21 julho 2011

Mudança: palavra que deveria ser riscada do dicionário do portador de TOC

Sei que estou devendo um post faz tempo. Passaram-se mais de um mes desde o último post mas é que mudei de emprego e como se não bastasse uma mudança ainda mudei de cidade também. No próprio filme "Melhor Impossível" vemos como o personagem se irrita com as mudanças. Ele gosta de comer no mesmo lugar, sentar-se no mesmo lugar e ser atendido pela mesma garçonete e quando uma variável muda ele se sente perdido e a ansiedade aumenta.
Isso é porque gostamos de ter o domínio da situação e não gostamos quando pisamos num terreno desconhecido ou quando o script muda, mesmo quando sabemos de ante-mão que ele vai mudar.
Nunca deixei o TOC limitar a minha vida, pelo contrário, muitas vezes limitava o TOC para que ele não limitasse minhas decisões mas fui pego de surpresa. Cansado da mesmiçe da vida, principalmente na vida profissional, não me dei conta que os anos se passaram, que envelheci e apesar dessa mesmiçe me fazer mal a vida, ela me fazia bem ao TOC e resolvi trocar de emprego. Durante 6 anos vivi praticamente a vida profissional de um funcionário público que aguarda pacientemente, sentado em sua mesa, a sua aposentadoria e não tinha pretensão de mudar de emprego mesmo reclamando
dele dia-a-dia.
Fui levado pela correnteza e tudo aconteceu tão rápido que quando me dei conta já estava cumprindo o aviso prévio. Estava feliz por um lado pois nem 1% de aumento a empresa me ofereceu para eu ficar e estava saindo para ganhar 50% a mais mas por outro lado preocupado pois me dei conta que iria não só mudar de emprego como também de cidade.
Assim como a donzela espera ansiosamente pelo seu cavalheiro vir resgatá-la num cavalo branco, eu esperava que uma empresa da minha cidade que me chamasse para fazer a entrevista e me salvasse de mudar de cidade. O cavalo branco não apareceu e eu caí do cavalo.
Estou aqui sozinho, sem amigos, sem conhecidos, sem meu posto de gasolina de confiança, sem a minha padaria predileta. Onde vou tomar meu cafezinho de todo dia? Como vou pedir "o de sempre" para alguém que nem me conhece? Cadê aquela farmácia que tem o melhor preço onde compro quase sempre? Estou me sentindo como um estrangeiro em seu próprio país.
Para que passar por tudo isso? Já não me basta o TOC e ainda tenho que passar por nova adaptação no emprego, fazer novas amizades, descobrir onde ficam as padarias, visitá-las e escolher a que mais me agrada e acima de tudo sozinho?
Tudo por causa de um salário maior? Dinheiro não é tudo, mas sem ele não fazemos nada! O dinheiro não pode curar um portador de TOC mas pode lhe dar uma vida com uma qualidade muito melhor.
Claro que além de um salário novo tem também o lado de ser uma nova experiência, novas oportunidades de aprendizado, novas amizades, novas aventuras. O que será que as pessoas tem contra o velho? Agora acho que trocaria o novo pelo velho :(. Panela velha é qua faz comida boa, velhos e bons amigos, sapato velho não aperta o pé, etc.
Será que não gostar de mudança é uma caracteristica de quem tem TOC ou é a idade chegando? Alguém que tem TOC, que seja novo ou "na melhor idade", poderia me ajudar nessa questão? Quem não tem TOC poderia também me ajudar? Um alguém jovem e outro alguém já mais vivido?
Bom, já que usei tantos clichês nesse post, vou usar mais um: dia melhores virão. Somente crendo que depois da tempestade vem um dia lindo de sol é que conseguimos continuar em frente.
Quem sabem um dia eu não acordo, me levanto e o TOC fica alí deitado, para sempre?

