02 agosto 2010

Começa tudo de novo.

Segunda-feira começa e com ela vem todo o stress do TOC. Incrível como no final de semana o TOC reduz bastante e na segunda ele começa mais atacado do que nunca. Ontem ao invés de assistir ao Fantástico eu assiti ao Domingo espetacular na Record e passou uma reportagem interessante sobre o TOC. Assim que tiver o link da matéria na internet eu coloco aqui.
Contou a história de 3 americanos que tem compulsão por armazenagem, eles guardam tudo quando é tipo de coisas que não tem utilidade em suas casas pois acreditam que um dia elas possam ser úteis ou porque tem algum valor afetivo. O 1o caso era um americano que guardava muitas coisas em seu pequeno apto em Nova Iorque a 10 anos já e fazia 2 anos que ele não tomava banho em seu banheiro, somente no banheiro da academia pois o seu banheiro estava abarrotado de coisas que ele guardava. O 2o caso era de uma americana que começou a guardar todo tipo de embalagem vazia, coisas quebradas, etc a ponto de em seu quarto só caber ela, seu marido dormia em um cômodo a parte pois era organizado e não gostava das bagunças da mulher. Essa americana, com a ajuda de uma "organizadora pessoal" separou algumas coisas para vender no bazar organizado na garagem de sua casa mas assim que ela conseguiu vender algumas coisas, pegou o dinheiro e foi em outros 3 bazares comprar coisas inúteis para variar. O 3o caso era de uma sra. que vivia com um filho e uma filha já adultos e o neto. Ela saia pela vizinhança pelo menos 3x por semana para pegar coisas que as pessoas jogavam no lixo mas que ela acreditava ser útil um dia.
A característica dessas pessoas que possuem TOC e tem compulsão por amazenagem é que elas acham que aquilo que estão guardando vai ser útil um dia, embora faça anos que guardam esses objetos sem tê-los usados uma única vez. Ou então elas acham que aquele objeto tem um valor snetimental muito grande e que não podem se desfazer deles. Um jeito de ajudá-las é separar as coisas que ela acha que tem menos valor afetivo ou menos utilidade e ir se desfazendo aos poucos até chegar nos de "maior valor afetivo e utilidade" segundo ela mas que na verdade também não possuem utilidade.
A reportagem mostrou também uma brasileira que tem TOC e compulsão por contagem. Tudo o que ela faz ela é obrigada a separar em 4, contrar cada uma 4x e ainda falar o nome de cada coisa 4x. Para fazer arroz ela separou na panela de um lado o óleo, de outro o sal, do outro a cebola e do outro o alho. Ela tinha que contar cada um deles 4x e falar: óleo, sal, cebola, alho, 4x também antes de misturar os ingredientes.
Ela nao quiz mostrar o rosto de vergonha e medo do preconceito, principalmente preconceito contra seu filho. Infelizmente as pessoas são muito preconceituosas e as crianças, que não tem uma boa educação em casa, acabam sendo até mais preconceituosos que seus pais.
Pena que não consegui gravar para disponibilizar no Youtube mas se alguém conseguiu ou sabe se em algum site tem a reportagem me avise que disponibilizo aqui.
PS.: Escrevi 2x para a Record mas não me deram resposta e nao achei a reportagem em nenhum outro lugar

16 comentários:

  1. Oi Junior...td bem com vc?
    Comigo está td certinho sim...sumi esse fim de semana daqui da net...ontem tive visita,e acabei(enfiando o pé na jaca)rsrsrs mas é bom de vez em qdo...de resto esta td certo,td bem...sexta vou ao psiquiatra...mas eu estou bem sim...esse ultimo relato que vc contou que viu na reportagem,me identifiquei com a mulher...eu conto qtas vezes eu mexo a panela,qtas medidas de arroz,de feijão,de açúcar...td assim...ai pra não colocar demais,eu coloco de pouquinho,tem que ser tres vezes...e mezer a panela é sete vezes...AFF NÉ RS E AS CONTINHAS NA CABEÇA...fiquei curiosa pra ver a reportagem...hoje voltou td ao normal...levantei cedinho,levei minha filha no ponto de onibus,pois hj voltaram as aulas...e fiquei em casa...mas estou um pouco apreensiva com a construção da minha casa...vc acredita que tem algo me dizendo que o pedreiro vai encardir o piso qdo for ascentar???AI amigo...de sexta pra sabado ficava batendo na madeira tres vezes td hora qdo esse pensamento vinha na minha cabeça...mas estou tentando driblar esses pensamentos ruins...a ansiedade de ver td pronto logo só aumenta as manias né???
    mas daqui uns meses isso acaba rsrsrs...mas vamos que vamos né?!?
    Espero que vc esteja bem...qqer coisa,é só me escrever...bjs Débora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ooooooooooooooooooooooooooooi

