10 maio 2014

Reportagem sobre TOC no programa Hoje em Dia da Record (mania de limpeza)

No dia 06-05-2014 o programa Hoje em Dia da Record apresentou uma matéria sobre TOC intitulado "Veja quando o hábito deixa der mania e se torna doença na íntegra do Hoje em Dia". A matéria contou com convidados que descreveram alguns de seus hábitos obsessivos compulsivos e de uma psiquiatra do ambulatório de TOC da UFSP que debateu o assunto. A matéria foi bastante interessante e divertida sem banalizar o assunto afinal algumas manias são mesmo engraçadas quando vemos nas outras pessoas ou quando contamos nossas próprias manias após um tempo mas precisa ser tratado de modo sério para não banalizar. O vídeo é do programa inteiro e a matéria sobre TOC começa as 34 minutos de vídeo.
Segue o vídeo:

22 fevereiro 2014

Sombras do TOC

Olá amigos "tocados", faz tempo que não escrevo..... estavam com saudades das postagens? Eu estava com saudades de postar. Fico feliz que meu último post já ultrapassou os 200 comentários pois vi que a maioria dos comentários eram pessoas contando seus problemas e a minha comissão de frente dando o apoio, pena que depois de uma certa quantidade de comentários não foi mais possível vê-los. É muito bom ver que estamos unidos pelo mesmo problema e que compartilhando um com os outros acabamos dividindo essa carga que carregamos. Sei que muitas vezes a ansiedade atinge um nível máximo e o TOC nos perturba tanto que temos vontade de explodir (literalmente) mas antes de explodir ou sair por aí gritando como um louco: "Eu tenho TOC, dê-me uma injeção de amnésia", venha até o blog e escreva tudo o que está em sua cabeça, coloque para fora todo o seu desespero e depois comece a ler alguns comentários e verá que naquele momento o TOC que parecia desesperador e que você jamais iria se livrar dele, depois de alguns minutos começa a mudar e a ansiedade vai baixando e você vai ver que foi apenas mais uma crise como as outras e assim como antes você conseguiu sobreviver a mais um surto do TOC.
O TOC tem altos e baixos, tem períodos em que as obsessões e compulsões estão mais acentuadas e você realiza mais rituais, os pensamentos vem com uma intensidade maior e existem períodos de calmaria onde tudo parece mais tranqüilo porém o TOC ainda está lá, te acompanhando tal como uma sombra. As pessoas te olham e voce não está mais com aquela cara de sofrido por causa do TOC mas elas podem ver a sombra do TOC caminhando lado a lado com voce. O TOC nunca dá um dia de trégua, por mais tranquilo que ele esteja ele está lá, voce sabe que ele está lá, voce não consegue passar um dia todo sem TOC.

Infelizmente ele é um amigo fiel, tão fiel que não te larga nunca. Já até comecei a tratá-lo de "ele", de "meu amigo TOC" pois estamos muito íntimos e como dizem: a intimidade é uma merda e ser íntimo do TOC realmente é uma merda.
Mas para vencer o inimigo precisamos conhece-lo e nada melhor que ficar íntimo dele, por isso criei esse blog e gosto que as pessoas contem suas estórias pois a cada estória conhecemos mais do TOC.
Já discutimos em vários posts se o TOC tem cura ou não e cada um tem uma opinião ou uma experiência. Já vi relatos de algumas pessoas que alegam estar curados do TOC mas geralmente essas pessoas depois que encontram a cura não querem mais ter contato com o TOC e não explica direito como é essa cura. É normal ela querer se afastar de tudo que a lembre dessa porcaria mas se ela faz isso é porque não está curada mas sim que conseguiu controlar o TOC.
Novamente volto na comparação do "tocado" com o alcoólatra, o alcoólatra se "cura" do vício mas ele nunca mais pode voltar a tomar um mínimo de álcool com o risco do vício voltar então na verdade ele não está curado, ele apenas consegue controlar o vício. Talvez com o TOC seja igual, voce não consegue eliminar os pensamentos invasivos mas não dá mais tanta importância a eles ou então se controla para não realizar os rituais quando esses pensamentos invadem sua mente. Voce se "cura" do TOC mas a sombra dele continua lá, te acompanhando onde quer que voce vá.
Parece assustador a idéia de ter uma sombra dessas te acompanhando o resto da sua vida mas nada é mais assustador do que conviver com o TOC dentro da sua cabeça então melhor que ele fica lá, atrás de voce, te acompanhando do que dentro da sua cabeça controlando voce.
Volto a dizer que o ótimo é inimigo do bom então não procure a perfeição em sua cura, procure apenas viver bem. Voce que ve apenas a sombra do TOC em sua vida não desista de elimina-la mas não faça disso a sua razão de viver, continue a sua vida feliz mesmo que tenha que arrastar essa sombra e nos conte o segredo de como adormecer o TOC :)
Voce que está no auge das compulsões e obsessões pare para pensar e veja se em algum momento da sua vida o TOC já não foi apenas uma sombra. E se um dia ele foi apenas uma sombra ele pode voltar a ser novamente somente uma sombra. Voce tem todo o direito de gritar, brigar, reclamar, desabafar e esmurrar a parede só não pode desanimar e achar que nunca vai se livrar do TOC pois pelo menos em um período da sua vida ele adormeceu e com certeza voltará a adormecer e quem sabe dessa vez para sempre.
Se voce se sente sozinho e no escuro lembre: voce não é o único com TOC e quando estamos no escuro pelo menos não temos sombra ;)

