola exatamente por causa de minhas manias,desisti de estudar por medo de sofrer ainda mais,quando meus pais perceberam que eu não estava bem psicologicamente eu ja estava num estágio em que fui diagnosticada como suicida,embora eu nunca tenha pensado em matar realmente,eu só estava anoréxica,mas não porque queria ser magra e sim porque realmente não queria comer,pois tinha que contar até mesmo quantas vezes mastigava um alimento

      Excluir
  84. Eu cheguei a pesar 42 kilos estava que era só pele e osso um dia fui tomar um banho e tomei um choque quando olhei para meu corpo e vi que eu parecia uma daquelas pessoas que morrem de fome na África,então eu gritei e pedi ajuda a minha mãe depois daquele dia comecei a lutar para vencer minha doença,2 anos depois eu engravidei do meu marido e parei de tomar os medicamentos por causa da grávidez,mas perdi a criança com menos de 2 meses de gestação e os médicos me disseram que eu estava com baixa imunidade,mas desde então nunca mais voltei a fazer o tratamento muitas de minhas manias sumiram e algumas se prolongam até hoje,mas agora hoje neste exato momento eu ja consigo enfrentar alguns de meus medos,eu estou pesando 62 kilos e estou fazendo um tratamento para engravidar e por enquanto não faço nenhum tratamento para o TOC,mas estou driblando bem a doença quando puder voltarei ao tratamento,amanhã eu volto,bjs a todos,tchau.

    ResponderExcluir
  85. Lilian,

    meus infinitos parabéns por sua determinação em ter decidido lutar por si mesma! É difícil decidir e ir à luta, mas que bom que vc compreendeu que não é impossível e não se deixou vencer! Posso imaginar o seu sofrimento e a infinidade de sentimentos que já enfrentou até aqui! Te admiro por ter se erguido e lutado contra esse transtorno que lhe foi tão agressivo, fazendo até com lhe surgissem outros diagnósticos! Suas palavras são de uma vencedora de verdade, é possível sentir em sua narrativa! Deus te abençoe e providencie que vc melhore cada vez mais, se recupere plenamente, tenha uma excelente qualidade de vida e tenha sucesso no tratamento para ter o seu bebê com saúde! Te desejo tudo o que houver de melhor! Felicidades! Bjs e Boa Sorte na sua caminhada!!!

    ResponderExcluir
  86. .html?showComment=1362806136404#c214518137822387222

    ResponderExcluir
  87. Oi ETERNA tudo bem eu estou aqui para agradecer as palavras de carinho que li acima e obrigada pela paciência que teve ao ler tudo o que escrevi acima e espero que meus relatos sirvam para ajudar as pessoas a lutarem por tudo e superarem seus problemas com FÈ,AMOR E PERSEVERANÇA sempre nunca desistam de seus sonhos,pois eu aprendi a lutar pelos meus,boa PÀSCOA a todos na semana que vem eu volto,bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lilian! Tudo bem e com vc?

      Não há o que agradecer! Eu também agradeço a vc por ter compartilhado conosco suas vivências e tenha certeza que nos ajudou e ajudará a muitas pessoas! Desejo que mantenha a sua fé e perseverança e que possa sempre nos contagiar com sua esperança e bondade! Ótima Páscoa a vc e a todos! Que possamos nascer de novo para uma nova vida junto com Jesus em sua ressurreição! Bjs e até mais!

