25 março 2011

Quando o TOC começou

Não sei se todos leram mas na página Quando tudo começou eu relato como meu TOC começou. Não quando eu descobri que tinha TOC mas sim quando notei em mim meu 1o sintoma de TOC. Sei que não é fácil muitas vezes lembrarmos quando foi que nossas esquisitiçes começaram mas eu lembro nitidamente de poucas imagens de quando eu estava no pré e em nenhuma delas eu estava fazendo algum tipo de ritual. Já meu 1o sintoma, quando estava na 1a série, nunca me saiu da cabeça e desde esse dia em diante eu  me lembro que sempre minha vida foi marcada por pensamentos, medos e rituais.
Eu também já disse em algum post que nunca conheci pessoalmente outra pessoa que tivesse TOC, na verdade, antes de criar esse blog eu nunca havia conhecido, nem virtualmente, outra pessoa com TOC. Depois do blog continuo sem conhecer pessoalmente outro portador de TOC mas virtualmente já conheço várias pessoas e todas elas são amáveis e inteligentes como eu rs. Como é bom conhecer pessoas parecidas conosco - não somente em relação aos adjetivos "amável" e "inteligente" - mas pessoas que compartilham do mesmo problema, das mesmas dúvidas, do mesmo sofrimento e todos prisioneiros do seu próprio cérebro.
Todo mundo gosta de ouvir estórias parecidas com as suas e saber que não está sozinho, que não é nenhum alienígena em meio aos terráqueos. Se não fosse assim não existiria o grupo dos AA, ou então o grupo dos Narcóticos Anônimos então porque não criar o grupo virtual dos POTA - Portadores de TOC anônimos?
Gostaria de que, cada um que lê esse blog ou segue esse blog, contasse sua estória de como seu TOC começou, deixando-a nos comentários. Pode ser de forma anônima como o nome do grupo sugere, pode ser usando um pseudônimo ou então com seu próprio nome. O importante é tentar lembrar quando seu TOC começou afinal para se chegar à cura no final temos que saber como foi o início, talvez a resposta esteja onde tudo começou.

Podem ter certeza que eu lerei todas as estórias aqui postada e com certeza me será de grande valia assim como também será de grande valia para outras pessoas que por aqui passarem e lerem.
Grato,
Miguelito

62 comentários:

  1. Oi Junior...aff,to ate sem jeito de escrever...fiz uma besteira...parei com os remedios do TOC pra tomar anfetamina pra emagrecer...e adivinha...to numa pilha só...minha casa ta uma zona(pra mim só)agora mesmo quase chorei olhando um azulejo da cozinha q tava imundo(pra mim)...aff q coisa...mas amanhã vou retomar os remedios...vou tentar tomar junto com a anfetamina...se eu nao morrer de overdose,volto pra t contar...aff que coisa rsrsrs fora q to numa naiss né...doida doida,super eletrica rsrsrs...mas vou voltar aos medicamentos do TOC e ao psiquiatra tbém,pq abandonei...sabe,não to pra sair de casa,nem conversar...é isso,agora vou ler com mais calma o q perdi das suas postagens...boa noite,bj

    ResponderExcluir
  2. Oi, nunca tinha conversado sobre meu toc com alguém antes, somente com o psiquiatra.
    Tenho toc desde meus 12 anos. Comecei a ter toc quando, no meu colégio, deram uma garrafa para cada aluno para que podessemos beber água nelas e não tivessemos que sair da sala para beber água. Desde então eu comecei a beber cada vez mais água, até que cheguei ao ponto que estou agora, de beber água compulsivamente. Se eu ficar algum tempo sem beber água eu surto, mas eu surto mesmo. Meu primeiro surto foi quando sai com minha família e não tinha água por perto, nem tinha onde comprar água, eu fiquei UMA HORA SEM BEBER ÁGUA, e simplesmente enlouqueci. Já fiz vários testes para diabetes e todos deram negativo. Meu psiquiatra diz que se eu continuar tomando muita água eu posso ter algum problema.
    Também tenho algumas outras manias como ficar fechando todas as portas da casa a cada cinco minutos, e se alguma porta está fechada, eu empurro ela pra ver, sei lá, se ela está REALMENTE fechada.
    É legal conhecer pessoas que tenham o mesmo que eu, assim sou compreendida. Por isso vou seguir o blog.

    Bjs
    Rafa
    rafadeoliveira-tudosobrequalquercoisa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que estou com esse problema tomo cerca de 12 14 litros de água por dia se não tiver água perto fico mal, estou fazendo muitos exames acham que estou com um tipo raro de diabetes insípidos. Mas pelo que estou vendo e emocional por favor converse comigo queria entender tudo isso

      Excluir
  3. Oi Junior,vi seu recado hj...eu sou maluca mesmo,mas to retomando o tratamento...ah tem hora q dá é vontade de tomar td de uma vez,assim ja acaba esse tormento,mas fazer o q né???
    To tomando anfetamina tbém,pra ver se emagreço um pouco...amanhã tenho médico.
    E vc como está?
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi rafa de oliveira , estou com o mesmo problema qe o seu , nao paro de beber agua , fico loko quando paro de beber e se eu vejo um copo de agua ou uma torneira aberta quero logo beber bastante agua , isso esta me prejudicando muito , pq tenho que ir ao banheiro direto , isso me deixa loko , mais nao sei como parar , sera que tem algum remedio ? sei la , gostaria de parar com isso pq nao conssigo ficar na sala de aula mais nem fodendo , pq ja sinto vontade de ir ao banheiro , se souber como resolver me diga por favor ;**

    ResponderExcluir
  5. O que vc tem se chama TOC e tem remédio sim. PRocure um psiquiatra e converse com ele sobre isso

    ResponderExcluir
  6. Oi, sou eu de novo, Caroline, tenho o pseudônimo de primavera porque amo aquelas flores com esse nome. Depois de conversar com o médico descobri que tenho TOC desde criança e que também é genético, da família do meu pai. Fui lembrando das histórias da minha bisavó, avô e do meu próprio pai... até chegar na minha própria história desde criança. Morava numa rua sem saída para carros, mas de acesso a muita gente... e lembro que de pequena, sempre tinha que abraçar duas pessoas que passavam na rua, que na realidade eu nem conhecia, rsrsrsrsrs. Depois eu lembro, minha mãe trabalhava fora, se ela atrasasse um pouco eu começava a chorar, tinha a certeza de que ela tinha nos abandonado ou tinha morrido, durante muito tempo isso se repetia, mas as manias, ou, os pensamentos sempre eram substituidos por outros... Gosto de poder falar do meu problema, sei lá, não tenho vergonha, há um tempo trabalho com teatro e aprendi a aceitar quem eu sou e tentar conviver da melhor maneira comigo mesma.

    ResponderExcluir
  7. Tenho o mesmo problema da Rafa de Oliveira, mas eu não lembro quando começou.. acho que desde pequenininha mesmo.. Minha mãe dizia que eu bebia muita água porque eu tinha nascido com quase 10 meses e sem líquido, ai eu era muito ressecada. Mas de uns anos pra cá a situação se agravou e virou uma coisa exageradamente compulsiva. Eu não sinto sede enquanto não ver água ou geladeiras. Eu posso passar horas concentrada em outras coisas e n lembrar de beber água, mas quando eu lembro eu tenho que beber imediatamente. Nessa brincadeira, bebo em torno de 7 litros por dia, e vou muito ao banheiro. Não consigo parar, quando eu tento me segurar pra não beber minha garganta seca e eu fico louca. Meu namorado ja tentou parar isso bebendo água na minha frente e se negando a me dar, mas eu entrei em colapso, chorei e não consegui. Nunca fui no psicologo ou psiquiatra, e n tenho noção se tenho que tomar remedio pra isso, mas vou começar faculdade de psicologia e se Deus quiser vou conseguir superar isso :)

    ResponderExcluir
  8. Oi gente, bom dia. Tenho TOC desde os meus 9 anos. Tudo começou quando eu mudei de casa, meus pais brigavam muito. Desde os 9 anos de idade eu tocava nas coisas três vezes, ficava olhando para um mesmo ponto três vezes. Quando fui crescendo as compulsões aumentaram, uma vez lembro que tava andando de bicicleta, aconteceu que toquei em uma folha duas vezes, ai tive que sair porque estava fazendo aposta na corrida. Depois veio uma ansiedade muito grande, era muito longe de casa essa folha (kkkkk) fiquei querendo voltar sozinho só para tocar nessa folha. Não voltei por que não deixaram, pois só tinha 13 anos. Sempre conseguir conviver com o TOC, como Miguelito eu não gosto de mudanças, é como se perdessemos o controle.
    Também os pensamentos em agredir as pessoas, isso foi muito forte quando eu tinha 14 anos. Eu não podia ver uma mulher grávida perto da minha casa que eu pensava em agredi - lá. Nossa por muito tempo acreditei que só eu pensava essas "coisas", é muito bom saber que temos compania, que somos pessoas que aprendem desde cedo que a vida tem um valor importantissímo,que nenhuma limitação pode nos prender,pois sabemos que tudo passa, mais só Deus fica.
    Tenho 22 anos, sou universitário, trabalho, faço curso de línguas. Sou Católico Praticante. A fé é muito importante para conseguirmos superar o TOC. Força a todos.