26 setembro 2013

O TOC está envelhecendo

Vamos ficando mais velhos e tudo vai piorando, as qualidades vão piorando, os defeitos vão se acentuando e o TOC vai envelhecendo junto e ficando mais ranzinza e rabugento do que ele é. Mês que vem faço aniversário (aniversário de nascimento e não aniversário do TOC) e a cada ano vejo que vai ficando mais difícil de lidar com o TOC e de eliminá-lo da minha vida para sempre. Não sei se tem um prazo máximo para nos livrarmos do TOC antes que ele se apegue para sempre a nós, tipo um feitiço ou uma poção que vc toma e lhe transforma em algo desagradável e se vc não tomar o antídoto a tempo ficará assim para sempre mas não desisto de tentar me livrar dele.
Algumas vezes eu disse que tenho uma relação de amizade com o TOC e sei que existem pessoas que não concordam com isso e que se arrepiam só de chamar o TOC de "meu" (né Eterna? rs) mas tantos anos dormindo com o inimigo me fizeram íntimo dele. Isso se confirmou quando começei a fazer terapia pois a própria psicóloga me questinou porque eu me sabotava tanto nos exercícios para controlar o TOC. Não consegui dar uma resposta e não sei se tenho medo de viver sem o TOC ou se não irei mais me reconhecer sem o TOC.
A pessoa que sou fez com que eu desenvolvesse TOC ou o TOC me fez a pessoa que sou hoje e sem ele eu não seria eu mesmo? Como mudar de identidade de uma hora para outra sem traumas? Todos conhecem o Miguelito portador de TOC mas iria conhecer também o Junior que não tem TOC?
Com certeza não quero viver com o TOC de quase 14 anos atrás pois esse me tomava muito tempo, me desgastava demais mas o TOC que convivo depois que começei a tomar medicamento não é tão cruel assim. As vezes ele ataca mais forte, como qualquer outra doença mas na maioria das vezes é suportável. Não sei se isso é bom ou ruim pois não me dá aquela força, aquela raiva de lutar com tudo contra o TOC. Pelo contrário, as vezes me pego com o pensamento de time que está ganhando não se mexe.
O parasita nunca mata o seu hospedeiro, ele suga ele ao máximo mas nunca a ponto de matá-lo pois se ele matar o seu hospedeiro como sobreviverá? O TOC faz a mesma coisa, ele te suga ao máximo, quase tira todas as suas forças mas nunca vai te fazer chegar a ponto de morrer pois senão ele também deixa de existir. Com esse pensamento sabemos que por mais que a gente sofra com o TOC nunca vai morrer de TOC então muitas vezes nos acomodamos. Eu estou acomodado com meu TOC, estou na zona de conforto e como portadores de TOC não gostam de mudanças, nem mudar para melhor eu quero.
Estou primeiro me preparando psicologicamente para viver sem o TOC e quando estiver preparado começarei os exercícios para eliminar os rituais aos poucos e uma vez sem executar os rituais começarei ignorar os pensamentos até que eles não me afetem mais. Sei que nunca vou conseguir me livrar dos pensamentos pois não temos como evitar de pensar no que não queremos mas se os pensamentos não me afetarem mais e se eu não executar mais nenhum ritual por causa dos pensamentos, terei uma qualidade de vida 90% melhor do que tenho. Nada na vida é perfeito então uma redução de 90% no TOC ao invés de 100% já me fará feliz.
Em outro post vou explicar melhor no que consiste esses exercícios para diminuir o TOC e como eles funcionam em nosso cérebro.