      Excluir
  88. Boa Tarde Tudo bem? Tenho 21 anos, estou sofrendo de TOC já faz quase 1 ano. Minha vida mudou muito depois que fui assaltada e tive um cisto provocado por um cravo no rosto. Tive que lutar muito com o problema do cisto porque eu me achava muito feia, fui em vários médicos para ele me ajudarem e com isso acabei ficado paranoica com doenças, e com isso acabei indo em vários médicos de diversas especialidades, e eu ficava com muito medo de qualquer coisa que aparecia no meu corpo de diferente. E como isso agora tenho muito medo de contaminação, tenho medo de ir no banheiro e se eu for tenho que lavar as mãos várias vezes, não consigo sentar no banco dos ônibus sentar em quase nenhum lugar só quando tenho certeza de que estão limpos, e se eu for obrigada a me sentar em algum lugar ou tocar fico com muita angústia. Tenho medo de bicho também, não sei o porque mais ando com medo de bicho barbeiro. Ontem tive uma crise muito forte e que ainda estou me recuperando, acordei com de costume em todo domingo, levantei, me arrumei e disse para o meu namorado que iria na padaria comprar pão, coloquei um sapato mais fechado porque não me sinto bem andando de chinelo na sua pois tenho medo de me cortar, até ai tudo bem, sai fechei o portão e vi um mendigo na rua sentado a duas casa para baixo da minha, com isso andei um pouco mais rápido e acabei pisando em alguma coisa e fiquei preocupada, mas continuei andando e chegando na esquina senti mais alguma coisa no meu pé, ai eu cheguei na padaria pedi o pão e paguei e com isso eu voltei prestando atenção no chão para saber no que eu tinha pisando, me lembro que olhei na rua para ver se via o mendigo mas não vi, e com isso fiquei olhando para o chão, me lembro de atravessar a rua e olhar novamente para ver se via o mendigo ai eu abri o portão e fechei, cheguei em casa e fiquei olhando o meu pé para ver se tinha machucado olhei até de lanterna, depois disso começou um medo terrível de se o mendigo fez alguma coisa para mim e se eu não me lembro, pois estava distraída com o meu pé, já refiz o caminho da padaria 1000 vezes já para vez se me lembro de alguma coisa.
    E esse medo me consome pois fico sem vontade de fazer nada e sem vontade de comer e com isso choro muito. Estou indo no psicologo e ela me encaminhou para um psiquiatra pois ela falou que talvez não vou conseguir sem a medicação, só que o psiquiatra está marcado só para maio e os outros que tentei marcar só para setembro. Meu maior medo é ficar doida e não saber o que é verdade, tenho medo de perder meu namorado por causa disso, ele me diz que me ama muito e está me ajudando, mas tenho medo de ser um fardo para ele, só quero ter uma vida normal e ter pensamentos normais. Obrigada por esse espaço. Boa sorte para nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tive essa mesma ideia, pensar que iria enlouquecer, medo de ficar doido e ser um fardo na vida da minha família e minha esposa, na época da crise ela era minha namorada. Fora que achava que tinha todas as doenças possíveis, ainda tenho muito isto de achar que algo aconteceu e por eu estar distraido não ter visto ou posso ter me esqucido, mas quando acontece simplesmente tento não dar asas a estes pensamentos e não volto para refazer nada. Com esse bendito TOC temos que ser perseverantes e não cedermos a vontade dele, só assim conseguimos nos manter no controle e não deixae ele nos controlar. Sei que é díficil esperar, mas aguarde com paciência para ir ao psquiatra, comogo aconteceu o mesmo que com você priemiro fui ao psicologo e ele disse que não poderia me ajudar sozinho, me pediu que procurasse um médico, pois a medicação seria preciso, custei a conseguir consulta, mas no fim deu tudo certo e hj me recuperei bastante, não estou livre dos pensamentos ruins, mas tenho controle sobre eles e os mesmo já não me causam a aflição que causavam antes.

      Excluir
  89. Olha, quando eu estou passando por um momento de estresse muito intenso, tenho que entrar e sair do banheiro varias vezes. Umas 2 ou 3. As vezes forço pra ir no banheiro mas não sai nada. Isso está me preocupando pq as vezes me atraso nos meus compromissos ou saio no meio das reuniões só para ir ao banheiro. Eu tive Sindrome do Panico bem forte mas me tratei e tive alta. Acha que poderia ser só mais um gatilho da ansiedade? Isso é só nos momentos de muito estresse. Não quero estar com toque. Não tenho mais nenhuma outra mania. Abçs!

    ResponderExcluir
  90. Bom dia a todos.