    ResponderExcluir
  9. Olá Anonimo, que bom que compartilhou sua estória conosco. Eu tb fiquei muito feliz quando descobri que havia outros iguais a nós rs. Falando assim até parece que somos alienígenas ou mutantes rs mas realmente nos considero como uma comunidade, uma irmandade pois por mais que expliquemos nosso TOC somente nós que temos TOC é que entendendos uns aos outros.
    Abraços e espero que entre na nossa lista de discussão para podermos conversar mais e eu nao ficar te chamando de Anonimo rs

    ResponderExcluir
  10. meu msn: venicius_costa@hotmail.com
    ficarei muito feliz se você Miguelito me adicionasse.

    ResponderExcluir
  11. Oi tenho 15. anos, sei lá desde de pequena quando. me zuavam na escola por causa do meu cabelo é poor causa das meninas bonitas. ficava com vergonha de mim, vergonha sei lá. Depois com o tempo. comecei a me ver com mta frequencia no espelho, a pergunta repentinamente. sobre minha aparencia.para as pessoas. Ate entao tenho certas manias. tenho ke me olha no espelho varias vezes. é fika perguntando. tooda. hora. gostaria de saber. oq fazer. se é toc?. ou nao?. Tenho medo de fala pra alguem. sobre isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, é dificil dizer se vc tem TOC ou não só por causa da mania de vc ficar se olhando no espelho mas pelas várias vezes que vc colocou um ponto final (.) no meio das suas frases eu diria que pode ser toc sim. Vc não confia em ninguém para contar o que se passa com vc? VC tem mania de limpeza? se colocar os objetos numa certa ordem? lava varias vezes as mãos? Eu acho que vc deveria contar pelo menos para sua mãe e se ela nao entender direito mostre o blog para ela. Eu acho que vc deveria conversar com um psiquiatra, nao se preocupe que psiquiatra não é médico de louco mesmo pq louco nao precisa médico especifico para ele pois ele está louco mesmo :). Vc não precisa contar tudo o que vc faz ou todos os seus pensamentos, conte apenas aqueles que vc sente mais confortavel apra contar e que vc ache que seja mais importante. Somente o psiquiatra pode dizer se vc realmente tem TOC ou outra coisa.
      Espero que eu tenha te ajudado mas escreva sempre que puder e quiser ok?
      Beijos

      Excluir
  12. Miguelito: entao as vezes fico. vendo varias vezes se a porta ta fechada. apago e acendo as luzes 3 ou mais vezes. Tbm, nao sei mais mtas. vezes me olho msm. sabe como se fosse.pra arruma. confirma alguma coisa. Mto obrigada. msm. ><. SEmpre ki der irei escrever siim. Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conte para alguém isso e descubra logo se vc tem TOC ou não :). Com remédios tudo isso melhora

      Excluir
    2. Nau Oliveira05 novembro, 2013

      Poxa vida, nunca pensei que houvessem mais pessoas com esse problema. Estou há mais ou menos 4 anos com esse problema, eu tenho pleno entendimento que vários fatores contribuíram, como estresse (pois trabalhava com telemarketing), má alimentação, hormônios, maus hábitos, etc. Já fui em dermatologista que me encaminhou pra psicóloga, mas a psicóloga não me ajudou em nada. O pior de tudo é que estou cursando faculdade e sabe qual curso eu faço? ESTÉTICA! Eu adoro Estética, só que imagina meu constrangimento quando somos ensinadas a fazer análise de pele, tratamentos para acne, tratamento pra manchas, etc! Me sinto muito mal comigo mesma, completamente incapaz de parar com essa compulsão, sinto vergonha de ir à faculdade e ficar sendo observada por todo mundo, quanto mais eu passo por esse tipo de constrangimento mais aumenta a vontade de espremer e tirar com a unha essas malditas espinhas, mais aumenta a intensidade com que eu me machuco por causa da raiva que eu sinto em não conseguir parar. Espero que aqui, juntos a gente consiga se ajudar.

      Abraços...

      Excluir
  13. Eu tenho esse problema há uns 5 anos... Sabe quando vc tem aquela espinha que fica te encarando e vc PRECISA estourar? ou aquele monte de pontinhos pretos no rosto (cravo) que praticamente todo mundo tira? o problema é que alguns anos atrás isso se tornou uma compulsão... às vezes passo literalmente horas espremendo cravos/espinhas, nao só no rosto, mas principalmente nos ombros, costas e braços... e é uma coisa que realmente incomoda, tanto pelo tempo que eu gasto todos os dias fazendo isso, que eu podia usar pra fazer coisas mais úteis, quanto pq já estou com a pele toda marcada e cheia de cicatrizes... qnd ando na rua td mundo pergunta se é alergia, pq está sempre cheia de pintinhas vermelhas... já tive até uma infecção uma vez.. fiquei cheeia de pústulas, tive até que tomar antibiótico... o pior é que como faço medicina e meus pais são médicos, eu sei que isso é extremamente perigoso qnd infecta... já ouvi até um caso de um cara que a namorada foi estourar um cravo nele, ele teve infecção generalizada e qse morreu... o pior é que msm sabendo dos riscos, simplesmente NAO CONSIGO parar... é quase que involuntário... qnd percebo, já estou fazendo.. ou às vezes eu to tentando parar, vejo um cravo mais bonito, e aí eu nao consigo relaxar e fazer mais nada enquanto eu não espremo.. aquela imagem fica na minha cabeça, me consumindo... então qnd eu finalmente me rendo e espremo, vejo mais um monte e aí nao consigo mais parar.... eu nao sei se isso é toc, mas sei que é uma mania bem bizarra e que beira a auto-mutilação, já que estou cheia de cicatrizes, mas não acho q a intenção seja auto-mutilação... só sei que por ser algo que nunca conheci ngm que tivesse, nao sei nem em quê se encaixa.. só sei que estou cansada.. faço análise há anos, o que já me ajudou em muitas coisas... eu tinha depressao e consegui superar.. estou me recuperando e amadurecendo muito, já melhorei muitos aspectos da minha vida, mas a única coisa que parece nao melhorar é isso... eu só... precisava de alguém que me entendesse... adoraria entrar num grupo estilo AA ou NA, mas nao sou alcoólatra e nao uso drogas, e nao tem nenhum grupo 'espremedores de cravos anonimos', acho que pq pra maioria das pessoas é só uma coisa que elas fazem às vezes, mas pra mim.. está realmente me destruindo e eu preciso de ajuda... de alguém q me entenda, me dê alguma direção de como vencer isso, pq já tentei de tudo que consegui imaginar e nada funcionou...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nossa, eu e você somos praticamente iguais nisso. Eu comecei espremendo meus cravos e pontos as 8 anos, sei que era muito nova, e nem sei porque comecei fazendo isso,só sei é que o tempo foi passando e não conseguia (e nao consigo) parar. Atualmente tenho 17, e continuo nisso, e já estou cansada. Me pergunto porque é que o faço, e nem sei o porquê, talvez seja ansiedade, depressão nao sei, mas tambem comecei por estragar os meus braços, têm muitas cicatrizes pequenas e avermelhadas, muita gente ja me perguntou o porque de eu as ter, mas eu tenho sempre vergonha de dizer o que realmente faço a mim própria (as vezes tambem penso se nao sera auto-mutilaçao como voce tambem acha) e digo as pessoas "ah, e uma alergia, me da comichao, ate que faz ferida" eu sinto.me mal por isto, porque tambem nao conheço ninguém com isto.
      Já tentei parar varias vezes, por vezes consigo parar, por um dia ou 2, mas depois tenho uma recaida, ou olho para o espelho e a asneira está feita. E também sou como você, quando olho espremo uma, continuo a espremer outras, as vezes sao tao pequenas. E nao dou por isso, parece que deixo de ter controlo nos meus dedos. Espero deixar esta coisa horrenda, e você também (: felizmente ainda nao tive nenhuma infecçao, e nao quero chegar a esse ponto, talvez uma ida ao psicólogo me faça bem... tente ir tambem (: bjos