23 junho 2013

Viagem Insólita

Andei ausente mas resolvi postar novamente, queria pelo menos 1 post por mes mas vi que o último post foi a 2 meses atrás!!! Quase imperdoável, só é perdoável porque eu estava em um momento de transição nesses 2 meses e estava numa viagem insólita entre medicamentos tentando associar mais alguma droga junto da clomipramina na tentativa de diminuir os pensamentos. Sempre fui a favor de todo e qualquer experimento desde que eles me prometessem uma possível melhora do TOC. Não me importava em ir aumentando a dosagem do remédio até chegar ao máximo, estudando os efeitos e avaliando os pós (diminuição nos pensamentos) e contras (efeitos colaterais).  Não me importava em trocar de medicamento até chegar naquele que eu melhor me adaptasse, tanto que clomipramina foi a minha 2 opção, me adaptei com ela mas mesmo assim rodei os outros antidepressivos com ação anti-obsessiva para ter a certeza de que realmente a clomipramina era a melhor. Mas, depois de 13 anos tomando clomipramina e fazendo terapia a 1 ano e não vendo melhora além daquilo que eu já havia melhorado, resolvi ao invés de trocar de remédios experimentar associaçõs com a clomipramina. O ótimo é inimigo do bom e o que estava bom e devia ficar ótimo não ficou, piorou. Começei a tomar risperidona e aos poucos fui me apagando, me fechando até que eu não tinha vontade nem de dar bom dia quando acordava. Começei a ficar triste e até um pouco depressivo e quando expus ao médico ele me disse que esse é um dos efeitos da risperidona. Caracas, se tomo antidepressivo para o TOC não quero entrar em depressão então para que tomar um remédio que me anule e me deixa para baixo? Ai resolvemos tentar a venlafaxina, que ao contrario do remedio anterior era para me dar ânimo, me colocar para cima. Colocou-me tão para cima que eu ficava em estado de alerta sempre, estava a todo momento atento achando que algo de ruim podia acontecer, que estava o tempo todo em perigo e começei a desenvolver sindrome do pânico.
Ai resolvi me contentar com a minha velha e boa clomipramina que não me cura 100% mas tb não me deixa depressivo, paranóico ou super agitado e acho que voltei a ser eu novamente, aquele eu que tem TOC mas que estou acostumado a conviver com ele, não aguentava mais conviver com a pessoa estranha que eu estava me transformando.
É inacreditável que uns comprimidinhos aparentemente tão inofensivos possam mexer tanto com o cérebro e a personalidade da gente. Ainda sou favorável aos experimentos pois não existe um remédio numa determinada dose para curar o TOC, cada um responde de uma maneira a um medicamento numa determinada dosagem então, infelizmente o único jeito de chegar próximo do ótimo é fazendo experimentos mas lembrando que o ótimo é inimigo do bom. Apenas vou dar um tempo para conviver com eu mesmo antes de tentar mais alguma coisa.
Tem gente que usa droga para ficar doidão, eu usei remédios e também estava ficando doidão rs. Cada um se vira com o que tem.