17 comentários:

  1. Olha Miguelito,
    eu estava pesquisando sobre o TOC por acaso e acabei achando sei blog e gostei muito do que vc fala nos seus posts, pois são coisas que realmente acontecem com nós obcessivos-compulsivos.
    Eu descobri que tinha TOC com 12 anos, hoje tenho quase 20(faço em setembro rs), tomo remédio e vou a um psiquiatra.
    Muitas das coisas que vc fala aqui acontecem ou já aconteceram comigo, como por ex. pensar em diversas saídas pras situações futuras. Isso me atormenta quase que todos os dias!!! Até quando meus pais começam a falar comigo, as vezes eu simplesmente perco a paciencia já supondo o que eles vao falar em seguida, sendo que na verdade, não tem nada a ver.
    Minhas manias já mudaram muitas e muitas vezes, tem algumas que vao e voltam como fazer caminhos pela casa e por outros lugares que já estou habituada.
    Gostei muito mesmo do seu post atual sobre mudança, pois isso é uma coisa que me afeta bastante também. Eu acabei de entrar na faculdade, numa outra cidade, mas estou indo e voltando todo dia de onibus pra casa, mas, mesmo assim, estou sofrendo demais. Talvez seja um pouco de imaturidade por não querer ficar fora do teto dos pais, mas acho que o TOC exerce sua função um pouquinho aí. Quando estou na faculdade, sinto uma vontade imensa, uma ansiedade tremenda de voltar pra casa, é simplesmente angustiante!
    Outro fato que gostaria de comentar, pra também saber se com vc ou com outros portadores acontece, é a questão da agressividade/impaciencia. Ultimamente qualquer coisa que meus pais, meu irmao, meu namorado ou qualquer pessoa muito proxima de mim fale, me irrita, me vem uma raiva muito grande, como se o que a pessoa falou não satisfizesse o que eu estava pensando sobre o assunto em questao.
    Gostaria de saber: isso é só comigo, ou existem outros portadores que tem essa reação?

    Bom agradeço desde já a atenção e parabenizo pela iniciativa de abrir um espaço para informar os portadores e até os curiosos, para também dar espaço para o desabafo e troca de experiencias entre nós, obcessivos-compulsivos.
    Me desculpe pelo texto enorme, mas me senti acolhida para compartilhar minha experiencia aqui.
    Muito sucesso!

    ResponderExcluir
  2. Eu sei como amamos nossas rotinas e o quanto é irritante quebrá-las e assim no seu caso foram todas de uma vez mas, acredite novas serão feitas é preciso começar a fazer escolhas eu já tive que substituir muitas coisas ex: melhor amigo percebi que sempre tinha que ter um mesmo que fosse outro, então você vai conseguir basta refazer novos hábitos, eu sei que isso não é muito anti-TOC só que eu não vou dizer que isso some de uma hora pra outra porque não é bem assim mesmo, aprendemos a nos adaptar e inserir algumas mudanças só. Eu estou orgulhosíssima de você ter tomado decisões como essa pra quem vive no nosso mundo não é tão simples e tudo que eu tenho a dizer é que essa coisa de território não passa mesmo então domine um novo território ele é seu!!! Sucesso!!!

    ResponderExcluir
  3. É incrivel como "mudança" realmente nos faz sentir mal. Ótimo post. Beijinhos...

    ResponderExcluir
  4. Querido amigo,
    Demora para criarmos um novo lar. É como construir um ninho. Primeiro escolher a árvore, e depois começar a fazer muito vôos trazendo pedacinhos de galhos, fios, plantinhas.
    Não tenha pressa, aproveite cada vôo, descubra coisas novas e boas q vc não tinha no outro ninho. Logo, logo você vai estar se sentindo "em casa", novamente.