      Excluir
    2. Olá Iness, bom saber que existem pessoas ocmo nós né? Não somente porque temos toc mas porque temos mais ou menos os mesmos rituais. Eu vou ao psicologo 1x por semana, vc ainda não vai? É muito bom ir, acho que deveria experimentar.
      Beijos

      Excluir
    3. Oi Thais. Eu comecei a ler seu depoimento, e até me emocionei, vi a mim mesma em suas palavras, senti a dor de falar o que nunca tive coragem de falar nem pra minha psicóloga enquanto eu me tratava da minha depressão, sempre tive vergonha. Esse problema, essa compulsividade em espremer cravos e espinhas, tbm está destruindo a minha vida, minha alto-estima. Já fiz de tudo pra parar, até promessas, que infelizmente, nunca consegui cumprir, o máximo de tempo que fiquei, realmente, sem me espremer, e ainda foi um grande sacrifício pois ficava nervosa cada dia mais, foram os 40 dias da quaresma, no ano passado. Eu tbm não sei em que tipo de denominação essa compulsividade se encaixa, tenho vergonha de falar sobre isso com as pessoas à minha volta, me acho uma aberração. Tenho 25 anos, e desde que me entendo por gente eu me espremo, e sei que pode me trazer graves consequências, além das manchas que podem nunca saírem da minha pele. Sinto que aqui, posso encontrar alguma forma de ajuda. Se vc, ou alguém aí souber de algum tratamento ou alguém que tenha mais conhecimento sobre o nosso problema em comum, por favor, deixe aqui algum comentário.

      Excluir
    4. Anonima, existem sim tratamento para isso que vc citou. É só consultar um psiquiatra e contar tudo a ele. Sei que é dificil ficar falando desses problemas para pessoas desconhecidas mas lembre-se d eque provavelmente o psiquiatra já ouviu estorias parecidas ou até piores que essa então para ele não é novidade. Com certza ele achará o remédio certo para vc.
      Beijos

      Excluir
    5. Obrigada, vou procurar um o mais breve possível!!!

      Excluir
    6. Nau Oliveira05 novembro, 2013

      oxa vida, nunca pensei que houvessem mais pessoas com esse problema. Estou há mais ou menos 4 anos com esse problema, eu tenho pleno entendimento que vários fatores contribuíram, como estresse (pois trabalhava com telemarketing), má alimentação, hormônios, maus hábitos, etc. Já fui em dermatologista que me encaminhou pra psicóloga, mas a psicóloga não me ajudou em nada. O pior de tudo é que estou cursando faculdade e sabe qual curso eu faço? ESTÉTICA! Eu adoro Estética, só que imagina meu constrangimento quando somos ensinadas a fazer análise de pele, tratamentos para acne, tratamento pra manchas, etc! Me sinto muito mal comigo mesma, completamente incapaz de parar com essa compulsão, sinto vergonha de ir à faculdade e ficar sendo observada por todo mundo, quanto mais eu passo por esse tipo de constrangimento mais aumenta a vontade de espremer e tirar com a unha essas malditas espinhas, mais aumenta a intensidade com que eu me machuco por causa da raiva que eu sinto em não conseguir parar. Espero que aqui, juntos a gente consiga se ajudar.

      Abraços...

      Excluir
    7. Hoje eu estava muito mal... E vim procurar ajuda na internet e encontrei seu depoimento e de tantos outros e pude ver que não sou a única a sofrer desse mal. Tenho 18 anos e desde antes dos 13 anos mecho nas minhas espinhas - acredito q até um pouco antes, mas senti piorar com essa idade - no começo eu mexia e elas saravam mas com o tempo tudo só piorou. Não sei ao certo o pq faço isso, mas é impossível conseguir parar, eu já fiz de tudo, promessas, já fiz uma vez peeling, vou a dermatologista desde os 13 anos, usei milhares de produtos mas no final fico na msm.... Elas vão embora depois voltam... Eu tenho muiiiiiiiiiiita vergonha, a muitoo tempo não uso camisas sem maga, pq a acne espalhou para as minhas costas, eu morro de vergonha das pessoas verem e sei q no fundo elas sabem o pq.... a cada dia as mangas da minha camisa só tendem a aumentar para esconder essa vergonha... fui a psicologa e ñ funcionou... eu simplesmente não consigo parar... msm sem unha arrumo um jeito, espremo com a pinça, com qquer coisa q tiver na mão q ajude, e sei q é errado digo p n fazer, mas qndo menos espero estou fazendo... minha mãe não aguenta mais me levar no dermatologista, ela n entende pq eu n consigo parar, ela diz q eu me auto mutilo mas eu não consigo reverter essa situação por um longo tempo... meu rosto até consigo por mais tempo, mas não meus ombros, dorso, e parte mais superior do braço... eu já n sei mais oq fazer ... n me vejo tendo nenhum relacionamento com pessoa alguma por causa dessas minhas manchas, sim sou branca e minhas manchas escurar e vermelhas ficam super visiveis, e cicatrizes,... moro em um lugar quente onde as pessoas vivem de regata e short e já cansei de inventar justificativas p viver de camisa de manga oq é péssimo devido ao calor, não vou a praia à anos... tenho vergonha, não sei explicar... estou sufocadaaa!!!! Não sei mais oq fazer!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
    8. Olá, estou aqui para contar minha história. Não sei se este blog ainda está em atividade esse ano nem se irão ler esse comentário, mas...

      Também sofro desse problema de espremer cravos. Tenho 21 anos e tudo começou aos 13. Meu rosto tinha algumas espinhas e muitos, muitos cravos. Depois que comecei com o hábito de tirá-los, passou de uma simples espremida de vez em quando para uma compulsão. Mexia todos os dias e em outros passava horas até perceber que meu rosto já estava completamente inchado e avermelhado. Quando passava dias fora de casa (exemplo: fim de semana em casa de primas), voltava desesperada, agoniada pra mexer no rosto, que havia enchido de cravos durante os dias fora.

      Quem não tem esse problema não vai entender e pode até rir ao ler um depoimento desses, mas é um vício terrível.

      Sempre roí unhas e por muito tempo não tinha unhas pra espremer o rosto, mas pegava o que desse: Pinças, tesouras, tampas de canetas... qualquer objeto pontudo que desse para espremer os cravos. Muitas vezes quando o rosto estava sem cravos (por eu já tirá-los constantemente) ficava um tempão olhando, procurando o mais ínfimo cravinho que fosse pra espremer. Hoje tenho a pele com muita flacidez e várias linhas e rugas que não deveriam existir na minha idade. Tudo porque eu esticava minha pele SEM PENA pra tirar os cravos pequenos.

      Parecia até um passatempo. Eu podia estar fazendo qualquer coisa. Estava estudando, levantava, passava pelo espelho e quando via já estava há um tempão maltratando meu rosto (minhas costas também eram alvo, hoje são cheias de cicatrizes, manchas escuras). Assistindo tv, levantava pra ir ao banheiro e quando via já estava no espelho. Minha mãe reclamava muito e até falava: "Não importa o que você faça, para tudo pra ir 'cutucar' seu rosto né?".

      Mexia tão constantemente no rosto que ele sempre estava avermelhado. Tanto que durante o Ensino Médio, muitas vezes era uma luta pra ir à escola com a cara feito um pimentão. Na época comprei uma base mais fraca (quase um creme) que passava quando ia sair pra amenizar a vermelhidão (mesmo sem gostar de usar maquiagem no dia-a-dia). Na hora a pele ficava com o aspecto normal, mas quando chegava na escola já estava mais rosada, e algumas horas depois já ficava avermelhada e surrada.

      Excluir
    9. CONTINUANDO (já que o comentário foi gigante e o blogger não aceitou completo)...

      Até hoje não consegui parar, já conseguir ficar um tempo (uns 20 dias) sem mexer, e nesse tempo minha pele ficou ótima. Hoje meu problema não é tãaaao terrível quanto era antes, mas acho que só diminuiu uns 20%. Se passar dias fora de casa já não fico desesperada pra tirar os cravos, e não preciso mais usar base sempre que vou sair por conta da pele vermelha, mas continuo com o problema.

      Olho meu rosto todos os dias e procuro os pontos pretos. Tento me segurar e penso no quanto minha pele já está acabada, mas quando tiro os cravos, tenho uma sensação de alívio, satisfação, e até mesmo de VITÓRIA!