    Tenho lido muito sobre o toc ultimamente. Tenho toc desde que me conheço por gente, mas só fui diagnosticada aos 21 anos. Como a maioria, fui em milhões de médicos e até benzedeira e ninguém descobria o que eu tinha. Até que cheguei ao fundo do poço e não conseguia mais viver.
    Hoje tenho 27 anos e faço tratamento com medicamentos desde os 21 anos. Casei há dois anos e estava "bem" (porque 100% é difícil, mas conseguia controlar bem meus sintomas). Há quatro meses parei com os medicamentos (junto com os conselhos do meu médico), pois quero engravidar.
    Mas infelizmente não consegui. Nossa ficar sem os medicamentos foi maravilhosos, sem sono, sem preguiça. E o TOc logo bateu a minha porta. é como se fosse uma barragem de uma represa que está se partindo. Só apenas rachaduras que você consegue controlar, mas chega uma hora que tudo explode e você é afogado por essa doença. Eu me aceito bem mas agora estou revoltada. Porque eu tenho que ser assim? Porque existe essa praga? Só queria ter um filho e ser "normal" como qualquer mulher que vai ao ginecologista e começa o tratamento para engravidar. Acho que nunca vou conseguir. Como será sem o medicamento? Claro que retornei a medicação agora, mas quando poderei realizar me sonho e fazer meu esposo feliz?
    São uns pensamentos que sei que não devo dar bola, mas são mais fortes que tudo. Sofro porque sei que é toc, tento controlar mas não consigo.
    Minha crise agora começou porque na minha cidade tem muitos cães de rua. E eu adoro cães. Só que não posso ver um na rua porque acho que eles vão ser atropelados. Não trabalho mais pensando nisso porque minha mesa fica de frente para a porta da rua e tenho que atender para que isso não aconteça. Não consigo mais dirigir porque se eu ver um cachorro na rua sou capaz de bater o carro. Esses dias atrás quase fiz meu esposo bater o carro, pois um cachorro atravessou na frente de outro carro e eu gritei desesperadamente. Sei que um dia o inevitável irá acontecer pode ser que eu veja de verdade um cão ser atropelado, mas eu imagino que vou morrer se isso acontecer.
    Pior esses dias atrás eu estava indo embora do meu trabalho e vi um cão atravessar a rua e ficar com cara de desesperado porque parece que tinha fugido de casa. Eu queria parar o trânsito e correr lá, mas não fiz isso aí nem dormi a noite toda e tô até hoje pensando que se algo aconteceu ao coitadinho é por minha culpa.
    Desde o inicio do meu tratamento (quando eu tinha 21 anos) consegui a começar a dirigir e isso me ajudou muito, pois tive a sensação de independência. Claro que eu não queria que o mal acontecesse com algum cãozinho, mas hoje nem consigo pensar nisso que parece que meu coração vai sair pela boca.
    Espero melhorar e arrumar forças do além, pois se um dia eu queira tentar engravidar novamente tenho que suspender o remédio. Morro de medo só de pensar. Imagine se eu entro em crise no meio da gravidez? O que farão comigo?
    Obrigada por escutarem meu desabafo. Só vocês que sofrem com isso entendem o que se passa pela nossa cabeça. Gosto muito de falar, parece que isso me alivia um pouco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anonima, eu conheço pessoas que engravidaram, pararam de tomar o remedio e se deram super bem. Depois de engravidar voltaram a tomar o remédio. Por outro lado tb existem muitos casais que decidem não ter filhos, o que tb é normal e não são casais que tem TOC, decidem não ter porque não querem. Sei que para mulher essa é uma decisão dificil de não ter filhos pois geralmente elas são as que mais querem mas e vc, gostaria de ter um filho ou seria apenas para satisfazer seu marido? Acho que se a vontade de ter um filho for sua vc deva insistir, se for do seu marido acho que deveria conversar com ele e se ele te ama vai te entender.
      Eu tb amo os animais e sofro demais com isso mas esse sofrimento em excesso com certeza é culpa do TOC.
      Espero que compartilhe outras vezes pois nós tb sentimos melhor ouvindo suas estórias.
      Beijos

      Excluir
  91. Obrigada Miguelito. Vc não imagina como estou me sentindo MARAVILHOSAMENTE BEM em saber que portadoras de Toc podem ter filhos. Sempre foi meu sonho e e tudo que quero. Peço que reze por mim. Amanhã inicio a psicoterapia. Voltei ao luvox 100mg e tb rivotril porque estou tendo crises de ansiedade, culpa, desanimo por ser assim. Mas tenho certeza que irei melhorar. As vezes me acho a unica diferente neste mundo e as pessoas acham que somos frescos e não doentes. Ter seu apoio me faz respirar novamente. Boa noite...