    ResponderExcluir
  5. Oi Miguelito..gostaria de parabenizar pelo seu blog...gostei muito..te enviei um e-mail...me senti em casa aqui...
    Tb tenho TOC...tenho pensamentos rápidos, angústias, vivo atormentada..não posso ouvir notícias ruins que minha ansiedade vai no topo, sou desorganizada pois tenho q repetir várias vezes meus atos o que torna cansada e com isto não consigo fazer as coisas com a perfeição que gostaria...tenho muito medo de tudo também! Faço tratamento psiquiatrico..e tomo remédio...gostaria que essa doença tivesse cura..é um sofrimento constante.!!! Sei que tem algumas coisas que podemos fazer para melhorar o toc, como exercícios físicos..por exemplo...faço jazz 2x por semana..e estou pensando em voltar a terapia...mas digo para vc..é uma luta constante..e estou super feliz de encontrar este blog e poder compartilhar minhas experiências com todos tb!!
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  6. Olá Giovana, fico feliz que tenha gostado do blog.

    Na minha época de colégio eu tb sentia falta de casa, estava acostumado a estudar numa escola em que eu ia a pé e minha mãe dava aulas tb então quando entrei num colégio em que eu tinha que pegar 2 ônibus e não tinha minha familia por perto eu quase desisti. Quase fiz colégio normal ao invés do técnico em eletronica que eu amo só para não ficar longe de casa mas depois passou.

    Quando entrei na faculdade foi a mesma coisa, estudei 1 semestre em outro estado mas não deu certo, prestei uma faculdade na minha cidade mesmo e fiquei por lá ate´terminar. Não me arrependo de ter voltado para minha cidade, teria me arrependido se desistisse da faculdade mas como fiz o que queria não me arrependo de ter voltado.

    Em relação a agressividade eu acredito que quem tem TOC tem menos paciencia mesmo com as demais pessoas. Dizem que quem tem TOC geralmente tem QI acima da média, acho que por isso qeu nos irritamos fácil rs

    PRecisa ver se não é por causa do remédio tb, vc trocou recentemente seu medicamento? EU sempre tomei clomipramina, o psiquiatra tentou associar com fluoxetina mas me deu irritação, caracteristico da fluoxetina. PArei com a fluoxetina e melhorou a irritabilidade. Uns anos atrás tentei trocar a clomipramina por sertralina, paroxetina mas todas me derem irritação tb. Nâo teve jeito, voltei para a clomipramina.

    Sinta-se cada vez mais acolhida e esse espaço é para vc escrever e desabafar mesmo. Identifiquei-me muito quando vc contou sua estória da faculdade e sentir vontade de voltar para casa

    Beijos

    Miguelito

    ResponderExcluir
  7. Olá Miana do Brasil, obrigado pelas suas doces palavras de conforto. Poderia ouvir as mesmas coisas de uma pessoa que nao tem TOC mas ouvir de alguém que tem TOC tem um sabor especial, sei que é de verdade e do fundo do coração.
    Beijos e obrigado

    ResponderExcluir
  8. Oi Miguelito, se lembra da estudante de 19 anos, que te escreveu um texto enorme? Então, fiquei muito feliz pela respota e gostei também das recomendações que fez. Eu vou providenciar o livro, e começar a terapia, só preciso de um pouco mais de tempo. Adoro seus textos, e essa frase final desse ultimo texto foi demais. Desculpe também pela demora, o tempo é crucial para nós, portadores de toc.
    Não desista de seus sonhos, faça artes cênicas, mesmo que seja só para descontrair. As vezes precisamos de coisas que nos incentivem a viver, e um hobby é uma delas.
    E quanto a mudanças, tente mudar junto com elas, por exemplo, eu consegui diminuir um vício do toc com uma mudança que eu tive que fazer. Conheça novas pessoas, elas nos ensinam muitas coisas, sem que a gente perceba. De vez em quando extravase, seja feliz.
    Beijaum, sucessos!!! YY

    ResponderExcluir
  9. Olá Estudante de 19 anos :). Claro que me lembro de vc, vc me disse que seu TOC começou depois que foi para o Japão né? Fico feliz que tenha gostado do blog, que minha resposta ajudou e principalmente pq resolveu dar um basta no TOC rs. Agradeço tb suas palavras, quando a gente acha que está sozinho meio às mudanças recebe um comentario como o seu :)
    SE quiser escrever para meu email fique a vontade, sei que vc não é de se abrir muito mas quem sabe no email fique mais a vontade? Já contou para mais alguém sobre o TOC ou somente aquelas duas pessoas que sabem?(3 comigo agora rs)
    Beijos e obrigado pelo carinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 4 comigo agora. rs