      Sempre falo que a partir de hoje vou parar, passar pelo menos uma semana sem mexer no rosto, mas quando vejo, estou no espelho pensando "Vou tirar só esse cravo, porque está grande, mas não vou ficar mexendo". E nessa de "é só hoje", "é só esse", "é só essa vez", o vício vai sendo alimentado.

      Minha família e algumas primas sabem desse meu problema, sempre falam que preciso parar, que é muito horrível, que no futuro vou ver os danos na pele, que tenho que ter força de vontade, etc. Elas tem consciência que é um problema, já que já falei com detalhes, mas no fundo falam como se fosse uma besteira muito grande minha de não ter força de vontade pra parar com isso.

      "Tanta gente com vícios em bebida, em jogos e fulaninho chorando porque não consegue parar de espremer o rosto"

      Hoje tenho tentando ter força de vontade pra resistir a essa vontade de mutilar minha pele. Meu pensamento é "Pelo menos hoje, não vou mexer no meu rosto". Evito me olhar demais no espelho, e quando paro em frente, muitas vezes saio antes de começar a mexer. Em outras vezes, quando começo, consigo sair após espremer apenas um cravo. E assim espero conseguir chegar a parar completamente.

      Claro que é difícil e ainda passo longos momentos espremendo meu rosto e o deixando inchado, mas preciso que me livrar disso.

      Eu já tive outro problema talvez ainda pior: O de arrancar cabelos. Passei 7 anos com esse hábito horroroso. Arrancava MUITO! Meu cabelo ficou com vários buracos, e quando estavam crescendo, arrancava os pequenos, e assim ia num ciclo eterno. Precisava arrumar um penteado de modo que as pessoas não vissem as falhas. Até que tive que cortar o cabelo bem curto porque a diferença de volume estava muito grande. No dia do corte fiquei bem envergonhada e vi que que se não parasse, uma hora meus cabelos não cresceriam mais. Consegui parar há um ano e hoje as partes carecas estão com 18 cm de cabelo crescido. Se consegui parar com o cabelo, tenho que parar com o rosto.

      Deixando meu depoimento porque é bom encontrar alguém com o mesmo problema e que entenda que o que você tem não é mera frescura.

      Excluir
    10. Oi Ana. Me identifiquei com cada palavra sua. Parecia que era eu contanto da compulsão que me consome por espremer cravos, por acabar com meu rosto, braços, e,no me caso, pernas e bumbum. E, não contente, quando está tudo secando, ainda arranco as casquinhas que formam durante a cicatrização,piorando ainda mais as inflamações. Todos me criticam, fico quieta, chateada comigo mesma. Mas sempre sonho em parar, mas fico nessa de "só hoje", "só esse".... muito difícil não conseguir parar. Realmente paro o que estiver fazendo e quando vejo... estou com a cara roda inchada, feridas sangrando. Quero parar. Quero muito parar!!!

      Excluir
    11. Nossa, meu deus!! Era EXATAMENTE isso que eu estava procurando! Eu não fazia ideia que outras pessoas sofriam com isso, e me sinto muito identificada com o que vocês disseram, principalmente com o relato da Ana.
      Só de estar escrevendo aqui e observando que existe um padrão me faz pensar o quanto preciso definitivamente parar com isso.
      Acho que tudo começou na adolescência, nesse período em que aparecem cravos/espinhas, mas nunca tive um caso sério de acne. Só que o problema é justamente esse, que me deixa abismada. Conheço pessoas que já tiveram acne severa e que se orgulham ao dizer que "mesmo assim, nunca cutucaram a pele". Isso é algo impossível pra mim!! Eu sou extremamente detalhista e não é difícil agarrar espelhos de aumento pra ficar analisando cada aspecto da pele, cada cravo.
      Quando eu estava no colégio eu mais cutucava (passava a unha), e depois no período da faculdade eu realmente tinha a intenção de tirar, de me ver livre dos pontinhos. A situação ficou bem calamitosa, meu rosto ficava inchado, vermelho, descascava, ao que eu até deixava de lavar o rosto pra não ressecar ainda mais.
      Faz um ano que comecei a prestar mais atenção nisso, e parece que pelo menos em algumas regiões do rosto eu parei de fazer isso. O meu problema principal sempre foi o nariz. Me dá uma agonia fora do normal, e eu fico pensando se é só comigo. Isso parece me incomodar muito mais do que para as outras pessoas, ou eu fico pensando se as pessoas eventualmente não têm cravos, ou penso se eu tenho mais devido ao constante espreme-espreme de anos. Não conseguir uma resposta pra isso me deixa em crise por não saber pra qual lado eu deveria olhar.
      Como (não sei porque motivo) não tenho marcas, me levo a crer que não deve estar fazendo tão mal assim (mesmo quando a pele já está toda rachada de seca). Ou então mesmo sabendo dos danos que podem aparecer com o tempo eu penso que meu caso é diferente, e que não vai acontecer nada. Já neguei tantas vezes o quão séria é minha obsessão por isso que já até perdi a conta.
      É uma sensação de desespero, que se eu não tirar não consigo fazer mais nada, mas depois que tiro a culpa me inunda por completo, principalmente quando você vê seu rosto todo vermelho depois. É o momento que eu fico prometendo pra mim mesma não fazer de novo, mas sabendo que é porque eu estou olhando para uma pele livre deles. Eu sei que quando começarem a surgir de novo é muito difícil se controlar. E "surgir de novo" pra mim é uma questão de um/dois dias... Surgindo a menor coisinha pra mim já incomoda num nível extremo, fora do normal realmente. Tenho consciência disso.
      Após tantos anos me sinto uma expert num assunto tão ridículo! Eu podia ter usado esse tempo pra fazer outras coisas. Ao invés disso, eu fiquei procurando sabonetes, substâncias, marcas diferentes, métodos de espremer que não deixem tão vermelho, TUDO. E é uma guerra perdida. Não adianta o quanto tire, sempre aparece tudo de novo. Dá vontade de sentar e chorar.

      Excluir
    12. Se você perguntar, as pessoas não vão dizer que você tem cravos. Será que a minha perspectiva está distorcida ou sou exigente e detalhista demais? O problema é que não fico sem tirar por mais de dois/três dias, então nem sei como ficaria sem tirar em absoluto. Me causa um desespero só de pensar nessa possibilidade, em como poderia ficar, e dá a sensação que tudo o que fiz foi em vão, e que o destino é aceitá-los mesmo os odiando. Eu olho no espelho muito de perto, esticando a pele, e não tem uma vez que ao ir ao banheiro não pare para olhar (e quando você vai num banheiro que não tem espelho? Quero morrer!!), ou então levar um mini-espelho comigo para checar se não está aparente, sejam os cravos, sejam as peles que ficam saindo por causa de tanta agressão. Nunca saco o espelho na frente de ninguém, nunca dou demonstrativos de que estou olhando para cravos em público, ou fico dissimulando pra que ninguém perceba.
      Espinhas nem ligo mais, tenho uma ou outra e se coloco na cabeça que não vou tirar não tiro. Mas com cravos do nariz é sempre tempo perdido, sempre o "só esse, só hoje" e uma culpa que não cabe em mim.
      Esse ciclo da desculpa e da culpa me dá a sensação de estar escravizada. Principalmente porque parece não ter fim. Você se sente sem controle da situação. Controlo tanto que me sinto controlada no final das contas! Se eu tenho algum lugar importante para ir, fico contando os dias no calendário para programar que dias vou tirar, para no dia, espero, estar sem cravos e sem pele descascando (o que é totalmente irreal, porque tirar os cravos resseca, e quando a pele começa a melhorar os cravos já tornam a surgir). Se vou ficar em algum lugar que me impossibilite de fazer isso já fico numa ansiedade, me dá uma angústia... E pensando nas estratégias pra conseguir pelo menos tirar um pouco sem que ninguém veja ou saiba. O que alimenta ainda mais a noção de um segredo obscuro, uma coisa errada que estou fazendo comigo mesma.
      De resto, desde que eu entendi que os cravos surgem brancos e tornam-se pretos (pois oxidam) tento tirá-los quando ainda estão brancos (não tão visíveis) pois sem a oxidação com o ar são bem fáceis de tirar. Isso deixa e pele menos vermelha pois é preciso fazer menos força, mas a escravização é ainda maior, pois agora eu fico enlouquecida com a ideia de que preciso tirá-los antes que comecem a ficar pretos!! Me sinto totalmente doida, mas com a certeza de que preciso parar com isso. Já tive/tenho outras formas de obsessão/compulsão, que não sei se posso chamar exatamente de transtorno pois não foram tão incapacitantes para a minha vida, no dia-a-dia. Esse é realmente o que mais me afeta no momento.

