30 dezembro 2010

Manias

Manias ou rituais, como queiram chamar, são as compulsões que temos na tentativa de diminuir a ansiedade causada pela obsessão. E essa tentativa é bem sucedida por isso tendemos a continuar as ter compulsões como alívio das obsessões. Só não entendo porque minhas manias ou rituais vão mudando com o tempo. Não sei se isso acontece somente comigo ou com outros portadores de TOC também mas meus rituais foram mudando ao longo do tempo. Hoje, meu dia começa e eu vou ao banheiro lavar o rosto, tenho a mania de lavar duas vezes o rosto, colocar 4x água na boca e cuspir e depois lavar mais duas vezes o rosto. Que eu me lembre esse ritual me persegue faz tempo e o faço de forma tão automática que já não me causa mais angústia ao fazê-lo pois é algo que não me toma tempo, é sempre igual. Já depois de lavar o rosto eu preciso me trocar, escolher uma calça e vestí-la, uma camisa, meias e sapatos. O ritual para isso mudou muito com os anos, cada vez tenho uma mania diferente para me trocar. Antes eu tinha que pegar uma calça e se conseguisse pegá-la e não ter nenhum pensamento ruim eu vestia ela. Se no momento em que pegava a calça me viesse um pensamento ruim então eu não podia mais colocar aquela calça naquele dia senão eu achava que algo de ruim ia acontecer com quem eu amo. Aí eu tentava pegar outra calça sem vir um pensamento ruim e assim ia até conseguir. Conforme ia acabando a quantidade de calças disponíveis eu sabia que de alguma maneira teria que vestir uma, nem que fosse a última calça então parece que ao sobrar poucas calças ficava mais fácil. Com o tempo aperfeiçoei esse ritual e ia tocando em várias calças e tendo pensamentos ruins(de forma intencional) para que me sobrassse apenas 1 ou 2 opções aí só me restava vestir a calça que sobrou. Assim como eu aperfeiçoei esse ritual, o TOC também se aperfeiçoou e meu ritual mudou. Agora não bastava mais eu pegar a calça sem vir um pensamento ruim, eu tinha que pegar a calça e vestí-la sem vir nenhum pensamento ruim. Enquanto vc leva apenas 2 segundos para pegar uma calça é fácil não ter pensamentos ruins em 2 segundos mas para vestir uma calça, por mais rápido que vc seja vc vai levar uns 5 segundos e aí sim fica complicado vc tentar afastar os pensamentos ruins por 5 segundos. Agora eu já não podia mais sair tocando em várias calça para sobrarem apenas 1 ou 2, eu precisava de todas as opções de calças disponíveis pois ia descartando uma por uma a medida que tentava vestí-las e no meio do processo me vinha um pensamento ruim e me via obrigado a tirar a calça e escolher outra. Como o tempo esse ritual sofreu "mutações" e hoje o meu ritual para vestir a calça continua sendo ter que vestí-la sem vir um pensamento ruim mas quando eu "acho" que o pensamento ruim está vindo eu tiro correndo a calça e jogo na cama. Aí eu posso ter o pensamento ruim e depois tentar vestir novamente a calça. Bizarro não? Bom, se vc achou bizarro nem continue lendo pois esse foi apenas o 2o ritual do dia, ainda falta eu ralatar mais 317 rituais até o fim do meu dia :).
Vestida a calça eu passo para a camisa que segue o mesmo padrão de ritual. Detalhe, depois que eu vesti a calça e a camisa evito tocá-las com as mãos pois se eu tocar e vier um pensamento ruim tenho que trocar. Então como passar desodorante sem tocar na camisa? Depois de muito sofrer aprendi a passar desodorante antes de vestir a camisa, simples não? :). O ritual para colocar as meias é do mesmo jeito mas não sei porque tenho mais dificuldade nessa tarefa e não vou ter vergonha de confessar que várias vezes peço à minha esposa para vestir as meias em mim. Sim, não posso tocar as meias com as mãos mas não há nenhum problema se elas tocarem qualquer outra parte do meu corpo.
Não tenho mania de simetria, nem de lavagem, nem medo de contaminação, pelo menos não a ponto de realizar rituais do tipo voltar varias vezes para verificar o gás, não tocar em maçanetas para não me contaminar, alinhar os sapatos, etc. Eu lavo sim várias vezes as mãos mas não porque acho que estão sujas mas sim toda vez que tenho um pensamento ruim com quem eu amo. Então quando tocava em uma calça e um pensamento ruim vinha à minha cabeça eu apenas molhava os dedos como se estivesse "lavando" essa ideia da minha cabeça e, depois de "limpo", eu podia pegar outra calça. Eu abro e fecho várias vezes a porta do meu carro mas não porque "acho" que deixei ela aberta e alguém vai roubá-lo ou alguém vai cair do meu carro e se machucar. Faço isso porque quando fechei a porta, veio um pensamento que algo ruim ia acontecer e senti a necessidade de abrir e fechar a porta. É como se refazendo a última ação mas sem o pensamento ruim eu anulasse a 1a ação de fechar a porta quando tive um pensamento que algo de mal iria acontecer.
Basicamente os pensamentos que me veem à cabeça são de que algo de ruim vai acontecer com quem eu amo ou de blasfêmea e se me veem esses pensamentos tenho que lavar os dedos ou refazer a última ação tentando não pensar que algo ruim vai acontecer ou não blasfemar.
Se eu contar todos os rituais durante um dia e como eles sofreram "mutações" com o passar do tempo não vou precisar de um blog para escrever mas sim de uma enciclopédia de A a Z portanto vou apenas citá-los. Depois de me vestir eu tento passar gel no cabelo. Quando coloco um pouco de gel nas mãos e junto dele vem um pensamento ruim não tenho como devolver o gel e só me resta jogá-lo na pia e pegar mais um pouco por isso é necessário muito cuidado ao pegar o gel para não desperdiçar muito. Para descer as escadas eu tento várias vezes, desço até a metade, subo novamente, molho as pontas dos dedos na torneira e tento descer de novo. Colocar leite ou café no copo também é como o gel, se pensei algo ruim preciso jogar e colocar novamente por isso opto por alguém já deixar meu leite pronto (artimanhas para tentar enganar o TOC pois vencê-lo somente com a cura). Abro e fecho várias vezes a porta de casa sem ter uma quantidade de vezes a fechar, é aleatório. Tem dias que demora mais e dias que demora menos. O porque eu não sei e acredito que nuca vou saber pois os rituais não tem nenhuma lógica, o TOC não tem lógica e não somos loucos porque temos a consciencia de que nada disso faz sentido mas mesmo assim continuamos a fazer. Quer algo mais sem lógica que isso?
Mas não se desesperem, já ouvi e li em vários lugares e uma amiga também disse que ouviu de vários psiquiatras que os portadores de TOC são mais inteligentes que a média. Somos esquisitinhos, temos manias? Sim mas somos inteligentes. Se não fossemos inteligentes como iriamos disfarçar nossos rituais para as demais pessoas não perceberem? Eu nunca conheci pessoalmente outro portador de TOC, somente por email ou pelo blog. Alguém que tem TOC já encontrou outro colega de manias?
Essa mesma amiga me disse que assim como escondemos e disfarçamos muito bem nosso TOC das outras pessoas os outros portadores de TOC também disfarçam muito bem.
Não relatei todos os rituais, durante todos esses anos tive muitos rituais, alguns bizarros, outros engraçados, outros constrangedores então se vc acha que seus rituais são muitos piores que esses e tem até vergonha de contar lembre-se que isso que relatei é apenas a ponta do iceberg chamado TOC.
Feliz ano novo para todos.