04 abril 2013

Honestidade

Para a surpesa de muitos aqui estou eu escrevendo novamente. Para quem pensou que o próximo post só viria daqui uns 2 meses se enganou redondamente rs.
Já falamos muito sobre várias caracteristicas dos portadores de TOC como ter boa memória, ser perfeccionista, ter inteligencia acima da média, etc mas acho que nunca comentamos sobre a honestidade, o pudor do portador de TOC.
Como é difícl para um portador de TOC levar vantagem em algo, como é complicado dar aquela enrolada básica na sexta a tarde vespera de feriado prolongado. Metade da empresa já viajou na sexta de manhã para a praia, a outra metade foi embora logo depois do almoço e vc está lá, firme, trabalhando de verdade e com aquela culpa por ter feito 1h10 de almoço ao invés de 1h. Quem é portador de TOC e não é assim?
E não conseguimos pegar o que não é nosso né? Não estou comendo chocolate e justo esse mês várias pessoas fizeram aniversário e trouxeram caixa de bombom. Não vou comer chocolate agora mas posso guardar para mes que vem quando eu voltar a comer chocolate mas quem disse que consegui pegar um bombom e guardar na minha gaveta até mes que vem? Parecia que eu estava furtando o chocolate e escondendo na minha gaveta.
Não sei se isso é caracteristica de muitos ou somente minha mas me sinto incomodado quando não coloco certinho as horas que trabalhei. Não sei se é honestidade ou perfeccionismo e até os minutos trabalhado tem que ser contados. Fico além do horário na empresa se necessário mas pesa a consciencia se saio 10 min antes do meu horário.
Gostaria de ser mais flexível comigo mesmo e me cobrar menos pelas coisas. Gostaria de levar a vida numa boa como muitas pessoas sem me preocupar tanto com o futuro. Queria ser mais inconsequente de vez em quando, menos exigente comigo e com as pessoas.
É só pensar nessas coisas e minha mente dominada pelo TOC já começa a me cobrar mais juízo e tenta me fazer sentir culpado por desejar essas coisas. Gente, é só um desejo, não que eu vá concretizar tudo o que penso.
Acho que talvez outra caracteristica de quem tem TOC seja ser sonhador, vive sonhando como seria a sua vida sem o TOC, como seria sua personalidade se ela não tivesse sido moldada pela TOC. A menos que vc desenvolva TOC depois de adulto vc nunca terá a certeza de como seria sua personalidade sem o TOC.
Sempre trato com TOC na 3a pessoa como se ele fosse realmente uma outra pessoa dentro dessa pessoa que sou eu. Brigo muito com o TOC mas procuro fazê-lo em voz baixa, de preferencia de forma introspectiva, pois já dou muitos motivos para me acharem louco e não vou querer dar mais um motivo rs. Lido com ele como se ele fosse uma personalidade a parte da minha personalidade mas as vezes me esqueço de que talvez o TOC seja eu mesmo, essa outra personalidade que eu trato na 3a pessoa talvez devesse tratá-la na 1a pessoa pois sou eu mesmo. Ai me dá um nó na cabeça e paro de pensar :)
Se o TOC for eu mesmo, se ele fizer parte da minha personalidade, então tenho que mudar a si próprio para mudar essa personalidade mas se o TOC é uma 3a pessoa, uma personalidade a parte então tenho que pedir um exorcismo pois somente assim para me livrar dele.
Indepentende de como for gostaria de dizer que não me dobrarei ao TOC e enquanto houver um fôlego de vida lutarei contra ele para que possa viver nem que sejam 10 min livre dele.
Vamos a luta!!