      Excluir
    13. Hoje me preocupei com isso, não tinha percebido até que me dei conta que sempre espremo todas espinhas, não ao ponto de gastar horas mas sempre espremo, hoje reparei algo bizarro, é muito prazeroso isso, tipo, fiquei com uma espinha interna a muito tempo sem ir em demartologista pois não sabia nem o que era (aí que deveria ir) hoje apertei e descobri que era espinha interna pois antes tinha já uma pele e como ressecou também deu para ver branco, e fui espremendo e o fato de não acabar meio que satisfez nem terminei mas agora tou aqui sem dormir e as vezes pensando nela e em como seria espremendo mais, é estranho, mas na hora que estou pensando dá um prazer enorme, bom não sei se tenho toc até porque não tenho mania de limpeza, só algumas crises de vez em quando onde fico achando que tudo está errado e fora do lugar mas não sei qual lugar deveria ficar, tipo isso, não acho ainda que seja, preciso de mais sintomas (ou não eu espero) mas é isso aí, obrigado pelo texto, vou tentar dormir, flw

      Excluir
  14. Boa noite a todos ! Descobri esse blog procurando na internet algo que pudesse dar conforto ao meu sofrimento. Tenho 20 anos, e há cerca de alguns meses venho tendo uns pensamentos muito negativos. Não sei porque coloquei na minha cabeça que posso ter alguma doença, algum problema de saúde. Essa obsessão tem feito parte do meu dia-a-dia esse tempo todo. Nem quando estou entre amigos consigo relaxar. Tem sido horrível. Nunca tive coragem de conversar sobre isso com ninguém, pois tenho vergonha. Não sei se estou com TOC, se tenho outro problema psiquiátrico, ou se estou passando por um período de estresse. Estou querendo ir a um psiquiatra, mas não conheço nenhum aqui no Rio de Janeiro. Se puderem me indicar algum, ficaria muito grata.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Marina, acho que é uma boa memso vc procurar um psiquiatra para tirar logo essa cisma. As vezes nem é toc e vc fica encucada. Não conheço niguem no Rio mas se quiser indocação em SP posso dar :)
      Beijos

      Excluir
  15. Vanіlla ԁesires cigaгette by Green
    Smoke cigarettes has mаde mу life a гіch, smοoth and easy eхperience.
    This ρarticular e-сig offered the ρarticular flаνоrsome
    tаѕtе οf true vanіlla flavоr.
    I аm сertаinly looκing foгward to attemрt thе smooth
    darκ chocolate flavoг also.

    my wеblog - green smoke discount code

    ResponderExcluir
  16. Hеllo, i thіnk thаt i saω you vіsited my site thus i сame to “return the favoг”.

    I am tгуing to find things tο enhancе mу websitе!
    І ѕuppoѕe itѕ ok tο usе a few of youг ideas!
    !

    My homepage ... please click for source

    ResponderExcluir
  17. Tambem sofro muito com o habito de apertar espinhas (ate as que nao existem mas eu insisto em apertar pra ver se sai alguma coisa). Chego a chorar depois de passar muuuuito tempo fazendo isso. Termino completamente inchada,marcada,vermelha,arrependida,com dor na coluna (dependendo da posicao que fico pra chegar mais perto do espelho),pes inchados (de ficar tanto tempo na mesma posicao)....e ainda assim insisto nessa mania destrutiva que ao mesmo tempo me da um prazer muito grande. Aos 16 anos procurei uma psicologa e ajudou muito pra que eu me conhecesse melhor. Ela pediu para que eu escrevesse em um papel o que eu estava pensando imediatamente antes ou durante o cutucar de espinhas. Ajudou muito. Consegui perceber que assim como muitos fumantes,eu fazia aquilo pra me acalmar,para me sentir melhor diante de alguma situacao,pra tentar controlar minha ansiedade. Feito isso,eu passei a conversar comigo mesma enquanto me apertava e isso fez com que o tempo diante do espelho diminuisse bastante. Mas o habito continuava. Segui orientacao da psicologa e pedi ajuda a minha familia. Sempre que me viam cutucando rosto,costas,vinham conversar comigo,me pediam para que eu fosse fazer outra coisa. Eles me ajudaram demais mesmo recebendo tantas patadas minhas. E o tempo na frente do espelho cada vez menor mas o habito continuava. Continuei seguindo orientacoes da psicologa que me aconselhou a colar papeis com o sinal de proibido (iguais aos de transito) em todos os espelhos da casa. Parece bobo,mas ajuda bastante meeesmo! O processo eh lento,ainda preciso da ajuda da minha familia. Estou com 22 anos,muitas manchas que fazem com que eu sinta muito remorso de tantas cutucadas mas consigo ficar muito bem por longos periodos. Situacoes estressantes,que me deixem insegura e com baixa estima me levam ao espelho imediatamente. Mas agora ja tenho mais controle com a duracao do apertar,higienizo melhor minhas maos e procuro seeempre me sentir bonita..gostosona...pq ai eu nem penso em me fazer feia! Fazer academia,chegar no peso que eu busco,fazer uma escova no cabelo,colocar um bom salto,uma roupa bonita,me perfumar...me sentir amada por mim...tem sido fundamental pq quando coloco a mao no rosto logo pensopreciso me fazer feliz pq agora estou muito bem. Me sinto bem, entao nao preciso me destruir desse jeito."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bruna lantyer23 julho, 2013

      Meninas eu nem acreditei qyando li o depoimento de vcs gostaria muito de enyrar em conttato pq eu tenho o mesmo toc a anos tem7 anos q tudo isso começiu e eu to enlouquecendo ja ...fui no medico tomei remedui mas larguei pq n vi tanyo resultado meu rosto n tem quase nada de cravo e espinha aparebte mas eu futuco tanto mas tanto q levo bacteria p pele gerando infecçoes eu querua me internar num hospital psiqyiatrico pq eu to ficando louca ja isso ta destruindo minha vida eu gasto hiras e horas do mwu dia c isso.

      Excluir
    2. Bruna vc precisa experimentar varios medicamentos até encontrar aquele que vc melhor se adapta. Não é porque o 1o não deu certo que vc nunca vá encontrar um que te faça bem. Se quiser podemos conversar por aqui ou passa o seu MSN para mim.
      Beijos

      Excluir
  18. Oi, tenho 16 anos e a mais ou menos dois anos atrás vi uma reportagem na tv falando sobre o TOC e mim vi ali,nesse dia nem conseguir dormi a noite,chorei muito,pensando que eu tinha uma doença mental.Daí,eu queria esquecer que tinha visto esssa reportagem,e fiquei com uma ideia que era mais uma das sismas que eu sempre tinha com tudo. Só depois de uma tempo pesquisei na internet e vi que muitas dessas manias pareciam com as que tinha,como por exemplo apagar e acender a luz varias vezes,abrir e fechar as coisas,pensamentos de algum ruim iria acontecer com os meus pais se eu nao repetisse qualquer coisa que eu tinha acabado de fazer. Medo incomtrolavél dos meus pais morerem e me deixarem,esses pensamentos estranhos. E por fim eu sempre achei que eu sou uma pessoa muito emocional,mais sempre estranhei a intencidade dos meus sentimentos e pensamentos. Muitas das vezes deixava de mim divertir com as minhas amigas por muito medo de decepcionar os meus pais,e ate mesmo do que poderia acontecer comigo.E sempre que acontecia alguma coisa na escola ou rua de diferente eu tinha a necessidade de contar para o meus pais como se fosse uma coisa de terrivél que eu presentiei ou fiz. Eu sei que tudo isso pode ser coisas da minha cabeça,sismas como eu avia dito,mais eu sofre com muitas dessas manias e pensamentos loucos que eu tenho percebido des dos meus oito anos de idade. E mais uma vez eu procurei sobre o assunto e encontrei esse blog e mim vi em muitas coisas aqui. E resolvi pela primeira vez falar sobre o assunto,quer dizer minto,quando eu vi a reportagem falando sobre o assunto falei com meus pais e eles foram o primeiro a falar assim'' alá igual a vc'',mais falaram que era manias e nao que seria o meu caso.
    Até mais,volto aqui para ver os comentários!
    bjus

    ResponderExcluir
  19. Água em excesso pode matar. Estou tendo problemas com meu filho de 25 anos. Ele já teve duas convulsões por beber água em excesso. vejam este link: https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=6&cad=rja&ved=0CFcQFjAF&url=http%3A%2F%2Fnoticias.uol.com.br%2Fultnot%2Fcienciaesaude%2Fultnot%2F2008%2F11%2F29%2Fexcesso-de-agua-pode-ser-fatal-alerta-medico.jhtm&ei=pZdtUpyMPNK54AO79YG4Bg&usg=AFQjCNEthMte400zvbyxUD3od6pI4ylVVQ&sig2=9AVv81Sdj5Zx3lK5v0QewA