14 comentários:

  1. Essa música expressa de forma perfeita o que eu sinto em relação ao TOC e me emociona muito: http://www.youtube.com/watch?v=vkLrQyZycAY&feature=fvst

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, sem Deus não somos nada

      Excluir
  2. Olá querido...fiquei feliz por ter encontrado td isso aqui rsrs...Minha mãe tem toc, mas parece q tá mais leve. O problema, é que ela teve depressão....que vai e volta, e hj em dia eu não tenho mais vida própria, pois ela se coloca muito dependente de mim...to achando que ela esta com sindrome do panico..Mas, vamos a luta né..beijo e boa sorte!!!!

    ResponderExcluir
  3. Olá amigo, tudo bem. Achei muito interessante essa proposta de análise do TOC e compartilhamento de sua experiência sofrida com tal. Também tenho TOC há muitos anos, com diversos rituais, que são muitas vezes, e só quem tem para entender, terríveis. procurei muitos fatores para entende-lo, abri o mar de possibilidades e descobri muitas coisas curiosas sobre a história do TOC. Ela é muitíssimo antiga, no começo do século III ou IV essa doença era conhecida come Escrúpulo (baseado em Teologia Moral Católica), e historicamente, as primeiras analises dessa doença vinha dos primeiros padres da igreja, e as curas eram proporcionadas de uma forma muito mais equilibrada do que psicotrópicos. Mas com o desenvolvimento atual, e pós Revolução Francesa, tudo referente ao verdadeiro espiritual quis ser vencido pela ciência, ignorou-se essas preciosidades, que a meu ver, é a verdadeira cura de tal doença. Há muito o mais que falar, e aprofundar-se, se tiver algum interesse em compartilhar idéias, mande um e-mail thiagojmj@bol.com.br caso contrario só ignorar ^^
    Um abraço e desejo que cada dia melhore mais.
    Thiago

    ResponderExcluir
  4. Olá, fiquei muito feliz em achar vc. Também tenho TOC (Limpeza/Contaminação), só q o meu começou a 10 anos e até hj não consegui controla-los bem... Muito legal esse espaço aqui. Percebi que estava lendo o livro do Aristides (TOC: Manual de Terapia Cognitivo-Comportamental para o Transtorno) o que achou???