    ResponderExcluir
  92. r.i.c como você conseguiu isso de não pensar tanto esses pensamentos ,como conseguiu não dar importância a esses pensamentos ,por que eles não mim deixam.

    ResponderExcluir
  93. r.i.c como você conseguiu isso de não pensar tanto esses pensamentos ,como conseguiu não dar importância a esses pensamentos ,por que eles não mim deixam.

    ResponderExcluir
  94. Velho, eu tava desesperada, de algum jeito ler esses posts de toc me dá um conforto, como se por algum tempo eu acreditasse que isso tudo é só uma coisa da minha cabeça, sabe o que eu tenho muita vontade? de conversar com outro portador de toc, pra não me sentir tanto sozinha. Eu fico muito extressada como o toc, tem vezes que eu tenho crises fortes, e até choro de tão insuportavel que é. Tem horas que eu tento falar comigo mesma para não acreditar nisso, que é uma doença, eu mesma não entendo esses pensamentos, lendo esses posts me faz sentir que eu não estou tão sozinha, todos nós com toc esperamos nos curar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anônima! É compreensível todos os seus sentimentos. Todos aqui temos o mesmo problema! E estamos aqui com os mesmos objetivos de melhorar nossa qualidade de vida e ajudar uns aos outros na luta contra o TOC. Eu gostaria de sugerir que vc acessasse a página inicial do blog: http://toc-transtornoobsessivocompulsivo.blogspot.com.br/ e fizesse seu comentário no último post, pois lá terá mais chances de interagir com os outros 'tocados'! beijos :)

      Excluir
  95. preciso muito da sua ajuda,pois só tenho pensamentos ruins.Penso que vou morrer,se descascar um aipim tenho que cortar vários pedacinhos,porque se cortar poucos pedaços acho que vou morrer,tenho tb pensamentos que não são do agrado de Deus e eu não consigo controlar pois invade a minha mente do nada.Se tenho um sonho acho que vai acontecer.MIM AJUDE POIS ISSO TIRA A MINHA ALEGRIA.Se acontece uma coisa ruim com uma pessoa acho que vou ser a próxima.MIM AJUDE.

    ResponderExcluir
  96. Eu tenho TOC também, meu tipo é predominantemente sexual. Já tive também com medo de ter doenças e de pensamentos estranhos, de que as coisas não existiam, de que as pessoas que falo não existiam etc. Mas gente, descobri cedo a doença, não tive vergonha de contar meus piores pensamentos para a minha psicóloga da época. Fui ao psiquiatra e tomo a medicação ha quase 1 ano, quero tomar por mais tempo ainda para ficar estável durante um período maior. Mas o que quero dizer é que não basta apenas se medicar e fazer terapia, a luta contra o TOC é árdua mesmo. Exige primeiro CORAGEM. Como nunca gostei de nada que limitasse minha vida, eu investi nisso como um desafio. É DIARIAMENTE. A minha pior fase do TOC ja se foi, agora tenho leves pensamentos incomodos, mas que não barram minha vida. Até na pior fase do TOC eu não dava margem para ele se infiltrar em minha vida. Tudo isso são pensamentos nossos que estão vinculados a nossa formação de personalidade. Nossos piores medos são atacados pelo TOC, ele pega nossas fragilidades. Minha dica é que aprendam a se conectar com você mesmo que em meio a uma crise obsessiva. Todo inimigo tem ponto fraco, no fundo sabemos discernir tudo, mas temos muitas fragilidades que nos fazem ter muito medo, nossa mente se assombra por muito pouco. Aprendam a ficar sozinhos mentalmente, aceitem o descontrole não temos o poder de controlar nada, aturem a ansiedade, sim,aturem ela. Sei que é horrível, que somos sensíveis demais a ela, mas so conseguimos vencer se formos fortes. Não é fácil mas é POSSÍVEL.