    ResponderExcluir
  20. Leiam este artigo sobre excesso de água:
    http://www2.uol.com.br/sciam/noticias/agua_demais_pode_fazer_mal_e_ate_matar.html

    ResponderExcluir
  21. Nossa! encontrei varias pessoas com o mesmo problema que o meu!! Me estresso muito fácil e desconto tudo no meu rosto que não tem espinhas, mais eu faço ter! Espremo tanto que vira ferida com pus, e no dia seguinte espremo novamente. Comecei faz uns 3 anos,eu tinha a pele limpinha sem manchas mais agora esta horrível, e por esse motivo eu não tenho vontade de sair de casa, porque se eu passo maquiagem por cima fica pior ainda..Sei dizer que é muito triste,mais o site me ajudou muito agora sei que é um problema é que tenho que procurar ajuda! até então achei que fosse uma mania qualquer só minha. Ah uma das coisas que ja fiz e deu certo por um tempo foi cortar minhas unhas beeem curtas e tampar todos os espelhos da casa mais durou no máximo uma semana! =(

    ResponderExcluir
  22. Eu creio que o que eu tenho seja o TOC. Uma vez na quarta ou quinta serie eu precisei muito ir ao banheiro, mas a professora não deixou, perguntou se dava para aguentar porque faltavam 10 minutos para o intervalo. E eu respondi que dava para aguentar, pois eu não queria mostrar para os meus colegas que estava desesperada para ir ao banheiro, era meio vergonhoso, então eu achei que podia aguenta tentando desviar a minha atenção no exercício de historia. Mas não estava dando certo, então o sinal tocou e tivemos que fazer uma fila para ir, como de costume, e eu urinei na fila na frente da sala de aula. Ai depois disso eu passei uma vergonha horrivel, menti para as pessoas que eu estava indo embora porque cai numa poça de água, so a professora sabia q eu urinei nas calças e a diretoria q ligou para minha mãe ir me buscar. Então nos dois dias seguidos eu nao parei d ir no banheiro constantemente, tinha q ir antes de sair de casa, SEMPRE, então eu disse para a minha mãe que algo havia acontecido e ela me levou ao medico. Cheguei no medico fui ao banheiro, no meio da consulta tive ir ao banheiro, antes de ir embora tive q ir ao banheiro, e quando estava no carro tive uma vontade imensa de ir no banheiro e comecei a gritar para minha mãe parar o carro, então ela disse q eu podia fazer ali porque estavamos em uma avenida muito movimentada, então passou!
    Desde ai tenho que ir ao banheiro toda hora, antes de sair de casa, no lugar que estou, etc. Em épocas que eu fico mais nervosa a coisa aumenta, como epoca de prova, (agora estou no terceiro ano do ensino medio), perto de datas em que vou viajar com a escola etc. Olha, em casa eu nao bou muito no banheiro, e eu sei porque e como funciona, é o seguinte: quando eu vejo que não tem um banheiro acessível, entro em pânico e me da MUITA vontade e ir no banheiro, parece que vou urinar nas calças de novo, ou então quando estou num lugar e vejo que ir ao banheiro eu ficaria um pouco constrangida, porque eu acabei de chegar no lugar e ja tenho que ir no banheiro, na escola vou no banheiro muito frequentemente, e luto para que as pessoas nao percebam. Eu tenho vontade de ir quando percebo que se der vontade eu nao vou poder ir, tem lugares que nao tem, tem horas que fico constrangida, ou mesmo tem professor que nao deixa, principalmente quando estou fazendo prova.
    É muito ruim mesmo!!! Este ano tenho que arrumar estágio, como vai ser a entrevista? E quando eu estiver trabalhando? Quando estou no cinema com um cara que eu gosto e tenho que sair correndo pro banheiro?? Preciso de ajuda, eu sei q é psicológico, podem me ajuda? Me incomoda muito!!

    ResponderExcluir
  23. Boa noite, é confortável ouvir essas estórias e saber que não sou o único louco no mundo, na verdade, desde muito pequena tenho tiques e manias, muitos tiques e manias, com as mãos, o rosto e tudo mais. De um tempo pra cá, uns 3 anos, estes tiques começaram a ter fundamentos psicológicos, o que de fato agravou demais a situação, ´Se eu não fizer isso vai acontecer aquilo, Se fizer, vai acontecer aquilo` e assim foi, pra piorar, precisava desabafar e conversei com alguns amigos, logo todos ja sabem disto e virei motivo de chacota, o pior é que vejo fundamentto nisto, tudo, quando não faço os tocs algumas coisas de fato se realizaram, e isso me apavora. Não vou mais aoo banheiro, nem tomar água nem porra nenhumma por que sei q o TOC vai me atacar e me sinto cada dia mais pobre, sem vida por todo esse desgaste. Quando abro uma geladeira, repito isso inúmeras vezes, ai mesmo assim não me satisfaz mais, fico com a cabeça perdida nesses tocs, e pperco todo o foco do que estou fazendo, tudo bem uma ou outra vez, mas isso é direto, em provas, conversaas e tudo que faço. Remédio não vou tomar, isso é loucura falar que penso estas coisas, e também não acho ninguém com este problema para que eu possa conversar, para superar isso eu preciso de idéias, e não remédio. Mto obrigad e Atenciosamente, Anderson.

    ResponderExcluir
  24. Ae pessoal com o problema de apertar cravos e espinhas, eu tenho o mesmo problema e pesquisando mais sobre o assunto descobri que existe um nome para isso: Skin Picking ou escoriação neurótica. Em um dos sites a descrição se encaixa perfeitamente ao meu problema pelo menos, em que diz: "A maioria dos pacientes se agride diariamente, sentindo vergonha e falta de controle sobre o comportamento. Costumam esconder as lesões e cicatrizes, por exemplo, utilizando maquiagem para camuflá-las. Quando é imposta alguma restrição a esse comportamento, o paciente relata dificuldade para se controlar. Há concordância nos relatos de que há um aumento de tensão antes do comportamento e alívio após o mesmo". E pelo visto, se for um sintoma isolado, ou seja, não acompanhado de doenças de pele e/ou outras, a melhor forma de tratamento é a terapia mesmo, mas dai resta coragem pra conseguir admitir isso a outras pessoas, ainda mais para estranhos, mesmo que seja para nos ajudar.

    ResponderExcluir
  25. Tenho 15 anos e tudo começou quando ganhei meu primeiro cachorro (Ele não tem culpa), porque minha mãe falou de historias de pessoas que tinham cachorro que cheiravam a cachorro, ai eu comecei a ficar 4 horas no banho "Tirando cheiro do meu cachorro" e também achava que tinha "Bactérias" na minha pele e ficava passando determinadas vezes sabonete em mim, e eu sabia que tinha algo de errado cmg, por causa disso me afastei do meu cachorro, não queria que ele chegasse perto de mim mas minha mãe ficava tão braba ela começou a ameaçar a desligar a água ai fui obrigada a dar um revira volta e hoje tomo banho "Normalmente" sem esse exagero de tempo. E hoje chego perto do meu cachorro, vivo com ele pra lá e pra cá.. Mas com o tempo novas manias apareceram na minha vida...
    Nem sei como explicar, mas eu tenho conciencia que nenhuma tem sentido!
    E não faço tratamento, tenho TOC desde inicio ano passado.
    Minha mãe não quer enxergar que to com problema.

    ResponderExcluir
  26. Tudo começou quando eu tinha uns 7 anos... Eu tinha piolhos e comecei a ter o costume de catá-los sozinha.. Nisso, eu costumava tirar todas as lendeas, pôr numa superfície e matá-las com algo pesado, esmagando-as de uma vez só...
    Se caso, eu perdesse alguma, eu tinha aquela sensação de angustia, de perda e etc..
    Após isso, com uns 14 anos, percebi que minha mae tinha vários cravinhos no nariz dela, que são aqueles pontinhos pretos... Todos os dias, eu pedia pra que ela deixasse eu tirar. (Eu consegui, hoje o nariz dela é perfeito kkkk )
    Depois disso, comecei a estourar espinhas e cravos do meu irmao mais novo... e tenho a necessidade de fazer isso todos os dias...
    mas agora, tudo isso está se agravando pq tenho misofonia (fobia de sons repetitivos) e acho q tbm tenho tricotilomania (mania de arrancar cabelos, fio por fio) e eu sei que essas coisas sao consequencias do TOC...
    To Desesperada!