      Excluir
  2. Oi..
    Obrigada pela passadinha lá no meu blog!
    Alias vi essa reportagem tbm na record.

    Bjs e estou te seguindo

    (ahh,obrigada pelos elogios)

    ResponderExcluir
  3. Oi Júnior...td bem com vc?
    Sumiu...espero que esteja bem...bj Débora

    ResponderExcluir
  4. Nossa tambem quero ver muito essa reportagem. Acabei pegando so o final e acabei nao vendo inteira, se consegui disponibiliza ai!!!
    Obrigado

    ResponderExcluir
  5. Ilsenir Costa.
    Olá, também estou muito interessada em rever essa reportagem caso tenha acesso principalmente da brasileira que tinha que contar tudo e puder me repassa agradeço. ilsecosta@ig.com.br

    ResponderExcluir
  6. Escrevi para o site da Rede Record mas infelizmente não em deram um retorno. Nem aquela tradicional resposta: Agradecemos pelo seu email, eu recebi :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que tinha que ter uma brincadeirinha no final do comentário! Já que a Record não respondeu, vou responder para não ficar sem graça:
      Agradecemos o seu post! rs

      Excluir
  7. Assim que tiver uma posição da record, coloque no seu blog, também estou esperando, caso eu consiga primeiro te envio.
    Parabéns pelo Blog.

    ResponderExcluir
  8. OLÁ TUDO BEM ?SOU ESRTUDANTE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHAO CURSO JORNALISMO E ESTOU FAZENDO UMA MATÉRIA SOBRE TOC. QUERIA QUE VC ME CONTASSE COMO DESCOBRIU E QUAIS TEVE QUENDO ERA CRIANÇA.
    ABRAÇO, EPSERO RESPOTA.
    MEU EMAIL: allanacpm@hotmail.com

    ResponderExcluir
  9. Escrevi o comentário e voltei a página sem querer antes de concluir, mas tudo bem, eu sou obsessivamente persistente e vou reescrever. Acaba até ficando melhor. rs.
    Eu lembrei que estava passando uma reportagem sobre os acumuladores compulsivos esses dias no Repórter Record, do ex-Linha Direta Marcelo Rezende. Não sei se é uma reprise da reportagem aqui mencionada de 2010, pq vi apenas o finalzinho, mas pesquisei no Google (que eu acho que têm as respostas para tudo, rs) e encontrei o link para a reportagem exibida em 18/11/12. Como sou uma ótima transtornada-obsessiva-compulsiva, disponibilizo dois links que são da mesma reportagem, porque não me basta escrever apenas um:

    http://www.youtube.com/watch?v=hENbySuUZOE

    http://www.youtube.com/watch?v=cAicaWaoIO0

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha minha natureza obsessiva-compulsiva evidente logo no início do comentário, qdo explico sobre o problema com a publicação! rs. Necessidade de tudo bem explicado! Pro espaço com tantos detalhes! Tem horas que cansa! A mim e aos outros!