    ResponderExcluir
  97. busquem no google, ou no facebook

    Falando de toc

    e curtam minha p[agina, mandem perguntas e estorias por inbox, caso queiram privacidade, ou publiquem na p[agina.

    ResponderExcluir
  98. Acho que o meu toc é o pior de todos que já foram postados aqui. Espero que me ajudem. Já quando era miúdo tinha TOC de limpezas, simetria, pensamentos que não queria ter mas tudo isso foi controlado ao longo do tempo sem medicamentos nem idas ao psiquiatra. O meu TOC foi quase sempre derivado de sentimentos de culpa. Por exemplo quando era miúdo prai com 7,8 anos num jogo de futebol um miúdo falou mal pra mim, deume um pontapé e eu cai no chao á frente de toda a gente e eu não respondi. Depois do ocorrido o sentimento de culpa que deveria ter dado também um pontapé ao miúdo e deitado ele ao chao corroía-me por dentro porque na altura não tinha feito nada. Contei á minha mae o que se tinha passado e ela concordou que eu nesse caso em especifico deveria ter respondido na mesma moeda pois o outro miúdo não tinha o direito de fazer isso e isso aumentava-me a ansiedade e a minha mente não parava de dizer" és um covarde não fizeste nada, ficaste por baixo"´. E a única maneira de mandar esse pensamento embora era numa situação idêntica aquela em que esse miúdo me chateasse eu respondesse da mesma moeda e fizesse algo ainda pior de modo a que ficasse por cima e me sentisse bem comigo mesmo e com a minha autoestima por "tinha ganho a luta, tinha sido superior". De a partir dessa idade e para que numa mais tivesse aquele sentimento de angustia provocado por nao ter feito nada e ter sido um covarde ,nunca deixava nada por dizer ou fazer em situações de confronto , mas nessa altura e até aos 15 anos +- eram coisas banais que aconteciam ás quais eu respondia para n ficar com o sentimento de culpa de me terem pisado e eu não ter feito nada. Porem agora aos 15 anos de idade isto evoluiu para algo pior em que algumas brincadeiras que os meus amigos tinham comigo eu já n consigo levar na brincadeira e á sempre certas frases especificas que eu tenho de responder derivadas á situação e nem sempre fico com a consciência tranquila tendo que planear outra coisa para fazer a esse tal colega para que tenha a certeza que "fiquei por cima" e ás vezes mesmo depois de ter feito o que tinha planeado ainda n fiquo bem pois achei que não foi o suficiente , que podia ter feito mais a não ser que haja um sentimento contraditório de qe o que eu faça aseguir possa estragar tudo o que fiz até la como por exemplo: eu dizer a um colega que se volta a abusar lhe parto a boca toda , por xemplo se ele responder alguma coisa e eu na altura não souber responder como deve ser provavelmente vou ter de planear outra coisa para lhe fazer. O que se passa é que derivado a isso já n falo com quase ninguém mas sinto-me bem com isso pois sei que assim sem ter confiança com as pessoas elas já n vao dizerme coisas que eu nao gosto ou num tom de voz que eu n gosto ou ter brincadeiras que eu n gosto e eu já n vou ter de me impor sobre elas retirando assim a ansiedade de que num dia qualquer essas determinadas pessoas brinquem comigo. O que acontece é algumas brincadeiras de mau gosto qque me faziam derivavam também de eu dar confiança a gente que acabava de conhecer e ainda n conhecia o seu carater e que mais tarde vinha a saber que era um mau carater e que n devia sequer ter falado com essa pessoa. O problema e que evoluiu para algo mais em que por exemplo já n digo a ninguém " deixame fazer isto ou aquilo " porque a palavra" deixame " é uma palavra que indica que a ação depende da vontade da outra pessoa e então digo sempre "posso" pois essa palavra já depende da minha vontade. N falo com os meus pais pois dizem que coisas que me chateiam e se eu não disser uma coisa que contrarie o que me disseram naquele momento já vou ter de planear outra coisa para lhe dizer( uma coisa pior mas do género daquela) e num tom de voz mais elevado. Depois se eu achar que isso não chega vou ter de repetir tudo o que disse mas como já tinha dito num tom de voz elevado vou ter de elevar mais a voz pk se não elevar estraguei o que tinha feito até ali e voume sentir outra vez com ansiedade.