    ResponderExcluir
  27. Eu acho que tenho toc. Me identifiquei muito com o que voces disseram. Eu sou assim tbm, sempre que fico ansiosa me dá uma vontade louca de espremer cravos e espinhas. A pele do meu rosto já tem buracos grandes e uma marcas branca que sao irreversiveis. Sempre q me olho no espelho e olho essa marca branca eu me decepciono comigo mesma e me pergunto como deixei isso acontecer. Tudo começou quando eu era pequena, nao lembro a idade. Minha mae, minha irma e eu fomos para uma pracinha de noite, e quando chegou lá minha mae disse que ía tirar o cravo na ponta do meu nariz eu querendo ou na, e que aquilo era para o meu bem, e que se eu nao tirasse ía crescer e ficar enorme. Só que eu nao queria pq achava que ía doer, aí ela fez a força e eu chorei e pedi pra ela parar e ela nao parou. Eu acho que eu até gritei e ela brigou comigo e pediu pra eu calar a boca pq era para o meu bem. Hoje eu sei q era para o meu bem pq até hoje tenho a marca daquele cravo. Esse dia me marcou muito. Depois desse dia, nunca mais fui a mesma. Depois disso lembro que eu via minha irma tirar os cravos no espelho e dizendo que era gostoso e que era pra eu fazer. Bem, hoje tenho 20 anos e preciso parar com essa mania que ja tem em torno de 7anos, porque caso contrario o estrago será tao feio de forma que eu nao vou conseguir reverter os danos. O que me deixa muito pra baixo é eu ter consciencia de que preciso parar e nao conseguir parar. O meu namorado é lindo e tem uma pele linda, eu morro de vergonha dele me ver sem maquiagem. O tio dele é dono de um balneario e o meu namorado sempre me chama pra ir tomar um banho de piscina mas se eu molhar o rosto a maquiagem vai sair, entao eu sempre tento escapar de alguma forma, deixando de curtir a minha juventude e a dele tbm. Nunca saio sem maquiagem, é a primeira coisa que faço quando acordo. Minha mae me contou depois de muitos anos que a diretora da minha escola ligou pra ela pra dizer que eu estava muito engraçada escondendo o rosto com o cabelo. Eu realmente ía para a escola com o cabelo praticamente todo no meio cara para tentar esconder as marcas vermelhas. Minha mae me contou isso rindo mas o que eu senti mesmo foi vontade de chorar. Ja briguei com minha mae, dizendo que ela tinha que me ajudar, que isso era uma doença e que ela tinha que arrancar todos os espelhos da casa, mas ela dizia que era falta de vontade minha de parar de mexer nos cravos e que nao ía tirar os espelhos e que se ela conseguiu parar de fumar, eu tambem consigo parar c essa mania. Nao consigo ficar dois dias sem mexer no meu rosto. As minhas costas e ombros estao começando a ficarem manchados, mas o problema mesmo é o rosto. Ler esses depoimentos e escrever isso foi uma boa terapia. Morro de vergonha de ir em um psiquiatra. Nem penso em ir num psicologo pq sei que vai resolver. Queria testar antidepressivos mas isso significa me abrir para o psiquiatra e nao sei se tenho coragem. Tenho muita ansiedade principalmente com trabalhos e provas, e sempre que estou assim passo muito tempo no espelho, a minha coluna doi, e acabo perdendo o tempo de estudar pra prova e de fazer o trabalho o que me deixa mais anciosa. Quando eu fico com tanta ansiedade assim tenho taquicardia e quase sempre choro muito pela culpa que vem depois. Estou me sentindo melhor por ter exposto isso aqui, é um desabafo na verdade, pq só falei disso c minha mae e ela nao me entende como vocês. Muito obrigada a quem criou esse blog, vou estar agora sempre por aqui para ver novos depoimentos.

    ResponderExcluir
  28. Oi gente... informação importante... para receber diagnóstico de TOC deve-se buscar um psicólogo e não psiquiatra, o psiquiatra só é indicado caso o psicólogo encaminhe, pois o psiquiatra q fica responsável por medicar caso for necessário. Já o psicólogo não é médico, portanto não prescreve medicação, só encaminha caso julgue necessário. ..

    É fazer psicologia não resolve em nada... pelo contrário. . Se tiver questões a serem resolvidas o essencial é buscar psicoterapia...

    ResponderExcluir
  29. Fiquei muito feliz em ler esse post... e saber que não estou sozinha... achei que eu era maluca, que era falta de vergonha na cara, que eu podia parar quando quisesse... mas não consigo... li o depoimento da Nau e parecia que era eu que estava contando a história... fico o dia todo procurando uma espinha, um cravo, qq coisa para apertar... estou toda manchada e desanimada...
    Quem pode me ajudar? Um psicólogo ou psiquiatra???

    ResponderExcluir
  30. Não faço ideia se tenho TOC... Tenho 13 anos e tenho muita obsessão em estourar espinhas, mesmo se elas ainda não estão com aquela pontinha amarela. Na verdade eu sinto uma ENORME vontade de espremer tudo quanto é tipo de coisa, furúnculo, espinha, pelo encravado, etc... Sinto vergonha de falar isso com os outros mas é verdade. Quando eu vejo alguém com uma espinha eu me controlo pra não ir lá e espremer, faço uma luta que só hahahah! Tô em dúvida se tenho TOC ou não !

    ResponderExcluir
  31. oi... há um tempo quis pesquisar sobre isso, além de depressão e transtorno de personalidade.. tenho mania de espremer qualquer coisa que aparece no meu corpo, especialmente no rosto. Passo horas na frente do espelho machucando minha pele. Chego do trabalho, minha mão suja, me aproximo do espelho e começo a futucar meu rosto. perco muito tempo, 2 horas, 4 horas pensando em parar mas os meus olhos procuram involuntariamente poros, acnes etc. Não é bobagem mais até agora que li vários relatos do mesmo problema. Minha família não dá muito importância p isto e eu sinto necessidade de ter alguém se preocupando, uma vez que eu não me preocupo em machucar meu rosto, pernas, braços. Conseguinte, inúmeras vezes, já peguei laminas ou quaisquer objetos cortantes p esfolar a minha pele, e consigo sentir uma especie de ansiedade, como se meu corpo estivesse num estado de transe, algo que não me faz parar, embora tenha uma voz dizendo para fazê-lo... Eu queria muito me sentir bem, bonita, saudável, fazer as pessoas se sentirem bem comigo.. todos os dias é uma luta contra mim mesma.. Caramba, véi. Por que isso? não tem sentido, é tudo coisa do meu cérebro. mas sinto que o que eu estou me submetendo a fazer comigo mesma, está piorando.. Sempre penso "hoje nao vou fazer" " nunca mais vou fazer" "hoje é a ultima vez" já falei isso mil vezes e sempre volto... "Só esse daqui" e passo horas na frente do espelho grudando aquela meleca nele.. ninguém vai ler isso aqui.. nem sei se deixar um relato meu anonimamente aqui vai me fazer me sentir melhor.. eu sei o que um narcótico, um alcoolatra sente.. eu sei o que é pensar nisso e querer fazer o tempo todo.. não é so questão de controle, é de conscientização, preparação emocional, é fácil dizer "pare com isso" só he difícil fazer os é dito.. tenho medo de desenvolver outros transtornos, outras doenças... tenho medo de ser uma mulher, uma mãe, esposa, profissional, doente... Não tenho motivação p recorrer à alguém que possa me ajudar, ainda não caiu a ficha da gravidade. não é apenas eu, achei que fosse, mas sempre pensava que havia alguém comigo fazendo a mesma coisa, enfrentando o mesmo problema no mesmo momento.. então, é isso.