21 março 2013

Jogo da memória

Olá a todos que leem esse blog e principalmente aqueles que o visitam todos os dias em busca de um novo post, esses são guerreiros ainda mais nessa estiagem de posts.
Abro a janela de uma nova postagem e fico olhando para aquela tela branca e minha mente vai viajando naquele branco infinito e as letrinhas nada de aparecerem mas quando menos espero meus dedos começam a se movimentar e letrinhas começam a se juntar para formar frases e aí o miguelito volta a escrever :)
As vezes me pergunto se o TOC aumenta a minha ansiedade ou se minha ansiedade aumenta o TOC? E logo me lembro do slogan: Tostines vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais? Maldita memória infinita que nunca lota e também nunca esqueçe das coisas. Será que se eu conseguisse apagar algumas coisas da minha memória eu diminuiria a ansiedade e ela o TOC? Ou vice-versa?
Só sei que como muitos comentaram aqui a minha memória também se recorda de coisas que aconteceram a muito tempo e de coisas recentes também. Tenho uma memória fotográfica que funciona como uma foto mesmo só que sem anotações atrás da foto. Vejo um rosto e posso ficar 10 anos sem ver o mesmo rosto e quando o vejo novamente tenho a certeza de que já vi aquele rosto antes. Mas diferente de um vídeo que me diz alguma coisa, com a foto não me lembro o nome da pessoa, não me lembro o nome do lugar de onde conheço a pessoa, nada além da certeza de que já vi aquele rosto antes e isso me gera muita ansiedade. Eu poderia ter uma memória videográfica ao invés de fotográfica assim ela iria funcionar como um vídeo, com imagens e sons e não apenas como uma foto estática que não me diz nada mais além de que: já vi esse rosto antes.
Eu lembro de coisas de quando eu tinha 2 anos de idade, sei que eu tinha essa idade pois me lembro de quando abri a testa e tive que levar pontos. Lembro do médico falando comigo e dizendo que ia "costurar" a minha testa e quando pergunto para minha mãe quantos anos tinha quando isso aconteceu ela me diz que eu tinha 2 anos. Lembro de quando eu tinha 3-4 anos e meu irmão abriu a minha testa com um telefone de brinquedo feito em madeira e fiquei 1h com meu avô esperando minha tia chegar para me levar ao PS (já abri a testa várias vezes, nem vou contar as demais vezes senão vou desmaiar pois não posso ver sangue rs). Tenho lembranças de quando eu estava na pré-escola e não tinha TOC e me lembro nitidamente do 1o dia na 1a série quando meu TOC começou.
Lembro de quase tudo, só não me lembro de como eu era feliz sem o TOC, não lembro nem se eu era feliz sem ele, só me lembro que hoje sou infeliz com ele.
Quando eu me curar do TOC vou me lembrar de tudo o que vivi com ele? Vou me lembrar de cada ritual e cada mania que eu tinha? Cada pensamento escabroso que passou pela minha cabeça? Ah, espero que não, espero sofrer de uma amnésia rara que dá como reação adversa naqueles que se curam do TOC :)
Já que não consigo esquecer das coisas eu tento pelo menos selecioná-las. Procuro recordar somente das lembranças boas e tento deixar as demais lembranças trancadas numa área escura do meu cérebro pois sei que apagá-las eu não vou conseguir mesmo.
E isso funciona viu? Substituo cada pensamento triste por um alegre, cada pensamento obsceno por outro brochante, cada pensamento obsessivo por outro pensamento qualquer desde que não seja compulsivo. No fim acabo ficando mais tranquilo e a ansiedade diminui, afinal dentro de mim existem lembranças boas e lembranças ruins e irão prevalecer aquelas lembraças que eu alimentar mais.
Se eu criei o TOC não é possivel que eu mesmo não consiga eliminá-lo. Se eu permiti e dei condições para ele se desenvolver dentro da minha mente de alguma maneira tenho que ser capaz de desfazer isso e ir confiando ele aos poucos até que ele sucumba.
Vou lançar a campanha: Diga NÃO ao TOC :)
Abraços e nos falamos mais no próximo posts, enquanto isso vamos trocando ideias através dos comentário.