      Excluir
  10. A reportagem é outra mesmo.
    A Linda disse algo que se aplica a mim diante dos meus inúmeros e-mails não lidos e acumulados desde 2009, com os quais precisei lidar esses dias, numa tentativa de excluí-los: "Eu consigo. Mas eu realmente preciso dar uma olhada antes!" E, da mesma forma que ela, não consegui me livrar de tudo! Às vezes, tenho essa atitude mediante algum objeto e acabo sempre associando meu gesto ao TOC, quando lembro de algo que eu devo ter lido: achar que vai precisar daquilo um dia. Às vezes, me convenço em me desfazer, mas não é sempre.
    Na vida de Steve, de acordo com as palavras do repórter, as relações afetivas sempre foram temporárias, então tudo é temporário, menos o lixo. Steve sofreu um trauma e encontrou no acúmulo de coisas algo para compensar, um proteção. Para essas pessoas, as coisas que elas guardam não são lixo, são simplesmente coisas. Mas, é difícil, viu? A Linda comprava e comprava e armazenava coisas das quais nem mesmo precisa, mas o Steve acumulava lixo mesmo! Mas, no final ambos sofriam do mesmo jeito! E, as outras pessoas acabam sofrendo também! E também, o próprio Steve reconhece que não compreende chegou aquela situação.
    Gostei da Dorothy, a organizadora de casas e cabeças, muito divertida ela. A risada então nem se fala!
    É possível perceber o quanto estava sendo difícil para Linda se desfazer das suas coisas. O filho não compreendia. E deve ser mesmo muito difícil ver alguém que se ama agindo de tal forma. Mas, havia profissionais acompanhando o processo e isso é muito importante, pois estes estudaram para isso, como diz o Miguelito.
    Apesar das dimensões das coisas acumuladas nos impressionarem a primeira vista, com certeza não nos assombra. Nós, que temos TOC, sabemos o poder da nossa mente sobre nós e nós também somos acumuladores de alguma forma. Os acumuladores da reportagem sentem conforto nas coisas que acumulam e nós, em nossas compulsões! Deixemos assim: de acumulador e obsessivo todos têm um pouco!
    É triste, não é nada fácil! Mas é preciso lutar! E a reportagem mostra a tentativa deles! Eu estou assistindo e escrevendo aqui ao mesmo tempo, por isso o comentário está grande, porque tudo o que acho interessante lá, quero colocar aqui. E agora, achei emocionante a emoção do Steve com o resultado! Mas, não quero estragar a surpresa de vocês!
    Ah, não vou mais ficar analisando o vídeo. Assim não tem graça, né?! Assistam e tirem suas próprias conclusões!

    Beijos e DEUS abençoe a TODOS!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa vida, depois que a gente publica é que vê o quanto escreveu. E, eu não quero ser uma acumuladora de palavras, por isso preferi compartilhá-las, mas acho que exagerei.
      Só mais uma coisa, prometo:
      No momento que a Patty achou que não conseguiria se desfazer das coisas para assim ter de volta os filhos, uma das profissionais disse que ela conseguiria sim e que "nada precisa ser perfeito"! É o que sempre diz o Miguelito: as coisas não precisam ser 100% para serem boas e que o ótimo é inimigo do bom!

      Excluir
    2. Nossa, olha só isso! Pra quê analisar o vídeo assim segundo a segundo? Não dá nem espaço para os outros mencionarem algo, pq já foi tudo mencionado. E olha que não estou bem certa disso, fico pensando que outras pessoas sempre terão coisas a acrescentar, mesmo que eu já tenha dito tanto! Assina uma menina especialmente obsessiva-compulsiva. Não estou dizendo que algo bom! Eu sou a mais revoltada com o TOC, aquela que não admite seja qual for a circunstância que o TOC agiu positivamente de alguma forma em algum ponto, mas é que o TOC já me expôs a tantas situações, já me acusou e me deixou culpada por tantas coisas, que eu que sempre fui boa e amável, fui me tornando amável ao extremo, insuportavelmente amável, eu acho. Isso, muitas vezes, é difícil de lidar, pois vc não se permite repreender os outros mesmo qdo merecem, a única a ser repreendida sempre é vc! Hj as coisas não são mais tão assim como descrevo, mas é bom fazer esse balanço, avaliar minha melhora... enfim... É bom ser amável, compreensiva e buscar não julgar as pessoas (isso não devemos, nem podemos), mas o TOC é escroto demais. Vc é super-gente boa com os outros e com vc próprio, vc é uma carrasco, um Freddy Krueger... vc se culpa, se repreende, se maltrata, por quê? Pelo TOC! Aff...

      Excluir