    ResponderExcluir
  32. oi... há um tempo quis pesquisar sobre isso, além de depressão e transtorno de personalidade.. tenho mania de espremer qualquer coisa que aparece no meu corpo, especialmente no rosto. Passo horas na frente do espelho machucando minha pele. Chego do trabalho, minha mão suja, me aproximo do espelho e começo a futucar meu rosto. perco muito tempo, 2 horas, 4 horas pensando em parar mas os meus olhos procuram involuntariamente poros, acnes etc. Não é bobagem mais até agora que li vários relatos do mesmo problema. Minha família não dá muito importância p isto e eu sinto necessidade de ter alguém se preocupando, uma vez que eu não me preocupo em machucar meu rosto, pernas, braços. Conseguinte, inúmeras vezes, já peguei laminas ou quaisquer objetos cortantes p esfolar a minha pele, e consigo sentir uma especie de ansiedade, como se meu corpo estivesse num estado de transe, algo que não me faz parar, embora tenha uma voz dizendo para fazê-lo... Eu queria muito me sentir bem, bonita, saudável, fazer as pessoas se sentirem bem comigo.. todos os dias é uma luta contra mim mesma.. Caramba, véi. Por que isso? não tem sentido, é tudo coisa do meu cérebro. mas sinto que o que eu estou me submetendo a fazer comigo mesma, está piorando.. Sempre penso "hoje não vou fazer" " nunca mais vou fazer" "hoje é a ultima vez" já falei isso mil vezes e sempre volto... "Só esse daqui" e passo horas na frente do espelho grudando aquela meleca nele.. ninguém vai ler isso aqui.. nem sei se deixar um relato meu anonimamente aqui vai me fazer me sentir melhor.. eu sei o que um narcótico, um alcoólatra sente é 95% a mesma coisa, muito provavelmente.. eu sei o que é pensar nisso e querer fazer o tempo todo.. não é só questão de controle, é de conscientização, preparação emocional, é fácil dizer "pare com isso" só he difícil fazer o que é dito.. tenho medo de desenvolver outros transtornos, outras doenças... tenho medo de ser uma mulher, uma mãe, esposa, profissional, doente... Não tenho motivação p recorrer à alguém que possa me ajudar, ainda não caiu a ficha da gravidade. não é apenas eu, achei que fosse, mas sempre pensava que havia alguém comigo fazendo a mesma coisa, enfrentando o mesmo problema no mesmo momento.. então, é isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exactamente como eu.. Entendo muito bem, estou surpreendida por encontrar alguém como eu.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  33. As vezes me acho Louca
    Faço machucados em meu Rosto, e não são espinhas, na verdade nunca fui uma pessoa de ter espinhas, mas quando estou ansiosa e nervosa ( Que é a maioria do meu tempo) eu vou cutucando e machucando meu rosto e mesmo que eu tente eu não consigo parar é estranho e assustador, meu rosto fica todo cheio de feridinhas como se eu estivesse com cataporas e isso está acabando com minha vida social, porque estou em um ponto que a maquiaguem não está escondendo mais e tenho vergonha até de olhar para as pessoas porque elas não entende, elas não compreende que me sinto mau por isso, que me sinto feia e que não faço porque quero e sim pq não consigo parar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa eu te entendo ... so que comigo sao as espinhas isso é bem chato mesmo alem de nos machucar nos deixa super pra baixo.

      Excluir
  34. Oi gente, assim nunca tinha parado pra pensar que poderia ser TOC, achei que poderia ser so manias minhas entao resolvi procurar sobre o assunto e achei o blog, e tbm nunca fui em psicologo ou psiquiatras. Li os comentarios de vcs e o blog e vi que sim eu tenho TOC. Quando eu era menor, por volta dos 9 meus pais começaram a brigar mt dentro de casa e meu pai me chingava muito e eu chorava bastante, e td vez que eu me sentia mal eu tinha meio que uma necessidade de escrever pra lembrar daquilo, e desde entao ( tenho 15 no momento) eu venho anotando minhas lembranças tristes para rele-las depois...e nao foi so esse TOC, quando começou a dar espinhas em meu rosto eu nao mechia, deixava la ate sumir e um dia eu estava muito incomodada com uma e tirei e entao td dia eu tenho que tirar nem que seja um cravinho,mesmo que eu nao tenha nada (uso muito produto pra acabar com isso) eu passo hrs procurando uma, e quando vejo em algumas pessoas me da uma vontade mt grande de tirar, ja tomei cha de camomila,pra ver se eu fico mais quietinha kk e alguns remedis mais nunca acaba. Obrigada se vc deu um pouco do seu tempo pra ler a minha historia de TOC.Se puderem me ajudar eu agradeço mt por que eu odeio isso mais é incontrolavel e ja pedi mais minha mae nao me leva no psiquiatra nem em nada. Beijo gente 😘

    ResponderExcluir
  35. Eu fico me espremendo o tempo todo, é involuntário, qdo vejo ja estou com a mão no rosto cutucando algo q tenha relevo. Qdo estou no trabalho, me concentro na tela do computador, com uma mao no mouse e a outra no rosto, até eu perceber, já ta tudo vermelho. Tiro a mão do rosto e em menos de 5 minutos, lá estou eu de novo com a mao cutucando as casquinhas de feridas q eu mesma causei. Em casa, deito para assistir um filme, me concentro nele e logo a mão vai parar no rosto. Tento limpar pra disfarçar a vermelhidão, mas a mão volta a cutucar tudo de novo. Parece mais forte q eu. Todo mundo me alerta que eu estou machucando, mas não tem jeito, toda hora meu rosto ganha uma nova ferida, a ponto de parecer q estou com catapora.
    Socorro!
    Alguém me ajuda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, boa tarde!!! Nossa lí agora mesmo todos os depoimentos de vcs e tenho exatamente a mesma coisa. Sinto uma vontade irresistível de apertar cravos e espinhas. Todos os dias fico me apertando e isso deixa meu rosto feio e a pele cheia de marcas. Já tentei de todo jeito parar, me concentrar em outra coisa, mas quando menos espero ja estou lá, com a mão cutucando o rosto ou as costas, os ombros. Tenho muita vergonha das minhas costas, acho horrível as manchas escuras que ficaram nela e no meu ombro. Após os 14 anos nunca mais usei uma blusinha regata, nem "tomara que caia" que é uma blusa que evidencia o busto (lugar onde tmb tenho manchas), mostrando as costas então... sem chance!
      O que me fez querer procurar ajuda sobre isso foi as frequentes discussões que ando tendo com meu namorado. Ele tem algumas espinhas e cravos e eu não consigo ter controle, fico cutucando ele mesmo ele me pedindo para não fazer mais isso. Ele me pede para parar, eu paro e do nada sem perceber já estou novamente arranhando as costas dele e tirando qualquer casquinha ou elevação que eu veja na pele. E estamos discutindo muito por conta disso, pois até então eu não encarava isso como um problema. Achava ele fresco por falar que estava doendo ou por dizer que eu parecia uma louca. Fica brava até! Mas percebi que realmente passei dos limites e que isso já se tornou um problema que não consigo encontrar solução. Quando falo que não faço isso por maldade ele acha que estou mentindo, que mesmo que ele me peça para parar eu continuo por birra. Mas é algo totalmente involuntário e que a todo momento que estou com ele, dentro de 30 minutos já olho pra ele e sinto vontade. Não sei como lidar com isso, como parar, como controlar essa compulsão. Já faço isso a anos e sinto um alivio, um prazer inescapável quando faço isso. Já li alguns artigos que diziam que para algumas pessoas retirar cravos e espinhas era como um prazer mental, um "orgasmo mental" como o texto dizia, e é exatamente isso que sinto, um prazer e um alívio, como se aquilo fosse uma tarefa que devo cumprir a qualquer custo. Gostaria muito de aprender a lidar com esse problema. Tanto para melhor minha relação com as pessoas, quanto para melhor minha auto estima que é extremamente baixa apesar de todos dizerem que sou muito bonita. Só vejo meus defeitos, e o maior deles são as espinhas que me incomodam profundamente. Se alguem puder me ajudar, ficarei muito grata!!!

      Excluir
    2. Olá Karine, se quiser me passa seu numero de telefone que adiciono vc no nosso grupo de whatsapp que fala sobre o toc. ME mande por email para ficar privado.
      Abraços,
      Miguelito

      Excluir
  36. Oi! Desde pequeno tenho TOC, porém nada descoberto. Há algum tempo estava desesperado pela minha aparência, não aceitando muito bem o ato de envelhecer, me olhando no espelho. Depois de uma desilusão e alguns abalos, comecei a ter uma mania de limpeza, achando que eu pudesse fazer mal a alguém. Começou de maneira branda, até de maneira que dá para rir, mas logo em seguida cimecei a duvidar das coisas, questonando-me se, por exemplo, o alcóol era alcóol mesmo e assim, ao entrar em contato com ele, poder fazer mal a quem me desse a mão. Está insuportável, pois o problema se alastrou e estou ainda mais confuso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thiago !meu toc é parecido com o seu...em relação a dúvida, conferência e limpeza....meu caso é bem grave ja tomei banho d álcool varias vezes e vivo me limpando com álcool. ...evito contatos e acho q tudo q toco estou sujando....é desesperador. ...tbm estou muito confusa e desacreditada d tudo :(

      Excluir