07 janeiro 2013

Pare o mundo que eu quero descer

Tem uma música do Raul Seixas que diz: Pare o mundo que eu quero descer por que eu não aguento mais escovar os dentes com a boca cheia de fumaça. E a cada nova estrofe ele fala para parar o mundo porque ele quer descer por um motivo diferente.
Quantas vezes eu não me senti assim? Quantas vezes eu não quis que o mundo parasse porque eu não aguento mais fazer a mesma coisa todos os dias?
Pare o mundo que eu quero descer pois não aguento mais verificar se a porta está fechada. Tem que ir, tem que voltar, tem que fazer isso 5x.
Pare o mundo que eu quero descer pois não aguento mais lavar as minhas mãos. É infecção, doenças... é gripe suína, gripe do frango, gripe H1N1 e eu no meio de tudo isso!!!
Gente! Pare o mundo que eu quero descer pois não aguento mais não entender as pessoas. Ou sou super burro e não entendo ninguém ou minha inteligencia transcende a de qualquer mortal que não tenha TOC e idéias que eles acham o máximo para mim soam banais e sem propósito.
Parece que definitivamente não fazemos parte desse mundo e queremos que ele pare para a gente descer. Peço perdão àqueles cujo TOC faz com que eles fiquem ruminando mentalmente uma música pois aposto que agora essa música não vai sair da cabeça deles mas não tinha outro jeito de explicar como me sinto as vezes senão usando essa música como exemplo.
Voces já devem ter ouvido o termo: Tenho que matar um leão por dia no meu trabalho. Pois quem tem TOC precisa matar uma alcatéia todos os dias e quando finalmente o dia acaba e a pessoa deita na cama (não antes de verificar 50 vezes a torneira, lavar 20 vezes as mãos ou acender e apagar a luz freneticamente) ela descobre que está a apenas algumas horas de recomeçar a batalha, algumas horinhas de sono e tudo recomeça quando o dia nasce.
Na verdade as demais pessoas enfrentam cachorros com peruca (para parecerem leões), quem mata leão mesmo todo dia somos nós, portadores de TOC.
Mas não é por causa disso que vamos desistir né? Aliás, não sei se somos brasileiros que não desistem nunca ou se não desistimos mesmo porque somos portadores de TOC e portador de TOC é persistente. Se não fossem persistente não persistiriam tanto nas ruminações ou rituais rs.
Vamos desistir do TOC e não de nós, vamos lutar contra ele com as armas que temos e de acordo com a força de cada um.
Aqui vão umas dicas para vc vencer o TOC:
- É importante a procura de um psiquiatra para ele realmente diagnosticar que temos TOC pois como podemos ter TOC com outras comorbidades é possível que não tenhamos certeza se nossos sintomas são de TOC ou não. Também é importante pois ele vai buscar o medicamento que mais se adapta a voce. Como somos indivíduos, temos reações individuais. Cada ser humano vai reagir de uma forma a determinado medicamento e numa determinada dosagem. Não é porque conheço alguém que se dá bem com clomipramina que também vou me dar bem com ela. Não é porque alguém tem uma reação adversa com a paroxetina que terei a mesma reação. Não é porque minha tia toma 10mg que essa terá que ser minha dosagem também. Nessas horas é bom ter paciencia e estar aberto ao que o médico propor, trocando de remédios e de dosagens até achar a correta. Isso pode demorar 1-2 anos mas depois que acerta é só alegria :);
- É bom também fazer um acompanhamento com psicólogo, fazer terapia congnitiva-comportamental pois o TOC tem muito a ver com comportamento então não basta os remédios que diminuem a ansiedade e os pensamentos, é preciso também mudar o seu comportamento em relação a essa doença. Não esconda nada do psicólogo pois o maior prejudicado é vc mesmo, estará se auto-sabotando. Lembre-se que vc não é o 1o e nem o único portador de TOC que ele atende portanto já ouviu esses relatos várias vezes e está costumado com isso. Se for dificil falar então escreva numa folha para ele;
- Procure fazer o que vc gosta, o que te dá prazer. Nem sempre na vida podemos fazer somente o que queremos e que nos dá prazer mas também não podemos só fazer o que nos desagrada, sem nenhuma atividade prazerosa. É dificil o portador de TOC se permitir ter prazer, se permitir fazer algo que lhe dê prazer mas lembre-se que se vc está lutando contra o TOC vc terá que desagradá-lo e antes ele ser contrariado do que vc;
- Atividades fisícas é bom em qualquer doença portanto também é ótima no TOC.
Tem milhões de conselhos sobre o TOC, várias coisas que vc pode fazer para amenizar a ansiedade e consequentemente diminuir os pensamentos mas nada vai adiantar se eu listar todos aqui e vc não seguir um só que seja então começe procurando um psiquiatra e em seguida um psicólogo e os demais conselhos vc vai aprendendo com o tempo.
Pare o mundo, desça um pouco dessa roda viva alucinante e mate pelo menos um leão hoje e com o tempo serás "el matador" (no sentido figurado, por favor, pois amo os animais e nem para me curar do TOC eu mataria um leão de verdade rs).