      Excluir
    2. É, espero que a estudante de 19 anos tenha tido coragem de contar para mais alguém alem de nós 4

      Excluir
  10. Miguelito. Não é por causa da idade não. Eu tenho 22 anos e as vezes é muito difícil mudar de rotina. Estou namorando a seis meses,minha namorada mora numa cidade vizinha a minha, estou tendo dificuldades para me adaptar a nova rotina,como você disse queremos sempre ter o controle da situação. O meu TOC é relacionado a pensamentos desagradáveis. Um exemplo, quando a beijo tenho que contar quantas vezes beijo para ficar tranquilo. Mais dias melhores virão.Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Ola caro amigo, sua namorada sabe que vc tem TOC? Eu contei apenas para as minhas dias ultimas namoradas, as demais nao sabiam e era dificil de esconder. Com uma delas eu tinha a mania de beijar para me despedir e se viesse um pensamento ruim nessa hora eu tinha que beija-la novamente. Acho que eu dava uns 15 beijos antes de ir embora. Ela devia ficar irradiante e pensando: nossa, como ele me ama, 15 beijos antes de ir rs. Mal sabia que era amor mas tb TOC
    mas.... dias melhores vieram :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk infinitos... Me matando de rir com esse comentário dos 15 beijos!!! Desculpe, mas é engraçado o jeito como descreveu!!! Tomara que ela não leia, para acreditar que era simplesmente amor!!! kkkkkkkkkk

      Excluir
    2. rs, acho que não tem como ela ler pois "quase" ninguém sabe quem eu sou. Na verdade nem eu mesmo sei quem eu sou as vezes, acho que por isso é que consigo ser tão anonimo, até mais do que os anonimos que escrevem.
      Beijos Baby e obrigado pela força que tem dado no site. Com 400 acessos por dia eu não consigo responder todos mas por causa do TOC eu leio todos sempre :)

      Excluir
  12. Então vc tbm sabe ser oculto, da mesma forma que eu era. rs. Ué, vc é a pessoa que soube reunir os obstáculos do seu caminho e ao invés de colecionar as pedras que foi encontrando, o que seria uma típica atitude de um obsessivo-compulsivo, preferiu construir algo bonito para tentar mudar a vida de tantas outras pessoas e a sua própria. O blog é uma revolução pacífica que veio para transformar o mundo de cada um.
    Eu tbm estou sempre por aqui. Às vezes dá até um pouco de receio de transformar essa atitude em TOC.
    Eu que agradeço!

    ResponderExcluir
  13. Eu ri muito desta coisa de beijar Miguelito,,mas nem tudo é pra rir,tenho toc já fazem 14 anos e minha mãe a uns 28 q se manisfestou e muitas vezes nos sentimos irritados com a gente mesmo de nem sempre conseguir dominar o toc, sou super ansiosa,e em algumas coisas metódica, mas o que mais sempre me aborrece é detestar mudanças,,,sou casada e quando tenho q viajar, visitar minha família e um transtorno na minha mente,não conto pra ninguém mas dentro de mim sofro por ter q ficar longe de meu quarto etc,,e nem viajar com meu marido pra ferias eu aceito,,quero só ficar em casa com minha rotina, é onde me sinto bem ,tranquila, mas cada situação nova me altera demais, me sinto muito perdida,,,e ai o toc se manifesta ainda mais,nos pensamentos q me fazem repetir algo,,,E PROCUREI AJUDA, COMPREENSÃO E ACHEI HOJE SEU BLOG,, OBRIGADA E PARABÉNS...QUE JESUS E MARIA NOS ABENÇOE COM SUA PAZ, AMÉM

    ResponderExcluir