    ResponderExcluir
  5. Olá Juliana, que bom que gostou do espaço dedicado a quem tem TOC. Eu estou gostando do livro, acredito que a TCC faça sentido e com dedicação conseguimos eliminar os rituais. Vc toma algum medicamento? Não eliminei 100% os rituais mas meu TOC está "estabilizado". Antes eu tinha altos e baixos e agora faz um bom tempo que todos os dias os rituais tem a mesma intensidade.
    Beijos

    Junior

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Que bom que encontrei este blog. Ontem mesmo estava conversando com minha estagiária e grande amiga, tentando explicar o que sinto, mas para quem não tem o TOC é difícil entender...mas ainda bem que encontramos pessoas que gostam da gente e lutam conosco.

    Hoje,estou em uma crise forte, repetindo tudo, até 0 que digito no teclado,...um saco. Já estive assim em outras ocasiões, sempre ocasionada - a crise - por algum fator traumático acontecido.
    Mas luto, todos os dias, e o que mais me judia é saber que as pessoas ao meu redor sofrem, e tentam ajudar.
    temos que acreditar né!! ter fé acima de tudo, sei lá, em Deus, um ser superior que vai acalentar estes sitomas.
    Até consigo convivr com o toc, mas esta fase de agora muito intensa...ocasiona um pânico que é brabo.
    Vamos lá, lutando, encontrei neste blog pessoas com a mesma dificuldade e me sinto mais normal. hahahhaa
    um grande abraço a todos nós batalhadores!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Taiane, como vc está?
      Saudades :D
      Beijos

      Excluir
  7. Olá Taiane, seja bem-vinda ao blog. Espero que a leitura dos posts faça bem a vc pois com certeza seus comentários me fazem bem :)
    Junior

    ResponderExcluir
  8. Nossa, como adorei esse post!
    Somente a parte boa né, de que somos mais inteligentes que a média. Como você falou, é difícil conhecer alguém que tenha TOC eu ainda não conheci ninguém pessoalmente, mas posso dizer por mim mesma que isso é verdade, somos inteligentes!(modesta não!?rsr) é por que faz sentido mesmo, sabemos disfarçar muito bem.
    E as minhas manias? São muuuitas que nem dá pra por neste espaço.rsr É amigo, só mantendo o bom humor mesmo pra superar esse TOC...
    Bjs!
    Tainá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tainé, nunca mais escreveu, o que aconteceu?
      Beijos

      Excluir
  9. Oi Tainá, fico feliz uqe tenha gostado do post. GOstaria de conhecer suas manias, não me canso de ouvir sobre o TOC, o que me cansa mesmo é ele rs
    SE quiser escrever no meu email fique a vontade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Miguelito, já acompanho o Blog há tempos e somente agora estou escrevendo este breve post por aqui. Estou finalizando outro post, com mais detalhes sobre o meu TOC, tentando fazer uma narrativa positiva sobre o nosso transtorno, pois acredito que o mesmo poderá ser de grande ajuda para muitos de nós, portadores do TOC e por ter quase quatro décadas de convívio com o nosso "outro eu"!!! Não posso deixar de comentar sua narrativa de 30/12/2010, cujo título é Manias. Confesso que não parava de rir nem por um momento, pois seu texto, ainda que sério mostra uma situação hilária do nosso cotidiano e sei também que o que vc escreveu é apenas o início de toda a "sistemática diária" que nos afeta no dia a dia. Sim, pois assim como vc, também tenho pensamentos, manias e rituais semelhantes aos seus. É impressionante a semelhança e por já ter uma longa experiência de vida como portador do TOC, e também pelo fato de sempre ler e pesquisar sobre o TOC, além é claro pela experiência diária com o mesmo, consigo entendê-lo na íntegra e talvez eu possa contribuir para com os demais colegas que também são acometidos pelo TOC. E respondendo a sua pergunta sobre já ter encontrado outra pessoa pessoalmente que também possui nosso transtorno, a resposta é sim! Aliás, essa pessoa é minha amada filha que assim como eu possui um TOC extremamente acentuado. Explicarei melhor no outro post que venho preparando. Um grande abraço a vc e à todos os demais participantes do Blog!!!

    ResponderExcluir
  11. ola faço também tratamento para toc, muito bom o blog, faz a gente enxergar que não somos os unicos com isso, ou seja, não me faz sentir como um et, percebo que meu toc está associado com o pânico, quando consigo limitar o toc minha confiança aumenta, mas é dificl

    ResponderExcluir