03 janeiro 2013

Feliz 2013

O ano passado eu não fui um bom menino, escrevi poucos posts e nem o tradicional post de fim de ano eu escrevi (acho que por isso papai noel não me deu nenhum presente). Esse ano eu começei bem, pelo menos o post de ano novo estou escrevendo :). Espero que isso seja um bom sinal de que escreverei muito nesse ano.
Não quero que voces encarem isso que escrevi como uma retrospectiva do ano passado e nem como uma promessa para o ano novo pois todo mundo tem a mania de no fim do ano fazer uma retrospectiva de como foi o ano passado, reclamar dele e fazer um monte de promessas que irão valer a partir de 02/jan/ mas que na verdade nem 10% das promessas são cumpridas. Apenas notei que andei escrevendo pouco e preciso escrever mais.
Apesar desse meu descontentamento com a quantidade de posts estou muito feliz com o número de acessos. Ano passado passamos os 100 mil acessos ao site e chegamos ao comentário de número 1.000!!!! Sim, o blog já teve mais de 100 mil acessos e mais de 1.000 comentários. Boa parte desses coméntarios tem sido da Eterna, minha fiel ajudadora mas não foi ela a autora do comentário de número 1.000, porém acredito que logo, assim como o Pelé, ela atingirá a postagem de 1.000 comentários rs. Beijo para voce Eterna!!!!!
Fico feliz também que o blog esteja ajudando cada vez mais pessoas, não só a se identificarem com o TOC e finalmente descobrirem que não são os únicos a terem esses sintomas e que não estão sozinhos como também tem ajudado muitas pessoas a encontrarem conforto nos posts, nos depoimentos e comentários deixados pelos leitores.
O ideal seria se essa troca de mensagens fosse feita no grupo criado no Yahoo pois todos os que estão inscritos receberiam a mensagem de apoio, de conforto em seus emails pois escrevendo na forma de comentários muitas pessoas não são notificadas de que há um novo comentário.
Espero que esse ano realmente seja diferente para todos os portadores de TOC. Que a gente possa colocar em prática nossa luta contra os pensamentos e rituais ao invés de somente almejar isso mas ficar com medo na hora de praticar. Que cada um de nós sejamos exemplo para o próximo de que essa doença não limita nossas vidas e que, apesar desse transtorno, somos livres para trilhar nossos caminhos sem pular as rachaduras nele existente, que somos capazes se arrumar nossas vidas sem que tudo tenha que estar alinhado e simétrico :). Que possamos lavar a alma nesse ano, mas lavar somente uma vez, sem ficar lavando compulsivamente rs.
FELIZ 2013 a todos e bora pois temos apenas 362 dias para vencer o TOC esse ano :)


02 outubro 2012

Estória de um transtorno obsessivo compulsivo

Gentem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Esse mês tá dificil, meu nível de ansiedade subiu no máximo e o nível de serotonina deve ter caído lá no pé. Mas vamos seguindo em frente que o tempo não perdoa e não espera pelos retardatalhos.
Faz tempo que eu não conto um dos rituais que eu tenho, ou tinha, mas uma amiga me escreveu essa semana dizendo que é a minha amiga oculta pois não comenta os posts, apenas os lê e se sente um conforto lendo que acabei me motivando a escrever. Imagino que existam outras amigas e amigos ocultos que não comentam os posts mas estão sempre lendo esperando ver um pouco de si em cada post para não se sentirem um estranho, alguém único e esquisito portanto estou escrevendo para esses também.
Pensando nisso resolvi contar um ritual que eu tinha quando era criança. Era embaraçoso e me pregou algumas peças mas estou aqui para isso, para contar tudo sobre o TOC, inclusive os pensamentos absurdos, rituais malucos e situações inusitadas que eles nos coloca. Se eu contar apenas os pensamentos e rituais liberados pela censura muitos vão achar que seu TOC é o pior de todos e não terão a coragem de se abrirem aqui porém, na verdade, todo portador tem um pensamento ou um ritual que ele julga obsceno, imperdoável, imoral, ilegal ou que engorda.
Quando eu tinha meus 10-12 anos de idade tinha a compulsão de tocar na água da privada cada vez que eu usava o banheiro. Era uma compulsão forte e eu não conseguia sair do banheiro sem tocar, nem que fosse bem de levinho, na água da privada. Eu dava a descarga e depois de tocar a água eu lavava as mãos claro mas mesmo assim era horrível de fazê-lo (quem tem obsessão por limpeza ou contaminação deve ter infartado agora). Em casa nem tanto mas fora de casa era terrivel usar o banheiro e eu evitava ao máximo. Quando eu chegava da escola estava super apertado e para não ir ao banheiro eu tinha 2 opções: fazer xixi no jardim e arriscar alguém passar na rua e me ver ou então, ir ao quintal, subir no muro que ficava ao fundo e servia para segurar a terra e fazer xixi naquela área de quintal de dificil acesso.
Com o tempo peguei uma inflamação no dedão da mão e formou pus, provavelmente por causa da água da privada e evitei ao máximo usar o banheiro para fazer xixi. Utilizava o jardim que tinha algumas roseiras e eu podia me esconder ou fazia rapidinho no quintal do fundo pois estando em cima do muro os vizinhos podiam me ver. Esse ritual, como vários outros, começou a ficar fácil demais então minha mente foi realizando uma metamorfose nele e não bastasse fazer xixi no jardim eu ainda tinha que deixar pingar algumas gotinhas no meu sapato (não acredito que estou contando isso aqui rs. Tudo bem, tem outros piores que esse).
Numa das vezes que subi no muro, começei a fazer xixi e escutei uma voz dizer: miguelito!. Era o pai das minhas vizinhas - duas irmãs amigas minhas - me olhando fazer xixi. Muito rápido interrompi o xixi - acho que todo mundo sabe o quanto dói interromper o xixi - e pulei do muro ainda subindo o shorts quando escutei meu vizinho novamente: Ô miguelito, pode fazer seu xixizinho, não queria atrapalhar vc.
Maluco! O choque foi tanto que corri para o banheiro, fiz xixi bonitinho e nem encostei na água da privada ou pinguei as gotinhas no sapato rs.
Não me lembro como substitui esse ritual por outro mas até hoje tenho sonhos no qual estou fazendo xixi em público e alguém me ve.
Passei apuros e vergonha por causa do TOC, me coloquei em situações ridículas por causa dele mas ele fez parte de mim por muito tempo. Ele ainda faz parte mas com menor intensidade. Depois que começei a tomar antidepressivo os pensamentos melhoraram muito e agora fazendo TCC estou conseguindo largar o vicio das compulsões.
Leio muitos relatos de pessoas desesperadas por causa do TOC e realmente as vezes ele nos dá desespero mas não é sempre. Se vc sobreviveu com o TOC até aqui conseguirá sobreviver mais algum tempo até achar o medicamento ideal ou a psicóloga certa.
Sei que a maioria sempre escreve no blog quando está em desespero mas seria legal ouvir estórias divertidas ou ler momentos de tranquilidade no TOC pois isso é possível.
Até o próximo post pessoal