    ResponderExcluir
  99. Por favor leiam tudo: em continuação do texto anterior
    O problema é que eu tenho ansiedade se não obedecer ás minhas obcessoes de responder a coisas que nem sempre são provocações mas eu já levo como provocações e tenho ansiedade antes de realizar as compulsões porque sei que vou fazer coisas fora do contexto e porque estou a chamar a atenção dos meus pais num tom de voz elevado coisa que um filho n deve fazer. Eles pensam que estou a ficar rebelde e estou a passar das marcas mas eu so estou numa tentativa de ficar bem comigo mesmo e com a minha autoestima. A porcaria e que se eu pensar em não realizar as compulsões derivadas das obcessoes eu penso que esse pensamento não vai desaparecer e que sou covarde e então acabo sempre por realizar as compulsões( compulsões estas que incluem gritar e apontar o dedo aos meus pais dizendo coisas como´" não admito que me digas isso, é bom que tenha ficado percebido, ouviste bem o que eu disse, é bom que tenhas ouvido , senão vamos ter problemas". Se não disser isso sintome diminuído porque a minha mente dizme constantemente " não diz<es isso aos teus pais porque não consegues , és um fraco, se não fizeres voute assobrar com este sentimento que és um covarde ate ao resto da vida. O pior é que a minha mae fez algo que não devia ter feito , eu reagi de forma inadequada gritando e chamando-lhe nomes , e o meu pai também me fez uma coisa de errado. So que o problema e que eu também vou ter de reagir com o meu pai da mesma forma ou de uma forma ainda pior do que a que falei com a minha mae pois se não fizer isso a minha mente dizme que eu sou um fraco, um covarde pois a minha mente diz-me que se disse aquelas coisas daquela maneira naquele tom de voz á minha mãe porque é que não digo a mesma coisa da mesmo maneira naquele tom de voz ao meu pai .
    Nota: Já fiz isso com o meu pai de gritar com ele chamando-lhe a atenção so que ainda n estou satisfeito porque a ultima frase que disse ao meu pai foi com um tom de voz mais baixo do que o que tive quando gritei com a minha mãe. Como o meu pai desde pequeno sempre foi que impunha mais respeito eu sempre tive " mais cuidado com aquilo que lhe dizia" so que agora isso tem-me angustiado porque se falo duma maneira mal criada com a minha mae devido a algo que ela não fez tao bem também numa situação idêntica em que o meu pai tenho feito algo de mal eu também tenho de elevar o tom de voz ainda mais alto do que o que tive com a minha mae numa tentativa de me convecer que sou forte e corajoso pois apesar de ter gritado com a minha mae que sei que é " um pouco mais fraca" também grito com o " meu pai" que sei que ira reagir de outra forma.. Neste momento ainda n estou satisfeito porque ainda tenho mais uma coisa pra dizer ao meu pai num tom de voz ainda mais elevado e dizer todas as coisas más que disse á minha mae como por exm: agora ouves e calas-te que eu é que mando aqui.. Se não fizer isso sintome covarde porque disse á minha mãe e n disse ao meu pai numa situação idêntica. Se eu gritar mais alto com o meu pai e dizer todas as coisas que disse á minha mae (mas tudo tem de ser perfeito e isto inclui ele não ripostar) sintome bem, so que já tentei varias vezes e nunca corre tao perfeito como a minha mente imaginou e tenho de repetir tudo o qque disse de novo sempre num tim de voz ainda mais alto de novo numa tentativa de me sentir em paz e não me sentir covarde por ter dito certas coisas a minha mae num determinado contexto e num contexto idêntico nao ter feito o mesmo com o meu pai. Por favor ajudem-me . Qd o meu pai chega a casa sinto uma angustia enorme pois estou sempre naquela " digo ou n digo" mas se não digo n fico bem porque me sinto covarde




    ResponderExcluir