11 agosto 2012

Nhec, nhec

Não consigo ficar longe do blog e nem quero ficar longe dele :). Mesmo com o TOC buzinando atrás para eu apressar o passo eu preciso parar um pouco para escrever. Não é todo dia que estou com vontade de contar as desventuras do TOC mas como recebo muitos emails me sinto compelido a escrever e mostrar para todos quem é esse TOC de verdade.
Sou como uma montanha-russa, tenho vários altos e baixos mas não sei se isso é do TOC ou uma comorbidade como transtorno bipolar. Hora estou animado e logo em seguida desanimado, hora calmo e outras horas ansioso. Quando estou ansioso e não consigo sair de um ritual fico muito irritado.
Eu levanto muito da cadeira e vou até o banheiro para lavar as pontas dos dedos. Ir até lá é fácil, o duro é voltar pois fico entrando e saindo do banheiro, molhando as pontas dos dedos. Quando tem alguém no banheiro é um pouco complicado, preciso disfarçar e espero a pessoa sair para eu poder entrar e sair a vontade.
A droga é que o banheiro aqui é perto das salas das pessoas e o na porta tem uma mola para fazer a porta fechar sozinha. Em parte é bom pois não preciso eu mesmo fechar a porta (também tenho problemas com isso) mas a parte ruim é que o tio da manutenção não passa muito por aqui e a porta está rangendo cada vez que abre e fecha.
Um dia desses eu estava tão ansioso que abri e fechei a porta umas 15x, num intervalo de tempo muito curto e aquele nhec, nhec da mola realmente estava irritante até que alguém se levantou do lugar e veio ver o que estava acontecendo com a porta. Quando dei de cara com o colega de trabalho entrei correndo no banheiro e me tranquei na casinha. Nâo queria sair de lá de vergonha, muitos menos queria abrir novamente a porta do banheiro por causa do nhec, nhec. Uns choques desses as vezes é bom pois acho que a descarga de adrenalina faz aumentar a serotonina e o TOC quase que desaparece. Quem gostaria mesmo de desaparecer era eu mas os rituais diminuiram drásticamente e consegui sair do banheiro abrindo apenas 1 vez a porta.
Seria cômico se não fosse trágico.